Navigation path

Left navigation

Additional tools

Comissão Europeia - Comunicado de imprensa

Eurobarómetro standard, outono de 2018: UE afirma imagem positiva na véspera das eleições europeias

Bruxelas, 21 de dezembro de 2018

Pela primeira vez, a maioria dos cidadãos europeus considera que a sua voz conta na UE, segundo um novo inquérito Eurobarómetro publicado hoje. Aumenta o número de cidadãos europeus que têm uma imagem positiva da UE.

O apoio à União Económica e Monetária continua a ser forte e atinge um novo pico na área do euro.

Estes são alguns dos principais resultados do último inquérito Eurobarómetro Standard realizado entre 8 e 22 de novembro e publicado hoje.

1. Aumento dos indicadores políticos positivos.

Pela primeira vez desde que a pergunta foi feita, uma grande parte dos cidadãos europeus considera que «a sua voz conta na UE» (49 %, +4 pontos percentuais desde a primavera de 2018), ao passo que 47 % discordam (-2 desde a primavera de 2018), e 4 % (-2) afirmam que «não sabem». Em 16 Estados-Membros da UE, há consenso entre a maioria dos inquiridos, que acredita que a sua voz conta na União Europeia, sendo as percentagens mais elevadas as da Dinamarca (73 %), da Suécia (71 %) e da Alemanha (70 %).

43 % dos cidadãos europeus têm uma imagem positiva da UE (+3 pontos percentuais em relação à primavera de 2018) – o que representa o nível mais elevado desde o outono de 2009. Mais de um terço dos inquiridos tem uma imagem neutra da UE (36 %, -1 em comparação com a primavera de 2018), ao passo que um quinto tem uma imagem negativa (20 %, -1) e 1 % afirmam não ter opinião.Desde o último inquérito Eurobarómetro Standard, realizado na primavera de 2018, a percentagem de inquiridos com uma imagem positiva da UE aumentou em 17 Estados-Membros da UE; a progressão mais significativa foi registada na Suécia (53 %, +11), em Espanha (43 %, +10) e no Reino Unido (43 %, +9).

A confiança na UE estabilizou em 42 %, mantendo-se no seu nível mais elevado desde o outono de 2010. A confiança predomina em 17 Estados-Membros da UE (15 na primavera de 2018), sendo as percentagens mais significativas as da Lituânia (65 %), da Dinamarca (60 %) e da Suécia (59 %). Continua a ser maior a confiança na UE do que nos governos ou nos parlamentos nacionais. 42 % dos cidadãos europeus confiam na União Europeia, sendo 35 % aqueles que confiam no seu parlamento nacional e no seu governo nacional (+1 ponto percentual em ambos os casos, em comparação com a primavera de 2018).

2. Apoio à cidadania da UE e à livre circulação em todos os Estados-Membros da UE

Nos 28 Estados-Membros, a maioria dos inquiridos sente-se cidadão da UE: 71 % no conjunto da UE (+1 ponto percentual desde a primavera de 2018) ao passo que o sentimento varia, se considerado à escala nacional, entre 89 % no Luxemburgo e 51 % na Bulgária.

A maior parte dos inquiridos apoia a «livre circulação dos cidadãos da UE» (83 %, +1 ponto percentual desde a primavera de 2018), posição que é partilhada por mais de dois terços dos inquiridos em todos os Estados-Membros da UE.

3. Confirma-se o forte apoio ao euro

20 anos após a introdução da nossa moeda única, o apoio à União Económica e Monetária e ao euro mantém-se num nível recorde: três quartos dos inquiridos (75 %, +1 ponto percentual) na área do euro são a favor da moeda única da UE.

A maioria dos cidadãos da UE considera que a situação da economia europeia é «boa» (49 %), o que representa uma ligeira diminuição desde a primavera de 2018 (-1 ponto percentual). 38 % dos inquiridos consideram que a economia europeia é «má» (+1) e 13 % não têm opinião.

