Navigation path

Left navigation

Additional tools

Comissão Europeia - Comunicado de imprensa

Comissão traça o caminho para a digitalização da indústria europeia

Bruxelas, 19 de abril de 2016

No âmbito da sua estratégia para a criação de um Mercado Único Digital, a Comissão anunciou hoje os seus planos para ajudar a indústria europeia, as PME, os investigadores e as autoridades públicas a tirarem o máximo partido das novas tecnologias.

A Comissão Europeia apresentou hoje um conjunto de medidas destinadas a apoiar iniciativas nacionais e a estabelecer ligações entre estas com vista à digitalização da indústria e dos serviços conexos em todos os setores, bem como a promover o investimento através de redes e parcerias estratégicas. A Comissão propõe também medidas concretas para acelerar a elaboração de normas comuns em domínios prioritários, como as redes de comunicação 5G ou a cibersegurança, e a modernização dos serviços públicos. Como parte integrante dos planos hoje apresentados, a Comissão irá criar uma «nuvem europeia» que terá como primeiro objetivo proporcionar aos 1,7 milhões de investigadores da Europa e aos 70 milhões de profissionais nos domínios da ciência e da tecnologia um ambiente virtual para armazenar, gerir, analisar e reutilizar grandes volumes de dados de investigação (comunicado de imprensa).

Andrus Ansip, Vice-Presidente responsável pelo Mercado Único Digital, declarou: «A revolução industrial dos nossos tempos é digital. Precisamos de proporcionar a escala adequada para que tecnologias como a computação em nuvem, a ciência baseada em dados e a Internet das Coisas possam realizar todo o seu potencial. Tal como as empresas têm como objetivo expandir-se em todo o Mercado Único, os serviços públicos em linha deveriam também satisfazer as necessidades atuais: serem, desde a sua conceção, digitais, abertos e transfronteiras. A UE é a escala certa para a era digital.»

Günther H. Oettinger, Comissário responsável pela Economia e Sociedade Digitais, declarou: «A Europa dispõe de uma base industrial muito competitiva e é um líder mundial em setores importantes. Mas a Europa só será capaz de manter a sua liderança se a digitalização da sua indústria for realizada rapidamente e com sucesso. As nossas propostas têm como objetivo garantir isso mesmo. É necessário um esforço conjunto em toda a Europa a fim de atrair os investimentos necessários para o crescimento da economia digital.»

Elżbieta Bieńkowska, Comissária responsável pelo Mercado Interno, Indústria, Empreendedorismo e PME, declarou: «A economia digital funde-se com a economia real. Precisamos de liderança e de investimento nas tecnologias digitais em domínios como o fabrico avançado, a energia inteligente, a condução automática ou a saúde em linha.»

Digitalização da indústria

Apesar de as tecnologias e processos digitais terem sido rapidamente adotados em muitos setores da economia, é necessário que as indústrias europeias, em todos os setores e independentemente da dimensão das empresas, aproveitem plenamente as oportunidades digitais para poderem ser competitivas a nível mundial. Os setores tradicionais (como os da construção, agroalimentar, têxteis ou metalurgia) e as PME estão particularmente atrasados na sua transformação digital. Estudos recentes estimam que a digitalização dos produtos e serviços permitirá gerar um aumento anual de mais de 110 mil milhões de euros de receitas para a indústria da Europa nos próximos cinco anos.

Vários Estados-Membros da UE já lançaram estratégias destinadas a apoiar a digitalização da indústria. Mas é necessária uma abordagem abrangente a nível europeu para evitar a fragmentação dos mercados e para usufruir dos benefícios da evolução digital, como a Internet das Coisas.

No âmbito desta abordagem, a Comissão:

  • Contribuirá para a coordenação de iniciativas nacionais e regionais que visem a digitalização da indústria mediante um diálogo permanente a nível da UE com todos os intervenientes em causa. Será estabelecido um quadro de governação com os Estados-Membros e a indústria.
  • Concentrará os investimentos nas parcerias público-privadas da UE e incentivará fortemente a utilização das oportunidades oferecidas pelo Plano de Investimento da UEe pelos Fundos Europeus Estruturais e de Investimento.
  • Investirá 500 milhões de euros numa rede pan-europeia de polos de inovação digital (centros de excelência em tecnologia) no âmbito da qual as empresas podem obter aconselhamento e testar inovações digitais.
  • Estabelecerá projetos-piloto de larga escala para reforçar a Internet das Coisas, o fabrico avançado e tecnologias relativas a cidades e casas inteligentes, automóveis conectados ou serviços de saúde móvel.
  • Adotará legislação orientada para o futuro que apoiará a livre circulação de dados e clarificará os direitos de propriedade dos dados gerados por sensores e dispositivos inteligentes. A Comissão procederá também à revisão das regras em matéria de segurança e responsabilidade dos sistemas autónomos.
  • Apresentará uma Agenda para Novas Competências da UE, a qual contribuirá para dotar as pessoas das competências necessárias para os empregos da era digital.

