Navigation path

Left navigation

Additional tools

Comissão Europeia - Declaração

Vacinação: lutemos contra a desinformação! Declaração do vice-presidente Jyrki Katainen por ocasião da Semana Europeia da Vacinação

Bruxelas, 26 de abril de 2019

A vacinação é uma das medidas mais bem sucedidas de sempre em matéria de saúde pública. Para além de prevenirem doenças e salvarem vidas, as vacinas reduzem os custos dos cuidados de saúde. O êxito das vacinas foi sistematicamente comprovado ao longo dos últimos duzentos anos e contra factos, não há argumentos. Infelizmente, quem lê as notícias apercebeu-se sem dúvida de títulos que nos deixam perplexos sobre o aumento nos últimos anos de surtos de doenças evitáveis pela vacinação, com consequências graves para a saúde e, por vezes, mortes que se poderiam prevenir. Este ano, a Organização Mundial de Saúde incluiu a desinformação nas 10 ameaças mais graves em matéria de saúde pública. Mas significa isto que a confiança na ciência está a diminuir?

Temos algumas boas notícias a este respeito: de acordo com o primeiro Eurobarómetro sobre as atitudes perante a vacinação hoje publicado, 85% dos cidadãos da UE consideram que a vacinação é uma forma eficaz de prevenir doenças infecciosas, de nos protegermos a nós próprios e de proteger os outros. A imunidade de grupo é crucial, sobretudo para quem tenha um sistema imunitário frágil e não possa ser vacinado. A título de exemplo, as crianças sobreviventes de cancro não devem ser postas em risco pelo facto de outras crianças não estarem vacinadas.

O Eurobarómetro revela igualmente que cerca de metade dos cidadãos da UE foram vacinados nos últimos cinco anos e que uma vasta maioria (79 %) consulta um profissional de saúde, em quem confia, para obter informações sobre vacinação.

Estes últimos dados vêm corroborar que a iniciativa da Comissão, juntamente com a Coligação dos Trabalhadores do Setor da Saúde, nos pôs no bom caminho para aumentarmos a sensibilização de forma eficaz. Este foi apenas o primeiro resultado da recomendação recentemente adotada pelo Conselho sobre o reforço da cooperação no domínio do combate contra as doenças que podem ser prevenidas por vacinação e não vamos ficar por aqui.

No entanto, há também conclusões preocupantes: 48 % dos europeus acreditam — incorretamente — que as vacinas podem muitas vezes produzir efeitos secundários graves e 38 % pensam que as vacinas podem provocar as doenças contra as quais conferem proteção.

Isto significa que o nosso trabalho com vista a aumentar a cobertura vacinal e combater a desinformação está longe de estar concluído. Continuaremos a implementar todas as ações previstas na Recomendação do Conselho sobre o reforço da cooperação contra as doenças que podem ser prevenidas por vacinação e apraz-me anunciar que a Comissão e a OMS vão organizar uma Cimeira Mundial da Vacinação que terá lugar em Bruxelas, em 12 de setembro de 2019. Esta é uma mensagem inequívoca de apoio político sobre os benefícios da vacinação, a importância de prosseguir a investigação a fim de obter melhores vacinas e a necessidade de garantir a igualdade de todos no acesso às vacinas. Por último, a nossa solidariedade a nível mundial e as nossas medidas decisivas contra a desinformação no que respeita a vacinas são fundamentais. Unamos, pois, os nossos esforços de sensibilização em torno de um facto simples: as vacinas funcionam!

 

Contexto

Ler os resultados do Eurobarómetro aqui.

Vacinação - Síntese

STATEMENT/19/2254

Contactos para a imprensa:

Perguntas do público em geral: Europe Direct pelo telefone 00 800 67 89 10 11 ou por e-mail


Side Bar