EU PROTECTS > A nossa saúde > Manter a frescura: descubra como a Europa está a usar soluções naturais para combater as ondas de calor

"Com a minha idade, não quero encontrar-me numa situação de perigo sempre que saio de casa."

Umbelina Martinho

Umbelina, de 72 anos, vive no vale de Ribeira das Vinhas, perto da vila portuguesa de Cascais. A região regista intensas ondas de calor durante o verão, mas a geografia do vale canaliza de forma natural os ventos vindos da montanha, criando um corredor de vento na vila. Com o apoio da UE, as autoridades locais recriaram um caminho para aumentar o fluxo natural de ar frio por todo o vale. 

Mas nem todas as soluções estão no solo, algumas estão também no ar. Os satélites europeus estão a recolher dados meteorológicos para ajudar as comunidades locais a prever e identificar situações de calor extremo. 

Com ajuda da UE, as autoridades locais tomaram medidas para manter a segurança, a frescura e o conforto de habitantes como Umbelina.

Manter a frescura: descubra como a Europa está a usar soluções naturais para combater as ondas de calor

Só na Europa, as ondas de calor provocam mais de 3000 mortes por ano. Desde um trilho natural em Cascais até aos avançados satélites europeus que medem as altas temperaturas em Bolonha, a UE tem vindo a apoiar urbanistas, arquitetos e cientistas que trabalham em soluções locais para responder ao calor extremo. O que está em causa? Milhares de vidas todos os verões, em toda a Europa.

Desloque-se para continuar

Umbelina Martinho

Portugal

"O caminho pelo vale liga-me à cidade, aos meus amigos, às minhas filhas e aos locais onde faço as minhas compras. Antes disso, o caminho era rochoso e coberto de vegetação. Com este novo trilho, posso deslocar-me mais facilmente nos dias de calor."

 

 

 

 

 

 

 

"O vale de Ribeira das Vinhas é um local onde as pessoas da cidade podem refrescar-se em dias de calor."

- Umbelina Martinho

João Dinis

Município de Cascais

Portugal

"O vento do norte e nordeste segue o vale de Ribeira das Vinhas. Com os fundos da UE, plantámos árvores, retirámos rochas do vale e até criámos uma ciclovia para os residentes desfrutarem da vista." 

"Atualmente estamos a partilhar o nosso trabalho sobre gestão de alterações climáticas com autarcas de outras cidades de Portugal e da Europa, como é o caso de Bolonha, em Itália."

"Só no último verão, Cascais passou por quatro ondas de calor!"

- João Dinis

Jean-Noël Thépaut

Francês, Serviço Copernicus de Monitorização das Alterações Climáticas

Reino Unido

"Os nossos satélites têm grande capacidade para avaliar o estado do planeta em tempo real. Para a cidade de Bolonha, criámos diferentes modelos para estimar as mudanças de temperatura em parceria com a região de Emilia-Romagna. Atualmente, estamos à procura de uma solução técnica para que outras cidades e vilas da Europa possam ter acesso a esta forma de investigação." 

 

 

 

 

 

"Os nossos dados de satélite podem ser usados para estudar a evolução das alterações climáticas à escala local." 

- Jean-Noël Thépaut

Giovanni Fini

Município de Bolonha

Itália

"Até 2020, vamos plantar 5000 árvores, instalar 10 telhados verdes em edifícios públicos, e criar mais espaços verdes no centro histórico. Os dados recolhidos por satélite, financiado pela UE, ajudaram-nos a perceber melhor as ondas de calor na nossa região."

"Reunimo-nos e partilhamos estas soluções para o clima e a energia com outras vilas e cidades europeias. Juntos, encontramos maneira de combater a subida das temperaturas."

 

"Se não agirmos de imediato, as ondas de calor em Bolonha irão aumentar."

- Giovanni Fini

Sabia que?

Quente com probabilidade de ficar ainda mais quente

Num mundo que está 2 °C mais quente, os europeus devem contar com ondas de calor graves de 5 em 5 anos (em especial no sul da Europa).

Mais de 250 milhões

O número de pessoas que vive numa vila ou cidade, incluindo Cascais e Bolonha, que estão prontas a combater as alterações climáticas através do Programa Pacto de Autarcas Europeu para o Clima e Energia.

Um olhar de cima

O programa europeu Copernicus que monitoriza o planeta Terra recorre a satélites para obter dados livres e disponíveis para todos. Os indivíduos, as empresas e os serviços públicos podem utilizar estes dados para combater e reverter as alterações climáticas.

Reduzir a pressão do calor

Cultivar plantas nas paredes ou telhados dos edifícios (criando "espaços verdes" ou "telhados verdes") pode reduzir as temperaturas até 10 °C nas zonas mediterrânicas.

180 mil milhões de euros

O valor do orçamento da UE que será gasto entre 2014 e 2020 na proteção do clima, para ajudar a combater o aumento de alterações climáticas como as ondas de calor.

QUEM SÃO OS OUTROS HERÓIS A COMBATER AS ALTERAÇÕES CLIMÁTICAS?

Talvez alguns destes heróis sejam do seu país.

Graças à UE, existe uma rede de heróis locais que trabalham em conjunto para ajudar a proteger os cidadãos europeus do tráfico de droga, radicalização, ataques cibernéticos e muito mais. De investigadores a pilotos, de especialistas em comércio a médicos, descubra como a UE apoia os heróis locais no seu país.