Navigation path

Left navigation

Additional tools

Comissão Europeia - Comunicado de imprensa

Agenda renovada da investigação e inovação: oportunidade para a Europa moldar o futuro

Bruxelas, 15 de majo de 2018

A Comissão apresenta hoje a sua contribuição para o debate informal dos Chefes de Estado e de Governo em Sófia, em 16 de maio de 2018, sobre a investigação e inovação e sobre as etapas necessárias para assegurar a competitividade da Europa a nível mundial.

Investir na investigação e na inovação é investir no futuro da Europa. Ajuda-nos a competir a nível mundial e a assegurar o nosso modelo social único. Melhora a vida quotidiana de milhões de pessoas na Europa e em todo o mundo, ajudando assim a solucionar alguns dos nossos maiores desafios societais e geracionais. A nova Agenda Europeia da Investigação e Inovação propõe um conjunto de medidas concretas para reforçar a capacidade de inovação da Europa e proporcionar uma prosperidade duradoura.

Jyrki Katainen, Vice-Presidente da Comissão responsável pelo Emprego, Crescimento, Investimento e Competitividade, afirmou: «A Europa tem uma investigação de nível mundial e uma forte base industrial. Mas temos que ir mais longe – muito mais longe – para que esta excelência se torne num sucesso. Há novas grandes tendências, tais como a inteligência artificial e a economia circular, que introduzirão profundas alterações na sociedade e na economia. Devemos agir com rapidez para liderar a nova vaga de inovação e definir os padrões da concorrência a nível mundial.»

Carlos Moedas, Comissário responsável pela Investigação, Ciência e Inovação, acrescentou: «Com a crescente concorrência internacional, a Europa precisa de agir urgentemente no âmbito da investigação e inovação. A proposta de 100 mil milhões de EUR para o próximo programa de investigação e inovação da UE dará um enorme impulso. Mas a Europa também precisa de rever o apoio à inovação de ponta, através de um novo Conselho Europeu de Inovação e de restabelecer o contacto com os cidadãos através de uma abordagem dinâmica centrada na investigação e na inovação. Temos necessidade de regulamentação virada para o futuro e de atrair mais investimento privado, nomeadamente capital de risco.»

Chegou a altura de a nossa ambição passar para o nível seguinte. Temos de agir agora para a Europa realizar o seu potencial que consiste em tornar-se um polo de inovação mundial. A Comissão congratula-se com a decisão do Presidente do Conselho Europeu de organizar um debate entre os líderes responsáveis pela Investigação e Inovação, e convida-os a debater e dar uma orientação estratégica às ações sugeridas, incluindo:

  • Assegurar que a regulação e o financiamento são favoráveis à inovação: as medidas propostas incluem dar prioridade à transposição da diretiva relativa aos quadros jurídicos em matéria de reestruturação preventiva, à concessão de uma segunda oportunidade e às medidas destinadas a aumentar a eficiência dos processos de reestruturação, insolvência e quitação; aumentar a contratação pública de produtos e serviços inovadores pelas administrações públicas, aplicando as orientações publicadas hoje pela Comissão. Adotar rapidamente o próximo orçamento da UE 2021-2027 com a proposta de afetação de 100 mil milhões de EUR ao programa Horizonte Europa e ao Programa de Investigação e Formação da Euratom, bem como a outros grandes programas de financiamento, o que dará um forte estímulo à inovação. Implantar a iniciativa VentureEU para impulsionar o investimento privado e o capital de risco. Simplificar ainda mais as regras da UE em matéria de auxílios estatais para facilitar o financiamento público de projetos inovadores, incluindo a combinação de fundos da UE e nacionais.
  • Tornar-se uma pioneira na inovação criadora de mercado: a Comissão propõe criar um Conselho Europeu da Inovação abrangente para oferecer um serviço único às tecnologias com grandes potencialidades e inovadoras, bem como às empresas inovadoras com potencial de expansão. O Conselho Europeu da Inovação basear-se-á na fase piloto de 2,7 mil milhões de EUR para o período 2018-2020, com o objetivo de ajudar a identificar e difundir as inovações em rápida mutação, de risco elevado, com grandes potencialidades em termos de criação de mercados inteiramente novos.
  • Lançar um conjunto de missões europeias de investigação e inovação, com objetivos ambiciosos e com forte valor acrescentado europeu em domínios a definir com os Estados-Membros, as partes interessadas e os cidadãos. Estas missões incluem a luta contra o cancro, os transportes limpos ou os oceanos sem plásticos e favorecerão os investimentos e a participação de todos os setores e disciplinas científicas para, em conjunto, combater um desafio. Deverão criar sinergias com as estratégias de investigação e de inovação a nível nacional, regional e local.

