EU PROTECTS > A nossa saúde > Manter o ritmo: como a UE está a tratar os corações com tratamentos modernos

"Pela primeira vez na minha vida, o meu coração bate de forma normal. A operação permitiu-me alcançar um novo horizonte."

Pieter Kappelhof

Pieter, 54 anos, nasceu com uma condição cardíaca que causou um derrame numa das suas válvulas cardíacas. Subir escadas, correr para apanhar um autocarro – o mais pequeno esforço físico era exaustivo. Ainda há poucos anos, receber uma nova válvula cardíaca teria obrigado a cirurgias de seguimento ou à toma de medicação durante o resto da vida. No entanto, uma nova investigação pioneira – financiada pela UE – permitiu aos médicos substituir a válvula cardíaca de Pieter por uma válvula funcional, o que lhe permite viver uma vida ativa e saudável.

Fique a saber mais sobre a história de Pieter e as pessoas que estão a trabalhar numa nova abordagem para oferecer aos pacientes em toda a UE tratamentos médicos mais seguros e eficazes.

Manter o ritmo: como a UE está a tratar os corações com tratamentos modernos

Para a maioria de nós, um coração saudável é um dado adquirido. Mas para muitas pessoas que sofrem de doenças cardíacas, trata-se de um luxo. Ao longo dos últimos seis anos, dois ensaios clínicos financiados pela UE desenvolveram uma válvula cardíaca humana mais duradoura que já melhorou as vidas de muitos pacientes em toda a Europa.

Desloque-se para continuar

Prof Axel Haverich

Universidade Médica de Hannover

Alemanha

"Apesar de a minha pesquisa pessoal sobre transplantes de válvulas cardíacas ter começado há décadas, graças ao apoio da UE, a minha equipa testou uma nova técnica. Começámos a remover as células de válvulas cardíacas de dadores humanos. A expectativa era que a probabilidade de estas células desceluladas serem rejeitadas pelo sistema imunitário humano fosse menor."

"Propusemo-nos testar uma nova técnica de transplante de válvulas cardíacas. Acabámos por fazer uma descoberta significativa."

 - Prof. Axel Haverich

Dr Ramadan Jashari

Banco Europeu de Homoenxertos

Bélgica

"Preparamos, avaliamos, arquivamos e distribuímos válvulas cardíacas humanas para hospitais em toda a Bélgica e noutros países europeus. Trabalhamos em estreita colaboração com as equipas médicas apoiadas pela UE que estudam uma nova técnica de transplantação que envolve válvulas cardíacas doadas. Antes de chegarem a estas equipas, as válvulas são processadas por bancos de tecidos como o nosso e tratadas com novas técnicas por laboratórios especializados como o Corlife."

"Avaliamos as válvulas cardíacas de dadores humanos utilizadas em projetos financiados pela UE."

 - Dr. Ramadan Jashari

Nicolin Heister

Laboratório Corlife

Alemanha

"Os bancos de tecidos como o Banco Europeu de Homoenxertos enviam-nos corações de dadores humanos. Em seguida, removemos as células das válvulas doadas. Este processo tem de ser iniciado no espaço de 100 horas desde o momento em que o coração pára de bater."

"No contexto do programa de investigação financiado pela UE, certas clínicas médicas estão a utilizar as nossas válvulas processadas para testar este novo transplante de válvulas cardíacas."

"Quando recebemos uma válvula cardíaca de dador humano, temos muito pouco tempo para iniciar o processo de "descelularização"."

 - Nicolin Heister

Dr Marta Sitges

Clínica Hospitalar de Barcelona

Espanha

"A minha clínica em Espanha faz parte de um estudo pan-europeu sobre válvulas cardíacas que envolve outros cardiologistas dos Países Baixos, Alemanha, Reino Unido e Itália. A maioria dos pacientes estão a responder de forma muito positiva."

"Com a nova válvula, podem evitar as complicações associadas habitualmente às válvulas que temos vindo a utilizar até agora."

 

"Acompanho os pacientes que participam nos ensaios clínicos para avaliar o funcionamento da válvula após a cirurgia."

 - Dr.ª Marta Sitges

Pieter Kappelhof

Holanda

"Nasci com um derrame na minha válvula aórtica. Se não recebesse um transplante de válvula cardíaca, arriscava-me a sofrer um aneurisma — quando isto acontece, o coração parte-se, por assim dizer, e uma pessoa morre em escassos minutos."

"Recebi a válvula nova no dia 19 de outubro de 2017. E, apesar de terem ocorrido algumas complicações depois disso, agora posso correr, andar de bicicleta e jogar futebol com os meus dois filhos."

"Desde que fui operado, já não me sinto limitado pelo meu coração."

 - Pieter Kappelhof

 

Sabia que?

65,000

O número de substituições de válvulas cardíacas realizadas na Europa todos os anos para tratar doenças das válvulas aórticas adquiridas ou congénitas.

Uma válvula cardíaca "sem células"

As válvulas foram desenvolvidas através do ensaio clínico europeu para a aplicação de válvulas cardíacas regenerativas (ESPOIR) e testadas no projeto ARISE, financiado pela UE, para substituição de válvulas aórticas. Espera-se que diminuam o risco de rejeição de transplante e que durem talvez toda a vida do paciente.

2 projetos financiados pela UE, 1 avanço na colaboração entre nações

Os projetos ESPOIR e ARISE juntaram investigadores, cardiologistas e cirurgiões de sete países europeus (Alemanha, Itália, Bélgica, Holanda, Suíça, Reino Unido e Moldávia).

260

O número de pacientes que receberam a nova válvula (descelulada) ao abrigo do ensaio clínico desde 2012. Depois de os ensaios clínicos serem terminados, a nova válvula cardíaca ficará disponível em toda a Europa. A sua disponibilidade dependerá da decisão de cada país bem como dos regulamentos nacionais.

99%

A percentagem de pacientes com o novo transplante de válvula cardíaca que não requerem cirurgia de substituição. A sua condição será vigiada de perto durante os próximos 10 anos.

7,7 mil milhões de euros

O montante do financiamento de investigação e inovação da UE utilizado em projetos de Saúde, Alterações Demográficas e Bem-estar para 2014-2020. Para além dos transplantes de válvulas cardíacas, estes fundos são atribuídos a Corações Híbridos,, Vida Ativa e Assistida, além de outros.

QUEM SÃO OS OUTROS HERÓIS QUE PROTEGEM A NOSSA SAÚDE?

Talvez alguns destes heróis sejam do seu país.

Graças à UE, existe uma rede de heróis locais que trabalham em conjunto para ajudar a proteger os cidadãos europeus das ameaças para a saúde, dos produtos tóxicos, dos efeitos das alterações climáticas e muito mais. De médicos a especialistas em comércio, de agentes aduaneiros a especialistas no ambiente, descubra como a UE apoia os heróis locais no seu país.