Chemin de navigation

Left navigation

Additional tools

Speech: Intervención del President Barroso en la Ceremonia de Clausura de la Cumbre EU-CELAC de Santiago

Commission Européenne - SPEECH/13/99   27/01/2013

Autres langues disponibles: aucune

Comisión Europea

José Manuel Durão Barroso

Presidente de la Comisión Europea

Intervención del President Barroso en la Ceremonia de Clausura de la Cumbre EU-CELAC de Santiago

Ceremonia de Clausura de la Cumbre EU-CELAC

Santiago de Chile ,27 Enero 2013

Reitero mi mayor gratitud al pueblo y al Gobierno Chilenos por su amable acogida en la hermosa ciudad de Santiago y por la excelente organización de esta cumbre.

Esta Cimeira confirmou a importância e centralidade da relação entre a Europa e a América Latina e as Cariabas, não apenas para as duas regiões, mas também para o resto do mundo.

As nossas duas regiões representam más de mil milhões de pessoas, cerca de um terço dos estados membros das Nações Unidas, um quarto do PIB mundial e quase metade dos membros do G20.

Juntos podemos fazer a diferença na discussão das grandes questões que afectam o mundo.

Somos parceiros naturais, partilhamos valores e interesses comuns, temos uma cultura e uma história que nos une e estamos a construir uma comunidade de destino. Não por fatalidade, não apenas por necessidade, mas por opção e por convicção.

A América Latina e as Caraíbas estão a passar por grandes transformações e a experimentar um impressionante desenvolvimento económico e social.

A União Europeia felicita-se por este facto pois tem estado ao lado do continente americano nos grandes desafios que tem enfrentado, a consolidação da democracia, a promoção dos direitos humanos, o combate contra a insegurança e o crime transnacional ou a protecção contra os impactos das alterações climáticas. A nossa parceria estratégica tem já 14 anos.

Não somos parceiros apenas quando está bom tempo. Somos parceiros para todas as estações.

Por isso vemos com satisfação os grandes avanços sociais e económicos que se registaram nesta região na última década. E se os principais responsáveis desta transformação são os países latino-americanos e caribenhos, creio que posso afirmar que a União Europeia também deu um importante contributo.

Por exemplo através da nossa cooperação para o desenvolvimento. A União Europeia é o maior parceiro da ALC em cooperação para o desenvolvimento.

No período 2007-2013 a assistência europeia à região elevar-se-á a 3 mil milhões de euros. Este montante permitiu financiar projectos nas áreas da educação, sociedade da informação, ambiente, alterações climáticas ou apoio às PMEs.

Cerca de 30% da nossa cooperação tem financiado acções para combate ao tráfico de droga. Trata-se de um problema global que a todos afecta e que mina as nossas sociedades e a nossa juventude. Mantemos por isso o compromisso para continuar a combatê-lo bilateralmente e no âmbito das NU

A nova realidade na região vai implicar ajustamentos à nossa assistência, pois para a grande maioria dos casos já não faz sentido manter ajuda tradicional para o desenvolvimento, mas sim iniciar uma verdadeira cooperação. Vamos fazer por isso uma alteração qualitativa na nossa relação, mas o compromisso vai-se manter.

Estes dois dias permitiram cimentar as nossas relações. Gostaria de salientar algumas das pertinentes conclusões a que chegamos sobre o tema central da cimeira.

Estamos de acordo que o comércio e investimentos têm um grande potencial para assegurar o desenvolvimento sustentável e para fomentar o crescimento económico e a criação de emprego nas nossas regiões.

Por esse motivo o compromisso para a aplicação de medidas que promovam o comércio e investimento entre os países da CELAC e da UE é particularmente pertinente no presente contexto económico.

A Declaração de Santiago e Plano de Acção adoptados contêm importantes orientações no âmbito da promoção de investimentos de qualidade social e ambiental na Europa e América Latina e Caraíbas.

Ficou clara também a importância da segurança como pré-requisito para investimentos. Segurança dos bens e dos investimentos. Para tal são necessários quadros legislativos e regulamentares estáveis, previsíveis e transparentes.

E se a segurança jurídica é importante para os investidores, a qualidade é importante para os receptores desse investimento. Os países de destino têm o direito de esperar um investimento que crie postos de trabalho e que respeite e integre os três pilares do desenvolvimento sustentável, o económico, o social e o ambiental.

También hemos hablado sobre la importancia de los principios de la Responsabilidad Social Empresarial y hemos reconocido la importancia de fortalecer el sistema de comercio multilateral.

Los aspectos de innovación y capital humano han estado también presentes en nuestras deliberaciones.

Aprovecho pues esta ocasión para resaltar la relevancia de la Iniciativa Conjunta UE-CELAC para el Desarrollo y la Innovación y del Área Conjunta de Conocimiento que mejora el capital humano en nuestros países. Programas como EuroSociAL, Alfa y Erasmus Mundus contribuyen a ello.

Y quería también subrayar el trabajo de la Fundación UE-LAC en estimular la participación de nuestra sociedad civil en apoyo al proceso de relaciones bi-regionales.

Lo que hemos discutido estos dos días aquí no es solamente una cuestión de mercados, sino de modelos, económicos, sociales, políticos.

Europa y América Latina y Caribe son las dos regiones del mundo donde hay más democracias.

Y eso es lo que nuestra relación puede ofrecer a la comunidad internacional. Un modelo basado en el respeto de los principios y valores fundadores de ambas regiones. Un modelo de desarrollo sostenible, basado en la persona humana y en el respecto por las normas sociales y ambientales.

Porque en el mundo de hoy el tamaño es importante, pero son los valores que hacen toda la diferencia.

Si añadimos a nuestros valores compartidos una cultura común y, lo más importante, una voluntad de trabajar en común, tenemos los ingredientes necesarios para seguir consolidando la comunidad de destino que es el espacio europeo-latino-americano y caribeño.

Porque como nos recordaba Octavio Paz, nuestras relaciones “no son tanto una tradición que continuar, como un futuro que realizar”.

Muchas gracias, obrigado, thank you!


Side Bar

Mon compte

Gérez vos recherches et notifications par email


Aidez-nous à améliorer ce site