Navigation path

Left navigation

Additional tools

José Manuel Durão Barroso Presidente da Comissão Europeia Declarações à imprensa do Presidente Durão Barroso após a Cimeira UE-Brasil Cimeira EU-Brasil Bruxelas, 4 de Outubro de 2011

European Commission - SPEECH/11/630   04/10/2011

Other available languages: EN

SPEECH/11/630

José Manuel Durão Barroso

Presidente da Comissão Europeia

Declarações à imprensa do Presidente Durão Barroso após a Cimeira UE-Brasil

Cimeira EU-Brasil

Bruxelas, 4 de Outubro de 2011

Esta foi a quinta cimeira União Europeia – Brasil, mas a primeira com a Presidenta Dilma Rousseff. É um grande prazer recebê-la aqui em Bruxelas e aprofundarmos esta relação que é já uma excelente relação. Mas como dissemos durante a reunião, julgo que é altura de pensarmos em passar da parceria estratégica para a cumplicidade estratégica.

A União Europeia e o Brasil são parceiros estratégicos naturais. Partilhamos valores e objectivos comuns, alicerçados numa herança histórica e cultural que nos permite unir esforços para lidar não apenas com desafios bilaterais, mas também com desafios globais, sejam eles a crise financeira, as alterações climáticas ou o desenvolvimento sustentável.

É significativo que na reunião de cúpula de hoje tivéssemos passado a maior parte do tempo a discutir alguns destes desafios globais: O próximo G20, onde temos posições muito semelhantes; mas também os grandes encontros em matéria de clima e desenvolvimento, nomeadamente a reunião de Durban no final deste ano e esse grande acontecimento que será o Rio + 20 no próximo ano, onde queremos trabalhar para avançar com a agenda do desenvolvimento, ao mesmo tempo que avançamos com a agenda do ambiente e da protecção do clima.

Nós na Europa vemos o Brasil como potencia, como uma mais-valia para a Europa e para o Mundo. Neste contexto internacional em grande transformação, nós vemos o Brasil actuante como algo que pode reforçar o esforço global para a resolução destes problemas globais. Acreditamos numa ordem internacional mais justa. Acreditamos numa ordem multilateral. E, hoje, durante as nossas discussões, vimos esse grande nível de convergência de pontos de vista.

Em termos mais concretos, , queria sublinhar que adoptámos um novo Plano de Acção Conjunto para os próximos três anos. Este novo Plano visa: 1) promover uma maior convergência entre a União Europeia e o Brasil em algumas questões chave onde já temos diálogo estruturado e onde vamos desenvolver esse diálogo a novas áreas; 2) e também reforçar o nosso diálogo político, abrindo-o a áreas de interesse comum.

Mas para além da qualidade deste diálogo político é importante sublinhar o aspecto da relação entre os cidadãos, que está contemplado no acordo “50.000 turistas” que acabou de ser assinado e que constitui uma experiência piloto . É importante sublinhar também a multiplicidade de contactos culturais – e vamos ter hoje aqui um grande acontecimento que é a Europalia.Brasil – mas também aquilo que podemos fazer em termos de ensino, de educação, e de ciência.

Discutimos a iniciativa da Presidenta Dilma Rousseff para "Ciência sem Fronteiras", a forma de alargar as oportunidades que existem para os estudantes brasileiros virem para a Europa. Eu queria dizer aos estudantes brasileiros que são bem vindos na Europa. Já temos hoje programas importantes com o Brasil. O Brasil é um dos nossos parceiros fora da Europa que mais participa nos programas de investigação europeus e em programas de intercâmbio como o programa Erasmus Mundus ou o programa Marie Curie. Mas estamos agora disponíveis para trabalhar com o Brasil de modo a garantir essa vinda de mais estudantes brasileiros para a Europa.

Julgo que este é um exemplo concreto que permite ver que esta relação não é apenas uma relação política, ou diplomática, ou económica, é também uma relação entre pessoas, é também uma relação que envolve, mobiliza e entusiasma as nossas sociedades.

Um domínio concreto da maior importância é o acordo União Europeia-Mercosul. Penso que é um daqueles acordos que poderá permitir grandes ganhos políticos e económicos para as nossas duas regiões. A UE é já hoje o principal parceiro comercial do Brasil e o principal investidor no Brasil. Gostava de sublinhar que o Mercosul é destino de mais investimento directo europeu do que a Rússia, a China e a Índia em conjunto. Estou a dizer isto porque mesmo aqui na Europa não se tem muitas vezes esta noção de como é importante já hoje a relação económica entre a UE e o Mercosul. Por isso penso que seria importante chegarmos a um acordo ambicioso e equilibrado entre a UE e o Mercosul, um acordo que salvaguarde, obviamente, interesses específicos e domínios mais sensíveis que existem de ambos os lados. Verifiquei com prazer que essa é também a vontade firme da Presidenta do Brasil e do Brasil.

Por isso foi uma cimeira muito, muito positiva que conheceu também um diálogo franco, aberto, completamente livre como é próprio entre amigos e parceiros sobre as questões da ordem internacional.

Por isso queria também agradecer à Presidenta Dilma Rousseff o espírito com que veio a esta reunião de cúpula. Agradecer à fortíssima delegação de alto nível brasileira que esteve connosco e dizer que é um prazer trabalhar com o Brasil e julgo que há aqui um potencial imenso a explorar para bem dos nossos povos.

Queria terminar com uma observação muito pessoal. Fiquei muito impressionado com aquilo que a Presidenta Dilma Rousseff disse sobre a União Europeia do ponto de vista dos valores e do que ela significa para o mundo. É importante ser conhecido que o Brasil e a União Europeia podem fazer no mundo coisas muito importantes. E verifiquei que há no Brasil, ao mais alto nível, o reconhecimento da história da União Europeia e do que ela pode significar também para o mundo. Por isso, queria agradecer à senhora Presidenta.


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website