As opiniões positivas sobre a situação da economia nacional (49 %, percentagem inalterada) continuam a prevalecer sobre as opiniões negativas (48 %, +1 pontos), mas com uma margem de um ponto. A maior parte dos inquiridos em 16 Estados-Membros da UE (14 na primavera de 2018) afirma que a situação económica nacional é boa. Malta (95 %), o Luxemburgo e os Países Baixos (ambos com 91 %) são os países com as percentagens mais elevadas. Na Dinamarca, na Alemanha, na Suécia (88 %) e na Áustria (81 %), mais de oito em cada dez inquiridos também partilham esta posição. As percentagens mais baixas observam-se na Grécia (6 %), na Croácia (16 %) e em Espanha e na Bulgária (ambos os países com 18 %).

4. Migração e terrorismo permanecem no topo das preocupações dos cidadãos europeus

A imigração continua a ser a principal preocupação a nível da UE, com 40 % das menções (+2 pontos percentuais desde a primavera de 2018). A expressão é referida duas vezes mais do que terrorismo (20 %), que continua a ser a segunda preocupação mais importante, embora registe uma diminuição significativa (-9 desde a primavera de 2018). A situação das finanças públicas dos Estados-Membros encontra-se em terceira posição (19 %, +2): faz parte das três principais preocupações, pela primeira vez desde o outono de 2014, ultrapassando as preocupações suscitadas pela situação económica, atualmente em quarto lugar (18 %, percentagem inalterada), pela primeira vez desde o outono de 2010. As alterações climáticas são uma preocupação fundamental para 16 % dos inquiridos, registando o maior aumento (+5 pontos percentuais) e atingindo a quinta posição.

Embora o desemprego ocupe a sexta posição a nível da UE (13 %, o nível mais baixo para este indicador desde 2010), continua a ser a principal preocupação a nível nacional (23 %, -2 pontos percentuais). Esta é a percentagem mais baixa desde 2007. O aumento dos preços/da inflação/do custo de vida (21 %, +4) ocupa a segunda posição, em pé de igualdade com a imigração (21 %, percentagem inalterada). É a primeira vez, desde o outono de 2008, que o custo de vida figura entre as duas principais preocupações a nível nacional. A saúde e a segurança social estão em quarto lugar, com 20 % das menções (-3), regressando, assim, ao nível observado no outono de 2017. A situação económica (15 %, percentagem inalterada) e as pensões (15 %, -2) partilham a quinta posição, imediatamente acima do ambiente, do clima e da energia (14 %, +4), tendo estas preocupações atingido um novo pico.

 

Contexto

O «Eurobarómetro Standard da primavera de 2018» (EB 89) baseia-se em entrevistas individuais, realizadas entre os dias 8 e 19 de novembro de 2018. Foram entrevistadas 32 600 pessoas nos Estados-Membros da UE[1] e nos países candidatos[2].

[1] 27 424 entrevistas nos 28 Estados-Membros da UE.

[2] Os 28 Estados-Membros da União Europeia (UE), os cinco países candidatos (antiga República jugoslava da Macedónia, Turquia, Montenegro, Sérvia e Albânia) e a comunidade cipriota turca na parte do país que não está sob controlo do governo da República de Chipre.

 

Para mais informações

Eurobarómetro Standard 90

 

 

ANEXO

1. «A minha opinião conta na UE»

Perceção da situação da economia europeia

 

2. Imagem da UE

1.

 

3. Confiança na UE

Imagem da UE

 

4. Apoio ao euro permanece no seu nível mais alto

 Confiança na UE

 

5. Perceção da situação da economia europeia

Perceção da situação da economia europeia

 

6. Perceção da situação da economia europeia

Perceção da situação da economia europeia

 

 7. Livre circulação

Livre circulação

 

8. Cidadãos da UE

Cidadãos da UE

 

9. Principais desafios enfrentados pela UE 

 Livre circulação

 Duas respostas no máximo - seis elementos mais citados

 

10. Principais desafios a nível nacional

 Cidadãos da UE

 Duas respostas no máximo - seis elementos mais citados

 

IP/18/6896


Side Bar