Contexto

Com apenas 7 % da população mundial, a Europa é responsável por 20 % do investimento mundial em investigação e desenvolvimento, um terço das publicações científicas de elevada qualidade e detém uma posição de liderança mundial em setores industriais, como os produtos farmacêuticos, os produtos químicos, a engenharia mecânica e a moda.

A Europa é relativamente forte em acrescentar ou manter o valor de produtos, serviços e processos já existentes, conhecido como a inovação incremental. Assistimos a isso em setores tão variados como o espaço, aeronáutica, farmacêutica, eletrónica, energias renováveis, bioindústrias e fabrico avançado. Demos também grandes passos no apoio à inovação através de tecnologias facilitadoras essenciais, como a robótica, a fotónica e a biotecnologia. Estas tecnologias podem ser utilizadas e aplicadas em muitos setores e são cruciais para enfrentar grandes desafios societais.

Mas a Europa também está atrasada em inúmeros domínios. As empresas da UE gastam menos em inovação do que os seus concorrentes (1,3 % do PIB em comparação com 1,6 % na China e 2 % nos Estados Unidos, 2,6 % no Japão, 3,3 % na Coreia do Sul). O capital de risco continua subdesenvolvido na Europa. Em 2016, os investidores de capital de risco investiram cerca de 6,5 mil milhões de EUR na UE em comparação com 39,4 mil milhões nos EUA, e os fundos de capital de risco na Europa são demasiado reduzidos – 56 milhões de EUR em média em comparação com 156 milhões de EUR nos EUA. Em consequência, estas empresas deslocam-se para ecossistemas onde tenham melhores hipóteses de crescer rapidamente. A UE alberga apenas 26 «Unicorn start-ups» (empresas em fase de arranque com valor superior a mil milhões de dólares) em comparação com 109 nos EUA e 59 na China. O investimento público em toda a UE fica aquém do objetivo de 3 % do PIB e a intensidade da investigação e desenvolvimento continua a ser desigual entre as regiões da UE, com uma forte concentração de investimento e de investigação na Europa Ocidental; 40 % da mão de obra da Europa não tem as competências digitais necessárias.

A inovação impulsionada pela tecnologia, a digitalização e as grandes tendências globais como a inteligência artificial e a economia circular oferecem grandes oportunidades, mas também criam novos desafios. A concorrência mundial está a intensificar-se e ameaça a liderança competitiva da Europa nos principais setores industriais. A Europa precisa de reforçar a sua capacidade de inovação para manter e melhorar o modo de vida europeu.

Para mais informações

Comunicação: Agenda europeia renovada da investigação e inovação: oportunidade para a Europa moldar o futuro

Ficha informativa: Agenda renovada da investigação e inovação: contribuição da Comissão para a agenda dos dirigentes

Ficha informativa: Histórias de sucesso da UE no domínio da investigação e da inovação

 

IP/18/3736

Contactos para a imprensa:

Perguntas do público em geral: Europe Direct pelo telefone 00 800 67 89 10 11 ou por e-mail


Side Bar