Percurso de navegação

Actualização : 01/10/2014

vehicles

Validade do seguro automóvel

Sou residente noutro país da UE

O seu seguro automóvel no país para onde se mudou

Deve registar o seu veículo no país onde normalmente vive.

Quando do registo do veículo, tem de apresentar uma prova de que tem um seguro.

As autoridades devem aceitar uma apólice com qualquer companhia de seguros:

  • que tenha a sua sede ou uma sucursal no país em questão
  • sem sucursal nesse país mas autorizada a prestar serviços no mesmo

Informe-se junto da sua companhia de seguros sobre se o seu contrato atual será válido no país para onde se vai mudar.

Fazer um novo seguro no estrangeiro

Se o seu contrato atual não for válido no país para onde vai viver, contacte o gabinete da carta verde/centro de informação nacional para ficar a saber quais as seguradoras que oferecem seguros automóvel nesse país.

Registo de sinistros

Pode pedir à sua seguradora, a qualquer momento, o registo dos sinistros que declarou. Esta deve entregar-lho no prazo de 15 dias.

Contudo, se fizer um seguro automóvel noutro país da UE, a nova seguradora não é obrigada a ter em conta no cálculo do prémio o seu registo de sinistros (nem quaisquer reduções a que este lhe possa dar direito).

É, no entanto, provável que algumas seguradoras se prontifiquem a ter em conta o seu registo, pelo que vale a pena comparar as várias ofertas.

Experiência pessoal

O seguro que fiz no meu país é válido no país para onde vou viver?

Lazlo mudou-se da Eslovénia para o Reino Unido e levou consigo o seu carro que tem um seguro esloveno normal.

Quando chegou ao Reino Unido, contactou as autoridades para registar o carro e ficar a saber se podia conduzir o automóvel com o seguro esloveno. Se não, teria de fazer um novo seguro no Reino Unido.

Tenho um bom registo de sinistros no meu país. Porque é que a minha nova seguradora me exige um prémio mais alto?

Rosa mudou-se recentemente de Itália para França. Como conduzia há 10 anos sem qualquer sinistro, o prémio do seu seguro italiano era relativamente baixo.

Várias seguradoras francesas recusaram-se a ter em conta o seu registo de sinistros em Itália. Rosa não desisitiu e acabou por encontrar uma companhia de seguros disposta a ter em conta o seu registo de sinistros e que lhe propôs um prémio mais baixo.

Sou um turista

O seguro feito no seu país de residência cobre-o em toda a UE se for responsável por lesões corporais de outras pessoas.

A chapa de matrícula do seu carro é a prova  de que tem um seguro de responsabilidade civil. Por conseguinte, normalmente, a polícia de outro país não o mandará parar só para verificar se tem seguro. 

É claro que é melhor trazer sempre consigo os papéis do seguro, o que lhe evitará complicações desnecessárias se tiver um acidente ou for mandado parar pela polícia.

Experiência pessoal

No seu interesse, traga sempre consigo os papéis do seguro

Ronaldo foi mandado parar por excesso de velocidade em França. Como não tinha os papéis de seguro consigo, a polícia exigiu que telefonasse à sua seguradora em Portugal para provar que tinha o seguro em dia.

Apesar de não ser obrigatório, ter sempre à mão os papéis do seguro é a melhor forma de provar que  está coberto e pode poupar-lhe tempo e dinheiro em caso de problemas no estrangeiro.

Ajuda e aconselhamento

Ajuda e aconselhamento

Não encontrou a informação que procura? Necessita de ajuda para resolver um problema?

Aconselhe-se sobre os seus direitos na UE

Resolva os seus problemas com a administração pública

Footnote

Neste caso, os 27 países da UE + Islândia, Liechtenstein e Noruega.

Retour au texte en cours.

Neste caso, os 27 países da UE + Islândia, Liechtenstein e Noruega.

Retour au texte en cours.