Navigation path

Left navigation

Additional tools

Comissão Europeia

Comunicado de imprensa

Bruxelas, 8 de maio de 2014

UE considera que inovação uma fonte de crescimento sustentável

Dois terços do nosso planeta estão cobertos por oceanos e mares. Se conseguirmos geri‑los de uma forma responsável, podem constituir fontes de alimento, medicamentos e energia, protegendo, ao mesmo tempo, os ecossistemas para as gerações futuras. Contudo, para que tal seja possível, precisamos de saber mais sobre os mares e os oceanos. Nesta perspetiva, a Comissão apresentou hoje um plano de ação para a inovação na economia azul, com o objetivo de ajudar a utilizar os recursos dos oceanos de forma sustentável e estimular o crescimento e o emprego na Europa.

Maria Damanaki, comissária responsável pelos Assuntos Marítimos e as Pescas, declarou: «Estamos hoje a lançar as bases para que os Europeus das gerações futuras possam dispor dos conhecimentos e competências necessários para uma melhor gestão dos oceanos e para retirar todos os benefícios que estes nos podem dar, respeitando ao mesmo tempo o ecossistema marítimo.» E acrescentou: «Por exemplo, a nossa iniciativa de criação de um mapa digital do fundo dos mares europeus deverá aumentar a previsibilidade, permitindo que as empresas invistam, reduzindo os custos e estimulando a inovação para um crescimento azul sustentável.»

A Comissão aponta uma série de obstáculos a ultrapassar: a limitação dos nossos conhecimentos sobre os mares, inexistência de articulação dos esforços de investigação marítima entre os Estados-Membros e necessidade de mais engenheiros e cientistas para a aplicação das novas tecnologias no ambiente marinho.

Máire Geoghegan-Quinn, comissária europeia responsável pela Investigação e Inovação, afirmou: «Sabemos provavelmente mais sobre a superfície da Lua ou de Marte do que sobre os fundos marinhos. A inovação marítima constitui um enorme potencial para a nossa economia e ajudar-nos-á a enfrentar os desafios das alterações climáticas e da segurança alimentar. O crescimento azul é, por conseguinte, um aspeto fulcral do Horizonte 2020, o novo programa de investigação e inovação.»

De acordo com o plano de ação hoje apresentado, a Comissão propõe‑se:

Apresentar até 2020 um mapa digital da totalidade do fundo dos mares europeus.

Criar uma plataforma de informação em linha, que deverá estar operacional antes do fim de 2015, sobre os projetos de investigação marinha incluídos no programa Horizonte 2020, bem como sobre a investigação marinha financiada por fundos nacionais, e partilhar os resultados dos projetos concluídos.

Criar um fórum dedicado às empresas e à ciência no domínio da economia azul, com a participação do setor privado, de cientistas e de ONG, com o objetivo de ajudar a modelar a economia azul do futuro, e partilhar ideias e resultados. A primeira reunião deverá realizar-se em 2015, à margem do Dia do Mar, no Pireu, Grécia.

Incentivar os intervenientes ativos nos domínios da investigação, das empresas e da educação a determinar as necessidades e as competências necessárias à mão‑de‑obra futura no setor marítimo até 2016.

Examinar a possibilidade de os principais intervenientes da comunidade nos domínios da investigação, das empresas e da educação formarem uma Comunidade de Conhecimento e Inovação (CCI) para a economia azul depois de 2020. A CCI, que faz parte do Instituto Europeu de Inovação e Tecnologia (IIT), pode promover a inovação de muitas formas, nomeadamente através de programas de formação e educação, do reforço da ligação entre a investigação e o mercado e do estabelecimento de projetos de inovação e de incubadoras de empresas.

Contexto

A dimensão da economia marítima ou «azul» da UE é enorme, contando com mais de 5 milhões de empregados em setores tão diversos como as pescas, os transportes, a biotecnologia marinha e as energias renováveis produzidas no mar.

Entre 2007 e 2013, a Comissão Europeia contribuiu, através do sétimo programa‑quadro, com uma média de 350 milhões de euros por ano para a investigação marinha e marítima. Uma parte substancial da investigação marinha é também levada a cabo através dos programas dos Estados-Membros (cerca de 300 milhões de euros por ano em França e na Alemanha, por exemplo). O crescimento azul é um dos domínios principais do novo programa Horizonte 2020, com um orçamento específico de 145 milhões de euros só para 2014 e 2015, prevendo o programa outras oportunidades.

Cerca de 30 % do fundo dos mares que circundam a Europa não foram ainda estudados. Este valor varia entre 5 %, no golfo da Biscaia e na costa ibérica, e mais de 40 %, no mar do Norte e no Mediterrâneo jónico e central. A melhor compreensão do que está a acontecer abaixo do nível do mar aumentará o conhecimento dos recursos marinhos e ajudará a compreender a forma como os mares poderão ser utilizados de modo sustentável.

As lacunas em termos de competências são já visíveis no setor da energia eólica. Em 2012, este setor offshore representava 10 % da capacidade eólica anual instalada, empregando 58 000 pessoas, direta e indiretamente, em toda a Europa. Está previsto que, em 2020, a proporção de energia eólica no mar alcance 30 % da capacidade eólica anual instalada, o que se traduzirá em 191 000 postos de trabalho em 2020, que deverão aumentar para 318 000 em 2030. Por outro lado, o setor poderia conhecer um défice de competências, que poderá aumentar dos 7 000 equivalentes a tempo inteiro atuais para 14 000, se a futura mão de obra não tiver qualificações nas áreas da manutenção e do fabrico, por exemplo.

Para mais informações

Inovação na Economia Azul: Concretizar o potencial dos nossos mares e oceanos para o emprego e o crescimento: http://ec.europa.eu/maritimeaffairs/policy/marine_knowledge_2020/index_en.htm

MEMO/14/336: Perguntas e respostas sobre a inovação na economia azul

MEMO/14/337: Inovação da Economia Azul: exemplos da investigação marinha na UE

Brochura sobre os projetos de investigação para «Oceans of Tomorrow» (Os Oceanos de Amanhã) (ficheiro PDF) http://ec.europa.eu/research/bioeconomy/pdf/ocean-of-tomorrow-2014_en.pdf

Horizonte 2020: http://ec.europa.eu/programmes/horizon2020/

Crescimento azul na UE – uma série de estudos: https://webgate.ec.europa.eu/maritimeforum/en/community/msexperts/articles/blue-growth-eu-set-studies

Contactos:

Helene Banner (+32 2 295 24 07)

Lone Mikkelsen (+32 2 296 05 67)

Michael Jennings (+32 2 296 33 88) Twitter: @ECSpokesScience

Monika Wcislo (+32 2 298 65 95)

Para o público: Europe Direct, por telefone, 00 800 6 7 8 9 10 11, ou por correio eletrónico


Side Bar