Percurso de navegação

Partilhar no 
	Partilhar no Facebook 
  
	Partilhar no Twitter
  
	Partilhar no google+
  
	Partilhar no linkedIn

Universidade

Actualização : 18/02/2014

Propinas e apoio financeiro

Propinas e bolsas de estudo

As propinas universitárias variam consideravelmente na Europa, sendo o acesso ao ensino superior gratuito em alguns países da UE e bastante dispendioso noutros. A concessão de apoio financeiro sob a forma de bolsas de estudo, subvenções e empréstimos também depende de diferentes critérios.

Sistemas de propinas e de bolsas

Enquanto cidadão europeu que frequenta uma universidade noutro país da UE:

  • não podem ser-lhe exigidas propinas mais caras
  • tem direito à mesma bolsa para pagar as propinas que os cidadãos do país de acolhimento

Esta igualdade de tratamento não se aplica necessariamente aos empréstimos nem às bolsas de apoio ou de subsistência. Alguns países decidem, porém, por iniciativa própria, conceder bolsas de subsistência a estudantes estrangeiros.

Estudantes estrangeiros já residentes

Ainda que não seja nacional do país onde pretende estudar, se residir nesse país há, pelo menos, cinco anos, tem direito a uma bolsa de subsistência nas mesmas condições previstas para os cidadãos do país em causa.

Apoio financeiro por país

A Comissão Europeia não é responsável pelo conteúdo dos sítios Web a que esta página dá acesso.

Informações sobre propinas e bolsas para estudantes estrangeiros

Selecione um país:

Consulte e compare os principais tipos de apoio financeiro e bolsas de estudo concedidos nos países da UE (e noutros países).

Para obter informações sobre bolsas para estudar no estrangeiro, também pode contactar o Ministério da Educação do seu país.

Se decidir estudar no estrangeiro, é possível que o seu país lhe conceda uma bolsa de subsistência. A decisão dependerá das autoridades nacionais, que poderão conceder esse tipo de bolsas apenas durante um período limitado de tempo.

Experiência pessoal

Verifique as condições aplicáveis às bolsas de estudo no seu país

Depois de ter estudado quatro anos nos Estados Unidos, John, que é dinamarquês, decidiu fazer um Master de dois anos no Reino Unido. Nessa altura, o governo dinamarquês concedia aos estudantes dinamarqueses bolsas de subsistência por um período máximo de seis anos. Esse período era, no entanto, reduzido para quatro anos, caso os estudos se efetuassem noutro país. John não estava ao corrente desta condição. Assim, como já tinha recebido uma bolsa durante quatro anos nos Estados Unidos, deixou de ter qualquer apoio financeiro para estudar no Reino Unido.

Precisa de ajuda?

Precisa de ajuda?

Não encontrou a informação que procura? Necessita de ajuda para resolver um problema?