Navigation path

Left navigation

Additional tools

Comissão europeia

Declaração

Bruxelas, 19 agosto 2014

Declaração da Comissária da UE Kristalina Georgieva no Dia Mundial da Ajuda Humanitária 2014

O Dia Mundial da Ajuda Humanitária é celebrado anualmente em memória das vítimas do atentado à sede das Nações Unidas em Bagdade, em 2003, que resultou na morte de 22 pessoas, incluindo o Representante Especial das Nações Unidas no Iraque, Sérgio Vieira de Mello.

Kristalina Georgieva, Comissária Europeia responsável pela Cooperação Internacional, Ajuda Humanitária e Resposta a Situações de Crise, encontra-se no Iraque, onde a Comissão está a prestar assistência vital a centenas de milhares de civis encurralados pelos combates. A Comissária fez a seguinte declaração:

«O Dia Mundial da Ajuda Humanitária é uma ocasião para prestar homenagem às pessoas que arriscam a sua vida todos os dias para ajudar as vítimas da guerra e de catástrofes em todo o mundo e é também uma oportunidade para chamar a atenção para os desafios humanitários que enfrentamos.

Estes desafios são óbvios aqui no Iraque. Centenas de milhares de pessoas necessitam desesperadamente de ajuda. Mas o acesso a essas pessoas está a ser cada vez mais dificultado pela escalada do conflito. Para os trabalhadores humanitários, a situação alterou-se completamente - tanto aqui como em todo o lado.

O número crescente de conflitos e a sua natureza em constante evolução estão a tornar o nosso mundo cada vez mais frágil. No Médio Oriente, estamos a assistir a níveis de violência horríveis, em que não se vislumbra um fim do sofrimento das populações civis inocentes. Em África, desde o Mali na parte ocidental até à Somália na parte oriental, passando pelo norte da Nigéria, a República Centro-Africana e o Sudão do Sul, há milhões de civis comprimidos numa faixa de conflitos alimentados por ódios étnicos e religiosos. A prestação de apoio e assistência a crianças, mulheres e idosos vulneráveis está a tornar se cada vez mais difícil.

E estes desafios estão a tornar o trabalho dos trabalhadores humanitários cada vez mais perigoso. O número de ataques contra eles quadruplicou desde 2003. No ano passado, foram mensalmente mortos, em média, doze trabalhadores humanitários e raptados mais de dez. Todas as semanas têm sido atacados e feridos 3 trabalhadores humanitários.

Com o impacto combinado das alterações climáticas, do rápido crescimento demográfico em lugares como o Sael e da vaga crescente de extremismos, iremos inevitavelmente assistir a um maior nível de conflitos, fome e pessoas forçadas a abandonar as suas casas e os seus meios de subsistência.

Vivemos num mundo em que a fragilidade impera e por isso precisamos de centrar mais a nossa atenção nos desafios com que nos vemos confrontados: pelas vítimas das guerras e catástrofes e também pelas mulheres e homens corajosos que põem a sua vida em perigo para os ajudar».

Para mais informações

MEMO/14/500: Dia Mundial da Ajuda Humanitária: Violência crescente contra trabalhadores humanitários (World Humanitarian Day 2014: More and more violence towards humanitarians):

Sítio Internet do Serviço de Ajuda Humanitária e Proteção Civil da Comissão Europeia (ECHO):

http://ec.europa.eu/echo/index_en.htm

Sítio Web da Comissária Europeia responsável pela Cooperação Internacional, Ajuda Humanitária e Resposta a Situações de Crise, Kristalina Georgieva:

http://ec.europa.eu/commission_2010-2014/georgieva/index_en.htm

Contactos :

David Sharrock (+32 2 296 89 09)

Irina Novakova (+32 2 295 75 17)

Para o público: contacte o serviço Europe Direct por telefone (00 800 6 7 8 9 10 11) ou por correio eletrónico


Side Bar