Navigation path

Left navigation

Additional tools

Other available languages: EN FR DE

Comissão Europeia - Comunicado de imprensa

Comissão compromete-se a disponibilizar 100 milhões de Euros para ajudar Moçambique a recuperar dos ciclones Idai e Kenneth

Bruxelas, 3 de junho de 2019

A UE vai disponibilizar 100 milhões de Euros para ajudar Moçambique a recuperar dos efeitos devastadores dos ciclones Idai e Kenneth, que atingiram o país em março e abril deste ano. O Comissário responsável pela Cooperação Internacional e Desenvolvimento, Neven Mimica fez esta declaração em 1 de junho, durante a conferência internacional de doadores realizada na Beira, uma das regiões mais fustigadas pelos ciclones.

O Comissário responsável pela Cooperação Internacional e o Desenvolvimento, Neven Mimica, declarou o seguinte: «A União Europeia é fundada na solidariedade: solidariedade entre os Estados-Membros e solidariedade com os países parceiros em todo o mundo. É por isso que estou aqui hoje, em Moçambique, para anunciar que a UE vai mobilizar 100 milhões de Euros para apoiar o país nos seus esforços para recuperar e reconstruir as infraestruturas e fortalecer a resiliência. Iremos igualmente apoiar o Maláui e o Zimbabué, também afetados pelos ciclones.»

Durante a sua visita, o Comissário Mimica encontrou-se com o Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, tendo visitado também o Hospital Centra da Beira.

Contexto

O ciclone Idai foi um das piores desastres climáticos da África Austral. Quando atingiu a região, em março, provocou inundações, deslizamentos de terra e ventos fortes, afetando quase três milhões de pessoas e causando quase 1 000 mortes em Moçambique, no Maláui e no Zimbabué. No dia 25 de abril, um segundo desastre, o ciclone tropical de categoria quatro, Kenneth, atingiu a parte norte de Moçambique, afetando cerca de 300 000 pessoas em Cabo Delgado e deixando 40 mortos 20 000 casas destruídas.

A extensão total do impacto dos ciclones Idai e Kenneth e as necessidades de reconstrução estão documentados numa avaliação de necessidades pós-desastre. Esta avaliação foi coordenada pelo Governo de Moçambique, em colaboração com os parceiros de desenvolvimento, nomeadamente a União Europeia, o Banco Mundial, as Nações Unidas e o Banco Africano de Desenvolvimento. As necessidades de recuperação nas sete províncias atingidas pelos dois ciclones são de 3,2  mil milhões de dólares americanos.

A UE já mobilizou cerca de 17 milhões de euros em ajuda humanitária após esta catástrofe para Moçambique (10 milhões de Euros), o Zimbabué (4,5 milhões de Euros) e o Maláui (mais de 2 milhões de Euros ). Além disso, a UE irá providenciar um financiamento de 10 milhões de euros ao Zimbabué para cobrir as necessidades alimentares e não alimentares essenciais das populações mais severamente afetadas. O Mecanismo de Proteção Civil da Uniã também foi ativado para Moçambique, onde nove Estados-Membros (Áustria, Dinamarca, França, Alemanha, Itália, Luxemburgo, Portugal, Espanha e Reino Unido) forneceram assistência humanitária inicial crucial. No Maláui está em curso uma avaliação das necessidades.

Durante a Conferência Internacional de Doadores de 1 de junho, o Banco Europeu de Investimento anunciou 100 milhões de Euros em empréstimo concessionários a Moçambique.

Para informações complementares

Apoio da UE ao ciclone Idai em abril de 2019

Cooperação da UE com Moçambique

Delegação da UE em Moçambique

 

 

IP/19/2791

Contactos para a imprensa:

Perguntas do público em geral: Europe Direct pelo telefone 00 800 67 89 10 11 ou por e-mail


Side Bar