A Iniciativa Europeia para a Nuvem (comunicado de imprensa) faz também parte deste pacote e ajudará a Europa a assumir um papel de liderança na economia dos dados.

Globalmente, os planos hoje anunciados permitirão mobilizar mais de 50 mil milhões de euros de investimentos públicos e privados para apoio à digitalização da indústria.

Normas prioritárias para dinamizar a inovação digital

No Mercado Único Digital, milhares de milhões de dispositivos interligados — incluindo telefones, computadores e sensores — deveriam poder comunicar de forma segura e sem descontinuidades, independentemente do fabricante, dos dados técnicos e do país de origem. Para tal, necessitam de uma língua comum: normas.

A Comissão propõe medidas concretas para acelerar o processo de definição de normas mediante:

  • uma incidência em cinco domínios prioritários, quando solicita à indústria e aos organismos de normalização que elaborem normas. Esses domínios são: 5G, computação em nuvem, Internet das Coisas, tecnologias de dados e cibersegurança.
  • o cofinanciamento de ensaios e experimentação de tecnologias com vista a acelerar a definição de normas, nomeadamente no âmbito das parcerias público-privadas relevantes. Tal permitirá garantir uma definição atempada de normas para incentivar a inovação e o crescimento das empresas.

Esta abordagem mais rápida e mais orientada permitirá também acelerar o desenvolvimento e a aceitação de tecnologias como as redes inteligentes, os serviços de saúde móvel, os veículos conectados, bem como outros setores. A UE tenciona apoiar a participação de peritos europeus em decisões de normalização internacionais, a fim de assegurar que os pontos de vista europeus contribuem para soluções à escala mundial.

Serviços públicos digitais

As pessoas e as empresas ainda não estão a beneficiar plenamente dos serviços públicos digitais que deveriam estar disponíveis sem descontinuidades em toda a UE. O Plano de Ação para a Administração Pública em Linha hoje apresentado permitirá modernizar os serviços públicos digitais e fazer da UE um lugar melhor para viver, trabalhar e investir.

A Comissão propôs 20 medidas a lançar até ao final de 2017. A Comissão irá, nomeadamente:

  • Criar um portal digital único, permitindo assim aos utilizadores beneficiar de todos os serviços de informação, assistência e resolução de problemas necessários ao desenvolvimento das suas atividades de forma eficaz a nível transfronteiras.
  • Proceder à interligação de todos os registos de empresas e de insolvências e à sua ligação ao Portal Eletrónico da Justiça Europeia, o qual passará a funcionar como um balcão único.
  • Criar um projeto-piloto com as administrações que aplicará o princípio da «declaração única» para empresas através das fronteiras. Isso significa que as empresas só terão de fornecer documentos às autoridades públicas num país da UE, mesmo que desenvolvam atividades noutros Estados-Membros da UE.
  • Ajudar os Estados-Membros da UE a desenvolver serviços de saúde em linha transfronteiras, como as receitas eletrónicas e os dossiês de doentes.
  • Acelerar a transição para a contratação pública eletrónica, a assinatura eletrónica e a aplicação do princípio da «declaração única» nos contratos públicos.

Contexto

O conjunto de iniciativas hoje apresentado constitui o primeiro pacote relacionado com a indústria no âmbito da Estratégia para o Mercado Único Digital. Foi anunciado pelo Presidente Juncker em Paris, em outubro de 2015 (discurso).

Segue-se a um primeiro conjunto de propostas adotadas em dezembro de 2015 em matéria de direitos de autor (comunicado de imprensa) e de contratos digitais (comunicado de imprensa), bem como a um projeto de decisão relativo à coordenação do espetro em fevereiro de 2016 (comunicado de imprensa). A Estratégia para o Mercado Único Digital inclui 16 iniciativas a apresentar até ao final deste ano.

A Comissão está a desenvolver esforços permanentes e ambiciosos para apoiar a indústria com projetos como a Estratégia para o Mercado Único, o Plano de Investimento, a União da Energia, a União dos Mercados de Capitais e a Economia Circular.

Mais informações

— Perguntas e respostas sobre o conjunto de medidas para a digitalização da indústria europeia

- Comunicado de imprensa: Iniciativa Europeia para a Nuvem para que a Europa possa ser um líder mundial na economia dos dados

Comunicações hoje adotadas:

— Comunicação sobre Digitalização da Indústria Europeia: Usufruir de todos os benefícios do Mercado Único Digital

— Comunicação sobre uma Iniciativa Europeia para a Nuvem — Construir uma economia de dados e conhecimento competitiva na Europa

Comunicação sobre o Plano de Ação Europeu (2016-2020) para a Administração Pública em Linha — Acelerar a transformação digital da administração pública

— Comunicação sobre Prioridades de Normalização das TIC para o Mercado Único Digital

Nas redes sociais

#DigitiseEU

#DigitalSingleMarket

#OpenScience

 

IP/16/1407

Contactos para a imprensa:

Perguntas do público em geral: Europe Direct pelo telefone 00 800 67 89 10 11 ou por e-mail


Side Bar