Skip to main content
© Guus Baggermans - Unsplash © Guus Baggermans - Unsplash

Compra ecológico: pondera bem as tuas escolhas enquanto consumidor

Última atualização terça-feira, 07/09/2021

O nosso bem-estar depende dos recursos naturais do nosso planeta, mas se continuarmos a utilizá-los como até à data, eles poderão esgotar-se mais rapidamente do pensamos. Está na hora de mudar!

O consumo excessivo está a esgotar os recursos do planeta e a pôr em perigo o bem-estar das futuras gerações. Se continuarmos assim, em 2050, necessitaremos de um novo planeta para satisfazer a nossa procura.

Várias pequenas ações fazem uma grande diferença! 

Estamos ainda a tempo de inverter esta situação se mudarmos de estilo de vida e adotarmos hábitos de consumo ecológicos. Devemos questionar-nos sobre a origem dos produtos e a forma como foram produzidos, evitar o desperdício, fazer escolhas sustentáveis, ler os rótulos com mais atenção, apostar na reutilização e na reciclagem e dar espaço à natureza. 

Eis algumas recomendações simples para te tornares um consumidor mais ecológico. 

1. Limitar os resíduos e reciclar

Zero Resíduos, ou viver sem resíduos, é uma tendência mundial. O lema deste estilo de vida são os 5R (Recusar, Reduzir, Reutilizar, Reciclar e Compostar, do inglês Refuse, Reduce, Reuse, Recycle, Rot), cinco ações que devem ser seguidas nesta ordem.
De cada vez que deitamos algo no lixo, estamos a intensificar a pressão ambiental que pesa sobre o nosso planeta. Lembra-te: o melhor resíduo é aquele que não é produzido! 

Pequenas ações, como colar um papel a dizer «Publicidade aqui não» na caixa de correio, utilizar pilhas recarregáveis, escolher produtos eco-recarregáveis ou utilizar sacos e garrafas reutilizáveis, ajudam a reduzir os resíduos (lembra-te, a água da torneira é potável em toda a Europa!). 

Muitos dos resíduos provêm do nosso frigorífico, um dos truques é comprar e cozinhar só o que vais realmente comer (vê Cozinhar e Dicas para fazer compras). Procura limitar a comida comprada fora que vem embalada, uma vez que produz muitos resíduos (vê este vídeo), e evita produtos com embalagens desnecessárias, especialmente as de plástico.

E, como é óbvio, recicla, recicla, recicla. A UE está a implementar uma estratégia global em matéria de resíduos, que prevê também a obrigação de os Estados-Membros reciclarem os resíduos. Obviamente, a sua aplicação depende de todos nós! 

Por último, podes sensibilizar as pessoas à tua volta (a tua família, os colegas da universidade ou do clube desportivo) para a importância da gestão dos resíduos. Por exemplo, podes participar na organização de ações durante a Semana Europeia da Prevenção de Resíduos

2. Deitar fora, nem pensar!

Já ouviste falar dos «Repair Cafés»? Eletricistas, mecânicos, carpinteiros e especialistas em TI colocam os seus conhecimentos e saber-fazer à tua disposição para reparar uma torradeira que não trabalha, um vestido rasgado ou um móvel partido. 

A ideia é reduzir os nossos resíduos, ensinar os cidadãos a viver de forma sustentável, assim como promover a coesão social, transmitir saber-fazer. Sabes se existe algum «Repair Café» perto de ti?

Se necessitares de uma ferramenta para montar um móvel, pede uma emprestada ou aluga uma em vez de comprares uma que vais utilizar uma ou duas vezes por ano. Fica mais barato e é mais ecológico!

Por último, podes vender/comprar e trocar as roupas e os produtos de que já não precisas numa feira, mercado ou loja de trocas ou de produtos em segunda mão ou então nas várias plataformas que existem na Internet para o efeito. E claro, se preferires, podes sempre reciclar ou dar! 

3. Apoiar a agricultura de proximidade

A agricultura apoiada pela comunidade é um sistema que aproxima o produtor dos consumidores no circuito de distribuição, permitindo que o consumidor subscreva a colheita de uma determinada exploração agrícola ou de um grupo de explorações. 

Trata-se de um novo modelo socioeconómico de agricultura e de distribuição de produtos alimentares que faz com o produtor e o consumidor partilhem os riscos inerentes à atividade agrícola. Este sistema limita consideravelmente os intermediários, apoia os agricultores locais e permite que o consumidor receba os seus produtos sem embalagens. 

4. Verificar os rótulos ecológicos

Os produtos, os serviços e as empresas amigos do ambiente estão identificados com um rótulo. 

Na União Europeia, o rótulo ecológico da UE pode ser atribuído a produtos e serviços com um impacto ambiental reduzido. Procura o rótulo em lojas, produtos, serviços turísticos, parques de campismo e hotéis (vê o catálogo em linha). Existem igualmente rótulos nacionais como o «Nordic Swan» nos países nórdicos, o «NF Environment» em França e o «Blue Angel» na Alemanha.

5. Escolhe produtos éticos

As questões éticas são igualmente importantes: qual o impacto daquilo que consomes nas outras pessoas? Estás a promover o trabalho infantil ou outra forma de tráfico de seres humanos num país distante? 

Nos últimos anos, os escândalos ligados a violações dos direitos humanos deram muito que falar, especialmente na indústria da moda. Nas fábricas clandestinas, as chamadas «sweatshops», os trabalhadores trabalham sete dias por semana sem férias, não recebem salários dignos e são impedidos de formar sindicatos. Podes exercer pressão sobre estas indústrias ao não comprar os seus produtos, ao assinar petições, ao apoiar movimentos defensores do comércio ético e ao dizeres o que pensas nas redes sociais. 

Quando fizeres compras, considera a possibilidade de optar por produtos de empresas especializadas no comércio justo e ético e procura rótulos com certificação «Fairtrade», «Forest Stewardship Council», «Fair Trade Certified» ou «Rainforest Alliance Certified».