investEU
Partilhe

Dominó, cerâmicas do futuro

Terceira geração de empresários dinamiza indústria tradicional

Sobre este projeto

A Dominó é uma empresa situada na região de Coimbra gerida por uma família que se dedica à cerâmica há três gerações. Fundada em 1988, produz pavimentos e revestimentos para construção e decoração. A partir de 2009, sofreu as consequências da crise económica e financeira. Sem baixar salários ou despedir funcionários, manteve-se no mercado ao apostar na exportação e em mão-de-obra qualificada.

Carlos Moedas destaca Dominó como caso de sucesso europeu

Comissário visitou empresa de cerâmicas que superou a crise

O Comissário Europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, Carlos Moedas, visitou a Dominó, em Condeixa-a-Nova. Esta empresa de cerâmicas é considerada pela União Europeia um exemplo relevante da aplicação do investimento europeu em Portugal.

Após conhecer as várias áreas da fábrica, Carlos Moedas afirmou que a ”crise veio mostrar que Bruxelas tem que voltar ao palco para que as pessoas percebam o que a Europa faz e não faz“. Para o Comissário Europeu, Portugal “tem-se revelado um bom utilizador dos fundos Europeus”.

Na ocasião estiveram também presentes João José Xavier, Presidente do Conselho de Administração da Dominó, e Nuno Moita da Costa, Presidente da Câmara Municipal de Condeixa-a-Nova.

Nuno Moita da Costa, Presidente da Câmara Municipal de Condeixa-a-Nova, Carlos Moedas, Comissário Europeu, e João Xavier, Presidente do Conselho de Administração da Dominó
Partilhe

Oportunidades de financiamento para as PME em Portugal

Dominó é caso de sucesso na União Europeia

A Dominó é um bom exemplo de uma PME que se destacou na aplicação de fundos. O apoio da União Europeia (UE) permitiu a esta empresa de Condeixa-a-Nova redefinir estratégias, reestruturar a gama de produtos, bem como inverter o ciclo mais cedo do que a própria conjuntura internacional. 

Em Portugal, foram aprovados até setembro de 2017 nove acordos com intermediários financeiros para apoiar mais de 1.500 pequenas e médias empresas e startups, num total de 795 milhões de euros de financiamento. 

O país é mesmo o segundo Estado-Membro que mais tem beneficiado de investimento no âmbito do Plano Juncker. “Ao investir em áreas de maior risco, a UE indica aos demais investidores públicos e privados a possibilidade de entrarem em setores menos eleitos pelo seu caráter inovador ou com ciclos de retorno de investimento mais longos”, afirma Catarina Dantas Machado, conselheira para os assuntos económicos e financeiros da Representação da Comissão Europeia em Portugal.

A foto a baixo : #investEU evento em Condeixa-a-Nova o lugar onde Dominó nasceu.

Partilhe

Ousadia de jovem empresário revitaliza indústria cerâmica

Como a Dominó ultrapassou as adversidades em tempo de crise

A Dominó dedica-se à indústria cerâmica desde há três gerações. O seu responsável, João José Xavier, sucedeu ao pai e assumiu a gestão desta empresa familiar ainda antes dos 30 anos. Um dos seus primeiros desafios foi ultrapassar o ambiente adverso provocado pela crise económica e financeira em Portugal, mas nem por isso deixou de acreditar na retoma. A Dominó contou com o apoio financeiro da União Europeia para se revitalizar e atrair novos mercados para exportação. Sem despedir ou cortar salários (as únicas reduções foram feitas na administração), deu a volta à crise. "Recorremos a fundos comunitários para tornarmos a Dominó mais competitiva, o que nos permitiu operar num mercado tão exigente como o europeu, onde os melhores do mundo da cerâmica se encontram em força. Acredito que a crise foi uma oportunidade de reestruturação e inovação”, afirma João José Xavier.

João José Xavier, Presidente do Conselho de Administração da Dominó, Indústrias Cerâmicas
Partilhe

A cerâmica que alia tecnologia e tradição

A Dominó é um bom exemplo de uma PME que superou o difícil contexto económico e financeiro português dos últimos anos e conseguiu elevar o seu negócio ao investir em exportação e tecnologia. Apostou na aliança entre tradição e investigação, e o seu produto resulta de uma mão-de-obra especializada em revestimentos e pavimentos cerâmicos. 

A Dominó tem um forte impacto regional, pela criação de cerca de 200 postos de trabalho, e contribui para o aumento das exportações nacionais: 65% da sua produção destina-se a 60 mercados dos cinco continentes. 

O investimento no design também é outro dos seus valores. Ao criar pavimentos e revestimentos esteticamente diferenciados e com alto nível de qualidade, esta empresa já conquistou arquitetos e designers no mundo.

Saiba mais sobre oportunidades de financiamento da UE para sua empresa ou start-up:

Partilhe
Factos e números

Dominó :

  • Dá emprego a cerca de 200 trabalhadores
  • Exporta 65% da produção
  • Vende para 60 países dos cinco continentes
  • Produz 14 mil metros quadrados de cerâmica por dia
Coordenador:
João José Xavier (CEO)
Parceiros:
N/A
Localização:
Portugal, Condeixa, Coimbra
Calendário:
2015 - 2016
ECAS Login