Portal Europeu da Juventude
Informações e oportunidades para os jovens na Europa.

O teu negócio tem pernas para andar?

Se és jovem, criativo(a), tens uma (ou várias ideias) de negócio, mas não sabes por onde começar, nós damos-te um empurrãozinho. Aprende a fazer uma análise SWOT e a dar o primeiro passo num negócio sólido.

Quem nunca ouviu falar em conceitos como “Empreendedorismo”, “empreendedor” ou “empreender”? Atualmente, estas palavras estão muito presentes no nosso quotidiano e são usadas para descrever aqueles que têm visão, que apostam na criatividade, que seguem os seus sonhos e arriscam, que procuram a inovação no dia a dia, que são naturalmente curiosos e resilientes, que se levantam com firmeza depois de uma queda e que aprendem com os seus próprios fracassos. Enfim, aqueles que pensam fora da caixa. Tal como refere João Koehler, “Para ser empreendedor é preciso ter um lado muito louco para arriscar, sair da zona de conforto e não ter medo de errar”. E tu? Estás pronto para arriscar?

Não basta apenas ter uma boa ideia, esta precisa de ser inovadora e, ao sê-lo, facilmente a poderemos transformar numa ideia de negócio viável. Contudo, de nada vale ter uma ideia inovadora, se não houver tempo, investigação adequada e vontade de avançar. Em primeiro lugar é fundamental que saibas responder a questões como: qual o meu projeto? O que pretendo vender ou qual o meu produto/serviço? O que o diferencia de outros produtos/serviços? Quem é o meu público-alvo? Qual é o investimento que tenho de fazer? De que recursos humanos necessito?

Um esquema muito utilizado a nível da gestão, nomeadamente no âmbito do diagnóstico estratégico, e que pode ser também replicado ao nível da criação do próprio emprego, é a análise SWOT. A sigla corresponde às palavras inglesas Strenghts (Pontos fortes), Weaknesses (Pontos fracos), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças) e permite analisar a ideia de dentro para fora e de fora para dentro, com vista à definição de prioridades de atuação. A principal vantagem deste esquema é distinguir com clareza os pontos fracos e as ameaças dos pontos fortes e das oportunidades, de modo a minimizar os primeiros e potenciar os segundos. Auxilia, também, a prever as vendas do produto ou serviço de acordo com o mercado e com as capacidades da empresa. A análise SWOT permite, assim, identificar os fatores externos (ex.: aspetos externos à empresa mas que podem influenciar o negócio como o caso do mercado) e os fatores internos (ex.: aspetos que caraterizam o negócio/produto/serviço face à concorrência) que afetam, neste caso, a viabilidade do negócio. Ao fazeres a análise SWOT e perceberes a relação existente entre os fatores internos e externos, poderás também avaliar o impacto destes no teu negócio/produto/serviço; desta forma, deverás classificar os pontos fortes e fracos, as oportunidades e as ameaças como tendo elevado, médio ou reduzido impacto e, em simultâneo, poderás ainda identificar estratégias que alterem o impacto destes fatores e prevejam a sua alteração a curto, médio ou longo prazo. Para tal, terás de, individualmente ou em grupo, elaborar uma checklist com o objetivo de identificar os aspetos externos (oportunidades e ameaças) e os aspetos internos (pontos fortes e pontos fracos) que contribuem e/ou dificultam a estratégia da empresa/produto ou serviço. Ao nível dos fatores externos, podemos destacar o meio envolvente (economia, demografia, tecnologia, contexto social e cultural), o qual deve ser associado ao tipo de negócio/produto/serviço em questão, o mercado (dimensão e canais de distribuição), a concorrência (em que situação se encontra, o que comercializa, qual o seu posicionamento) e os clientes/consumidores (hábitos de compra e o que valorizam no ato da compra). Quanto aos fatores internos é importante avaliar o marketing e as vendas (produto, preço, distribuição, comunicação/imagem, pontos de venda), a área financeira (rentabilidade económica e financeira, prazo médio de recebimentos e pagamentos), a área das compras (grau de dependência dos fornecedores, custo da embalagem, qualidade da matéria prima e gestão de stocks), a área dos recursos humanos (funções do posto de trabalho, número de recursos humanos, recursos humanos orientados para o cliente), bem como a área de produção (prazos, economia de escalas, instalações e equipamentos).

O quadro abaixo sintetiza a informação que deves considerar relativamente aos fatores internos e externos, que influenciam a estratégia da empresa.

 

Pontos Fortes

Pontos Fracos

Aspetos

internos

 

Vantagens internas da empresa ou produto(s)/serviço(s) em relação aos seus principais concorrentes.

 

Desvantagens internas da empresa ou produto(s)/serviço(s) em relação aos seus principais concorrentes.

 

Oportunidades

Ameaças

Aspetos externos

 

 

Aspectos positivos da envolvente, com impacto significativo no negócio da empresa.

 

Aspectos negativos da envolvente, com impacto significativo no negócio da empresa.

 

Tal como podes ver, a análise SWOT é uma ferramenta muito útil para auxiliar as tuas aventuras na área do empreendedorismo, quer estejas a dar os primeiros passos no mundo empresarial, quer já tenhas uma empresa e necessites de reajustar a tua estratégia às novas exigências do mercado. 

Publicado: qui, 29/12/2016 - 18:12


Tweet Button: 

New!


Info for young people in the western balkans

Precisas de aconselhamento especializado?

Pergunta-nos!