Navigation path

Left navigation

Additional tools

Comissão Europeia

Comunicado de imprensa

Bruxelas, 3 de julho de 2014

Diga-nos o que pensa sobre o futuro da ciência: consulta pública sobre a abordagem«Ciência 2.0»

A Comissão Europeia lançou hoje uma consulta pública sobre o tema «Ciência 2.0», para aferir as preferências por um modo de fazer investigação e inovação mais aberto, baseado em dados e centrado nas pessoas. Os investigadores utilizam ferramentas digitais para levarem milhares de pessoas a participar nas atividades de investigação, por exemplo, pedindo-lhes que lhes comuniquem os casos de gripe, para poderem acompanhar os surtos de doenças e prever possíveis epidemias. Os cientistas também se mostram mais abertos: partilham as suas descobertas em linha numa fase precoce e comparam e debatem o seu trabalho no intuito de o melhorar. Cada vez mais, as publicações científicas estão disponíveis gratuitamente na Internet. Segundo algumas estimativas, 90 % dos dados disponíveis em todo o mundo foram gerados nos últimos dois anos, e a produção de dados científicos está a crescer a uma taxa de 30 % por ano.

A consulta analisará o conhecimento que as pessoas têm dessas tendências e a sua contribuição para elas, e pretende também obter opiniões sobre as oportunidades criadas pela «Ciência 2.0» para reforçar a competitividade da ciência e da investigação europeias. O prazo para o envio das respostas termina em 30 de setembro de 2014.

Máire Geoghegan-Quinn, Comissária europeia responsável pela Investigação, Inovação e Ciência, declarou a este respeito: "A abordagem «Ciência 2.0» está a revolucionar o modo como fazemos ciência – desde a análise e partilha de dados e as publicações até à cooperação a nível mundial. Vai também permitir aos cidadãos participar na busca de novos conhecimentos. Todo o processo científico está a tornar-se mais transparente e eficiente, mas isto também coloca questões quanto à integridade e à qualidade — por isso, queremos conhecer as opiniões das pessoas sobre o modo de garantir que a Ciência 2.0 se desenvolva de forma positiva para a Europa."

Neelie Kroes, Vice-Presidente da Comissão, responsável pela Agenda Digital, declarou por sua vez: "Hoje, as tecnologias e ferramentas digitais são a base de uma nova transformação: melhorar a investigação e a inovação e torná-las mais relevantes para os cidadãos e para a sociedade. Estamos a avançar para uma ciência digital aberta — tendência que é gradual mas imparável. Esta evolução, e a vontade de a abraçar, surge, não dos políticos, mas das próprias comunidades científica e académica. E eu estou determinada a apoiá-la."

A Comissão Europeia já integrou alguns aspetos da «Ciência 2.0» na sua política. Em concreto, o acesso aberto às publicações científicas é obrigatório para a investigação no âmbito do Horizonte 2020, o novo programa de investigação e inovação da UE. Foi também lançado um projeto-piloto sobre acesso aberto aos dados da investigação. Através dos seus programas de investigação, a UE também financia uma série de projetos científicos de cidadãos e apoia algumas das infraestruturas eletrónicas que tornam possível a Ciência 2.0.

Figura: Mudanças em curso que afetarão todo o ciclo da investigação, desde o começo até à avaliação e à publicação

A consulta, assim como as informações contextuais, encontram-se no sítio Web da Comissão Europeia «A sua voz na Europa» (http://ec.europa.eu/research/science-2.0). É possível também acompanhar o debate nas redes sociais (hashtag # Science20).

Contextualização

A abordagem «Ciência 2.0» está rapidamente a impor-se no mundo graças às tecnologias digitais e em resposta às atuais debilidades da ciência, nomeadamente o lento e oneroso processo de publicação científica, as críticas ao sistema de revisão pelos pares e o desafio de reproduzir os resultados da investigação devido à falta de dados reutilizáveis e reproduzíveis.

Tudo isto acontece no contexto de importantes tendências interligadas:

  • Um aumento significativo da produção científica e uma tendência para o acesso aberto às informações científicas e para a colaboração científica aberta (colaboração à distância entre cientistas);

  • O aumento constante do número de atores da ciência (nunca houve no mundo tantos cientistas como hoje) e um maior envolvimento dos cidadãos na investigação (na investigação propriamente dita ou como financiadores ou definidores de agenda);

  • Novas formas de fazer ciência graças à disponibilidade de conjuntos de dados em grande escala (90 % do total de dados do mundo foram gerados nos últimos dois anos) e ao aumento constante da potência de processamento.

Ligações

Horizonte 2020: http://ec.europa.eu/programmes/horizon2020/

Agenda Digital: http://ec.europa.eu/digital-agenda/

Contacts :

Michael Jennings (+32 2 296 33 88) Twitter: @ECSpokesScience

Monika Wcislo (+32 2 295 56 04)

Ryan Heath (+32 2 296 17 16) Twitter: @RyanHeathEU

Siobhan Bright (32 2 295 73 61) Email: comm-kroes@ec.europa.eu

For the public: Europe Direct by phone 00 800 6 7 8 9 10 11 or by e­mail


Side Bar