Navigation path

Left navigation

Additional tools

Viviane Reding, Comissária europeia responsável pela Justiça, lança um desafio aos líderes empresariais com vista a aumentar a participação das mulheres nos conselhos de administração das empresas, o «Compromisso europeu pelas mulheres na administração das empresas»

European Commission - MEMO/11/124   01/03/2011

Other available languages: EN FR DE DA ES NL IT SV FI EL CS ET HU LT LV MT PL SK SL BG RO

MEMO/11/124

Bruxelas, 1 de Março de 2011

Viviane Reding, Comissária europeia responsável pela Justiça, lança um desafio aos líderes empresariais com vista a aumentar a participação das mulheres nos conselhos de administração das empresas, o «Compromisso europeu pelas mulheres na administração das empresas»

Na sequência de reuniões realizadas hoje com líderes empresariais e parceiros sociais sobre as mulheres nos lugares de decisão (ver IP/11/242), Viviane Reding, Comissária europeia responsável pela Justiça, desafiou publicamente as empresas cotadas na Europa a assinar o «Compromisso europeu pelas mulheres na administração das empresas» até ao final de Março de 2012. Trata-se de um compromisso voluntário a assumir pelas empresas cotadas na bolsa que visa aumentar a participação das mulheres nos conselhos de administração das empresas para 30 % até 2015 e para 40 % até 2020 (ver anexo). O compromisso está disponível para ser assinado por todas as empresas europeias cotadas na bolsa.

«Tive um primeiro debate construtivo com os líderes empresariais para conhecer as suas opiniões sobre o aumento da participação das mulheres nos conselhos de administração da Europa», afirmou a Vice-Presidente Viviane Reding, Comissária europeia responsável pela Justiça. «Embora alguns líderes empresariais considerem indispensável uma intervenção por via regulamentar - como ocorreu na Noruega, França e Espanha - outros consideram as iniciativas de auto-regulação prometedoras. Os debates entre os serviços da Comissão e os representantes dos parceiros sociais revelaram que temos posições semelhantes».

«O reforço da participação das mulheres nos conselhos de administração pode tornar as empresas mais rentáveis e estimular o crescimento económico sustentável».

«Nos próximos 12 meses vamos dar uma última oportunidade à auto‑regulação. Esperamos que as empresas sejam criativas, para evitar que as entidades reguladoras tenham de o ser».

«Para mim, o que conta são os resultados. O objectivo é fazer com que a participação das mulheres nos conselhos de administração das principais empresas europeias cotadas na bolsa aumente para 30 % em 2015 e para 40 % até 2020.»

«Lanço um apelo às empresas cotadas de toda a Europa para que assinem o «Compromisso europeu pelas mulheres na administração das empresas» e desenvolvam as suas próprias estratégias credíveis para colocar mais mulheres nos cargos de topo».

«Daqui a um ano, no Dia Internacional da Mulher (8 de Março de 2012), a Comissão avaliará se houve progressos significativos e se foram adoptadas iniciativas de auto-regulação credíveis para aumentar a participação das mulheres nos cargos de decisão. Se tal tiver acontecido até Março de 2012, o mundo empresarial europeu estará de parabéns. Caso contrário, podem contar com a nossa criatividade regulamentar».

A Vice-Presidente da Comissão Europeia, Viviane Reding e Gertrude Tempel‑Gugerell, Membro da Comissão Executiva do Banco Central Europeu, presidiram à reunião de hoje entre a Comissão, os líderes empresariais – directores‑gerais executivos e presidentes de conselhos de administração - e os parceiros sociais. Esta reunião é o primeiro passo no sentido de um melhor equilíbrio entre homens e mulheres nos conselhos de administração e nos quadros superiores das maiores empresas europeias. Os novos números apresentados hoje pela Comissão revelam que só 12 % dos membros dos conselhos de administração das maiores empresas europeias são mulheres e que em 97 % dos casos os conselhos de administração são presididos por homens. Nos últimos anos os progressos têm sido muito lentos: ao longo dos últimos sete anos, a proporção de mulheres membros de conselhos de administração na UE aumentou pouco mais de meio ponto percentual por ano. A este ritmo, se não forem tomadas medidas, serão necessários mais de 50 anos até se atingir um equilíbrio razoável (ou seja, 40 % de pessoas de cada sexo) nos conselhos de administração. Entretanto, as empresas europeias cotadas estão a desperdiçar os talentos femininos.

Os Estados-Membros e as empresas adoptaram várias medidas para resolver a situação, desde medidas «não vinculativas», como os códigos de conduta empresarial, até pacotes legislativos, nomeadamente para determinar quotas por género.

O «Compromisso europeu pelas mulheres na administração das empresas» está disponível no sítio Web da Vice-Presidente Reding. Este compromisso vai ajudar a acompanhar a forma como as empresas desenvolvem esforços para aumentar o número de mulheres nos lugares de topo. Qualquer empresa cotada na bolsa pode assinar a declaração de compromisso e dar assim um bom exemplo. Dentro de um ano, a Comissão Europeia irá reavaliar a situação e decidir os próximos passos a dar.


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website