EU PROTECTS > A nossa segurança > Encontrar a agulha no palheiro: como a UE utiliza os satélites para salvar vidas

"Foi um dia que começou bem e acabou mal. Mas, sem a tecnologia de satélite e as equipas de socorro, poderia ter sido muito, muito pior."

José Dias

Em todo mundo, todos os dias se salvam vidas graças à localização por satélite. Na Europa, os satélites Galileo estão envolvidos em 90% das operações de resgate. Quer se trate de pescadores no mar ou viajante perdidos numa montanha, o sistema consegue ajudar a localizar qualquer pessoa que precise de assistência num local remoto. Em agosto de 2017, durante uma viagem noturna da Madeira para Portugal continental, um iate colidiu com um objeto desconhecido. O dano causou uma rotura, e era apenas uma questão de tempo até que a embarcação afundasse. Os dois marinheiros lançaram um salva-vidas e enviaram um pedido de socorro por rádio, o qual foi detetado por satélites da UE. A Bélgica e Portugal foram imediatamente alertados e enviaram equipas de resgate. 

De emergências no mar a viagens de carro, de smartphones a eventos desportivos, o Sistema Global de Navegação por Satélite da UE (o sistema “Galileo”) é utilizado todos os dias em inúmeras situações.

Encontrar a agulha no palheiro: como a UE utiliza os satélites para salvar vidas

Em situações de emergência, a velocidade e a precisão do Sistema Europeu Global de Navegação por Satélite pode poupar tempo precioso. Quando um iate belga se estava a afundar ao largo da costa portuguesa, as equipas em Portugal, na Bélgica e em Marrocos recorreram aos satélites da UE para localizar a embarcação e preparar a missão de salvamento. 

Desloque-se para continuar

José Dias

Portugal

"Dois dias depois de zarparmos da Madeira, ouvimos um estrondo -- tínhamos batido em qualquer coisa. Não demorou muito até termos água pelos joelhos."

"Foi então que liguei o sinal de alerta de emergência por rádio na nossa embarcação, sinal que foi captado pelos satélites Galileo da UE. Um cargueiro veio socorrer-nos, acompanhado pela Força Aérea Portuguesa.

"Da ponte do cargueiro, vi o meu barco ir ao fundo. Foi muito triste, porque eu tinha-o construído com as minhas mãos ao longo de 10 anos, mas felizmente eu e a minha mulher não estávamos feridos."

"O salvamento foi muito rápido. Acho que não podia ter corrido melhor."

 - José Dias

Dries Boodts

Centro de Coordenação e Salvamento Marítimo – Ostend

Bélgica

"Nessa noite, o sinal de emergência de rádio emitido pelo iate foi-nos enviado pelo centro de controlo da missão Cospas-Sarsat em Toulouse, França. Uma embarcação belga estava em apuros a uma distância muito considerável da costa portuguesa, pelo que enviámos o alerta aos nossos homólogos em Lisboa, a base de salvamento mais próxima da embarcação." 

"Portugal tem uma excelente unidade de busca e salvamento, e o centro português manteve-nos a par à medida que a operação se desenrolava."

"Os sinais de satélite da UE são extremamente rápidos e muito precisos."

 - Dries Boodts

Lt João Pedro Janicas

Centro de Coordenação e Salvamento Marítimo – Lisboa

Portugal

"Utilizámos o alerta Galileo da UE para assinalar a localização exata do iate belga. Contactámos imediatamente um cargueiro que estava nas proximidades para solicitar ajuda e enviámos um avião e um helicóptero para o local. Pelas 02h12, a nossa equipa tinha içado os dois marinheiros para um helicóptero e levava-os de volta à costa. 

"Tudo isto foi possível graças a uma cooperação em tempo real entre a nossa equipa em Lisboa, o centro de controlo Galileo em França e os serviços de resgate belgas e marroquinos."

