Navigation path

Left navigation

Additional tools

Comissão Europeia - Comunicado de imprensa

Comissão toma medidas para ajudar as regiões a construir economias resilientes na era da globalização

Bruxelas, 18 de julho de 2017

Comissão toma medidas para ajudar as regiões a construir economias resilientes na era da globalização

A globalização trouxe enormes benefícios às economias menos desenvolvidas e novas oportunidades para os europeus, mas enquanto os benefícios se repercutem amplamente, os custos, esses, tendem repartir-se de forma desigual, tal como refere a Comissão no seu documento de reflexão sobre o controlo da globalização.

Para dar resposta ao desafio da modernização da economia, a Europa têm de capacitar as suas regiões e ajudá-las a criar valor. Isto significa apostar na inovação, na digitalização, na descarbonização e no desenvolvimento das competências das pessoas.

A Comissão propõe hoje um novo conjunto de ações para continuar a ajudar as regiões da Europa a investir nas áreas em que são mais competitivas («especialização inteligente»), para gerar inovação, resiliência e crescimento.

O Vice-Presidente Jyrki Katainen, responsável pelo Emprego, Crescimento, Investimento e Competitividade, declarou: «Para colher os frutos da mundialização, temos de criar ambientes propícios em que se possam concretizar as vantagens do comércio e os avanços tecnológicos. As estratégias de investimento e inovação concebidas e dirigidas à escala local são fundamentais para fazer face a este desafio e capacitar as nossas regiões.»

Corina Crețu, Comissária responsável pela política regional, declarou: «Vivemos uma era «glocal», como afirmou o Presidente Juncker, em que impacto dos desafios da globalização se faz sentir primeiro à escala local. As nossas economias estão a atravessar profundas mudanças, trata-se de um processo irreversível. Mas podemos ajudar as nossas regiões a dotar-se dos instrumentos adequados para garantir um crescimento robusto e duradouro, a isto se chama especialização inteligente.»

Introduzida em 2014 em todos os programas da política regional, a especialização inteligente deu provas da sua eficácia. A Comissão tenciona basear-se nesta experiência positiva para avançar com dois projetos-piloto:

  • Apoio personalizado para responder aos desafios específicos das regiões que atravessam mutações industriais: quando o solicitarem, certas regiões poderão trabalhar em parceria com equipas de peritos da Comissão para reforçar a sua capacidade de inovação, eliminar as barreiras ao investimento, dotar os cidadãos das competências adequadas e preparar as mutações industriais e sociais, com base nas suas estratégias de especialização inteligente.
  • Parcerias inter-regionais de inovação apoiadas por fundos da UE: inspirado pelo êxito da Iniciativa Vanguard, o objetivo deste projeto-piloto consiste em identificar e reforçar projetos inter-regionais «financiáveis» suscetíveis de gerar cadeias de valor europeias em setores prioritários, como os megadados, a bioeconomia, a eficiência dos recursos, a mobilidade conectada e os sistemas de produção avançados.

Em paralelo, a Comissão irá intensificar os seus esforços para ajudar os Estados-Membros a corrigir os estrangulamentos que impedem o crescimento e criar ambientes favoráveis às empresas.Com a ajuda das estruturas de apoio da Comissão, será dada especial atenção à qualidade e à abertura da investigação pública, à cooperação entre as empresas e as universidades e ao alinhamento das competências disponíveis ao nível local com as exigências do mercado.

A Comissão procurará igualmente formas de facilitar ainda mais as sinergias e a articulação entre os vários programas e instrumentos da UE nos domínios da inovação, do crescimento e da competitividade.

Próximas etapas

O convite à manifestação de interesse no âmbito da ação piloto para as regiões em transição industrial será lançado no outono deste ano. As parcerias inter-regionais serão criadas em 2017 e funcionarão ao longo de 2018.

A experiência adquirida até agora com os programas da política de coesão, juntamente com as ações e as soluções políticas preconizadas nesta comunicação, constituirão um contributo útil para preparar o próximo quadro orçamental, no contexto da reflexão em curso sobre o futuro das finanças da UE.

A Comissão irá reforçar a interação dos instrumentos da UE existentes com o objetivo comum de dar resposta aos novos desafios industriais. Importa avançar com a especialização inteligente, a fim de a tornar um instrumento global para ajudar todas as regiões tirar partido das mudanças resultantes da globalização.

Contexto

Concebida como condição prévia para garantir a eficácia das despesas da política de coesão no domínio da investigação e da inovação, a especialização inteligente exige que todas as regiões definam estratégias de investimento baseadas nos seus próprios trunfos competitivos — das especialidades agroalimentares e do turismo às nanotecnologias e à indústria aeroespacial.

No âmbito destas estratégias, as empresas locais estão a receber apoio financeiro destinado ao desenvolvimento de produtos inovadores e à sua expansão para além dos mercados locais. Estas estratégias têm permitido também reforçar os laços entre a ciência e o mundo empresarial e melhorar a coordenação a todos os níveis da governação local.

Para mais informações

Comunicação – Intensificar a inovação nas regiões da Europa

Nota — Os desafios futuros: estimular o crescimento induzido pela inovação nas regiões da UE

Ficha de informação — Ações piloto de especialização inteligente

Ficha de informação — O que é a especialização inteligente?

Fichas por país — a especialização inteligente no seu país

Siga o Vice-Presidente Katainen e a Comissária Crețu no Twitter

IP/17/1995

Contactos para a imprensa:

Perguntas do público em geral: Europe Direct pelo telefone 00 800 67 89 10 11 ou por e-mail


Side Bar