EU PROTECTS > A nossa segurança > Quebrando o círculo: como a Europa desmantelou uma rede de tráfico humano

"Este foi um dos casos de tráfico humano mais significativos dos últimos anos."

Inspetor David Diego Monserrat

Em julho de 2017, 13 mulheres foram libertadas das garras de uma quadrilha criminosa violenta. Manipuladas e ameaçadas, tinham sido retiradas das suas famílias, na Bulgária, e levadas para Espanha, onde foram forçadas a prostituírem-se. 

Para desmantelar a quadrilha e libertar as mulheres foi necessário coordenar uma ação em toda a Europa. A Europol e a Eurojust puseram em contacto a polícia Espanhola e Búlgara para levarem a cabo esta grande investigação. As duas agências europeias trabalharam nos bastidores, ajudando a polícia a reunir e partilhar provas e a efetuar detenções.

Reproduzir o vídeo

Quebrando o círculo: como a Europa desmantelou uma rede de tráfico humano

Era necessário que as autoridades nacionais agissem de forma rápida após a descoberta de uma rede de tráfico humano violenta. Mulheres jovens, raptadas das suas casas na Bulgária, eram forçadas a prostituírem-se em Espanha.

Numa semana, 34 membros desta quadrilha foram presos e 13 mulheres jovens foram libertadas. O êxito da operação deveu-se a um esforço coordenado ao nível europeu.

Desloque-se para continuar

EU Protects: como a Europa desmantelou uma rede de tráfico humano

Inspector David Diego Monserrat

Polícia Nacional

Espanha

"Soubemos de fonte segura que mulheres búlgaras estavam a ser forçadas a prostituir-se no sul de Espanha. Tivemos de coordenar as detenções diretamente com as autoridades búlgaras. A Europol e a Eurojust lideraram esta ação coletiva."

 

 

 

 

 

 

 

"Esta quadrilha podia ter-se facilmente mudado para outro país e continuar a cometer crimes contra as mulheres."

 - Inspetor David Diego Monserrat

Enrique Morales

Antigo membro da Europol

Espanha

"Depois de recebermos informações de Espanha, começámos a tentar perceber quem eram os chefes das quadrilhas, os motoristas e os traficantes. A Europol tem acesso a uma grande base de dados de informações criminais. Reunimo-nos com as policias nacionais, e ajudamo-las a fazer as investigações e a coordenar as operações em vários países."

 

 

 

"Servimos de ponto de partida para uma cooperação mais coerente."

 - Enrique Morales

Francisco Jiménez-Villarejo

Espanhol, Eurojust

Holanda

"Organizámos duas reuniões em Haia para planear a operação. Em conjunto com as polícias espanholas e búlgaras, identificámos os principais alvos e as acusações de crime. A Eurojust deu aconselhamento no que toca a leis durante toda a operação, como a emissão de medidas cautelares e o bloqueio das contas bancárias dos suspeitos. O apoio às vítimas também foi crucial: precisavam de proteção física e de serem informadas sobre os seus direitos."

 

 

 

 

 

"Eliminámos os obstáculos para prender suspeitos em Espanha e na Bulgária."

 - Francisco Jimenez-Villarejo

Inspector Ivan Petrov

Direção-Geral de Combate ao Crime Organizado

Bulgária

A identidade deste herói foi salvaguardada para proteger a privacidade das pessoas envolvidas.

"Muitas coisas podiam ter corrido mal, já que a operação decorreu ao mesmo tempo em dois países. Nas detenções, dois agentes espanhóis foram enviados para a Bulgária e dois agentes búlgaros foram para Espanha. No final, as acusações contra os criminosos foram confirmadas e as vítimas foram resgatadas." 

"Seria impossível apanhar este grupo sem a ajuda dos nossos colegas espanhóis e europeus."

 - Inspector Ivan Petrov

Zlatka Macheva

Gestora do Abrigo, Comissão Nacional de Combate ao Tráfico Humano

Bulgária

"Trabalhamos regularmente com a polícia através do coordenador nacional do mecanismo búlgaro para a identificação e apoio às vítimas de tráfico humano."

"As vítimas de tráfico humano e exploração sexual que chegam ao nosso abrigo costumam ter entre 18 e 25 anos de idade. Há raparigas que mantêm o contacto connosco durante muito tempo, à medida que ganham mais confiança e começam a viver de forma independente." 

 

 

 

"Prestamos apoio médico e psicológico para ajudar as vítimas a integrarem-se na sociedade."

 - Zlatka Macheva

Sabia que?

Unidos por uma causa comum

Assim que se chega a acordo sobre os papéis das polícias e procuradores nacionais, estabelece-se uma data para fazer as rusgas e apreensões entre fronteiras. Costumamos referir-nos a estas datas como Dias de Ação Conjunta.

132

O número de casos de tráfico humano liderados pela Eurojust em 2017 comparativamente aos 71 casos de 2014.

70%

das vítimas são traficadas com fins de exploração sexual, 19% para exploração de mão-de-obra. Os casos restantes dizem respeito a pobreza, casamentos de conveniência e tráfico de órgãos.

Sistema de Informação Europol (EIS)

Os 28 estados-membros da UE podem aceder ao EIS, a principal base de dados da agência com informações sobre pessoas e objetos ligados a crimes internacionais graves (incluindo tráfico humano).

 

Coordenador anti-tráfico da UE

A Dr. Myria Vassiliadou é responsável por melhorar a coordenação no combate ao tráfico levado a cabo por instituições, agências e estados-membros da UE.

QUEM SÃO OS OUTROS HERÓIS A COMBATER AS REDES CRIMINAIS?

Talvez alguns destes heróis sejam do seu país.

Graças à UE, existe uma rede de heróis locais que trabalham em conjunto para ajudar a proteger os cidadãos europeus do tráfico de droga, radicalização, ataques cibernéticos e muito mais. De investigadores a pilotos, de especialistas em comércio a médicos, descubra como a UE apoia os heróis locais no seu país.