"Se um dos satélites Galileo captar um sinal emitido por um barco, as probabilidades de um salvamento correr bem aumentam."

 - Comandante João Pedro Janicas​

Xavier Maufroid

Serviço de Busca e Salvamento Galileo, Comissão Europeia

Bélgica

"Estar envolvido numa situação de emergência pode ser extremamente assustador, mas os nossos satélites fazem parte de um sistema global de busca e salvamento que consegue localizar pessoas em perigo, independentemente da distância. No dia 13 de agosto de 2017, o Galileo intercetou o sinal de alerta da embarcação belga e, em menos de 5 horas, o casal foi resgatado.

"Na Europa, tantas coisas dependem dos serviços de localização Galileo, os nossos smartphones, serviços de transporte, logística, telecomunicações e energia, por exemplo." 

"Trabalho no sistema de satélite que ajudou a localizar a embarcação belga e a salvar as vidas daquelas pessoas."

 - Xavier Maufroid

Fiammetta Diani

Italiana, Agência do Sistema Europeu Global de Navegação por Satélite

República Checa

"O Serviço de Busca e Salvamento é apenas uma das várias funções do Galileo. Num sentido mais abrangente, o Galileo constitui um projeto da UE pioneiro e altamente inovador que faculta serviços em todo o mundo. Hoje em dia, quando utilizamos mapas, aplicações de táxi e aplicações de pagamento por telemóvel, estamos a usar os serviços Galileo. Estão disponíveis a toda as pessoas na Europa através de dispositivos como smartphones e sistemas de navegação de veículos. Com o Galileo, estamos mais seguros e na vanguarda da inovação no domínio dos satélites."

"Com o Galileo, aproximamos as grandes inovações científicas de todos ao criar serviços realmente úteis."

 - Fiammetta Diani

Sabia que?

Juntos somos mais fortes

Graças ao orçamento da UE, conseguimos ajudar cientistas e investigadores a unirem forças em projetos que abrangem toda a Europa, como o Galileo. Faz todo o sentido conjugar fundos e aplicá-los em iniciativas ambiciosas que nenhum país da UE conseguiria realizar sozinho.

Um alcance global

O Sistema Global de Navegação por Satélite da Europa (conhecido como “GNSS” ou “Galileo”) faculta dados precisos dos quais depende um largo conjunto de serviços de informação horária e de posicionamento em todo o mundo. O Galileo constitui ainda a contribuição da Europa para a COSPAS-SARSAT, a organização internacional que une 44 países e tem como objetivo localizar e salvar pessoas em situações de emergência, onde quer que estejam.

6

O número médio de vidas salvas todos os dias graças à rede COSPAS-SARSAT. Dada a crescente velocidade de deteção e a exatidão do posicionamento, espera-se que este número venha a crescer.

26

O número de satélites Galileo que orbitam atualmente a terra. Em 2020, veremos um total de 30 nos nossos céus. Cada satélite Galileo tem uma envergadura de asa de 15 metros, pesa cerca de 750 kg e estará em órbita 12 anos.

Rede de segurança

Graças ao sistema Galileo, em caso de acidente grave, é possível efetuar uma "chamada eletrónica" manual ou automática para os serviços de emergência.

400 000 000

O número de smartphones que utilizam atualmente o Galileo, incluindo modelos de todas as marcas mais importantes. Descubra se é um utilizador diário do Galileo em www.usegalileo.eu.

QUEM SÃO OS OUTROS HERÓIS QUE ESTÃO A DAR RESPOSTA ÀS CATÁSTROFES?

Talvez alguns destes heróis sejam do seu país.

Graças à UE, existe uma rede de heróis locais que trabalham em conjunto para ajudar a proteger os cidadãos europeus de desastres, atividade criminosa, os efeitos das alterações climáticas e muito mais. De pilotos a promotores de justiça, de ambientalistas a agentes aduaneiros, descubra como a UE apoia os heróis locais no seu país.