Navigation path

Left navigation

Additional tools

Emprego: Comissão propõe melhorar a rede de procura de emprego EURES

European Commission - IP/14/26   17/01/2014

Other available languages: EN FR DE DA ES NL IT SV FI EL CS ET HU LT LV MT PL SK SL BG RO HR

Comissão Europeia

Comunicado de imprensa

Bruxelas, 17 de janeiro de 2014

Emprego: Comissão propõe melhorar a rede de procura de emprego EURES

A rede pan-europeia de procura de emprego EURES será reforçada, a fim de proporcionar mais oportunidades de emprego, aumentar as probabilidades de preenchimento de postos de trabalho e ajudar os empregadores, nomeadamente as pequenas e médias empresas, a preencher as suas ofertas de emprego mais rapidamente e melhor, no âmbito de uma proposta agora apresentada pela Comissão Europeia.

Uma vez adotada pelo Conselho de Ministros da UE e pelo Parlamento Europeu, a proposta ajudará os cidadãos a fazer uma escolha o mais informada possível no que se refere à mobilidade para o estrangeiro por motivos de trabalho. «A proposta da Comissão representa um passo ambicioso para combater o desemprego de uma forma muito prática. Contribui para corrigir os desequilíbrios dos mercados de trabalho, ao maximizar o intercâmbio de ofertas de emprego em toda a UE e garantir uma melhor correspondência entre as ofertas de emprego e as pessoas que o procuram. A rede EURES renovada facilitará a mobilidade dos trabalhadores e contribuirá para o desenvolvimento de um mercado de trabalho da UE verdadeiramente integrado», afirmou o Comissário para o emprego, os assuntos sociais e a inclusão, László Andor.

As novas regras propostas tornaram a EURES mais eficaz, os recrutamentos mais transparentes e a cooperação entre os Estados-Membros mais forte, permitindo, nomeadamente:

propor, através do portal EURES, um maior número de ofertas de emprego na UE, incluindo as provenientes de serviços de emprego privados. As pessoas à procura de emprego em toda a Europa passam a ter acesso imediato às mesmas ofertas de emprego e os empregadores registados podem recrutar pessoas a partir de um vasto conjunto de currículos;

efetuar a correspondência automática entre as ofertas de emprego e os currículos;

fornecer informações de base sobre o mercado de trabalho da UE e a rede EURES a qualquer pessoa à procura de emprego ou a qualquer empregador em toda a União;

oferecer às pessoas à procura de emprego e aos empregadores serviços de apoio à mobilidade, a fim de facilitar o recrutamento e de integrar os trabalhadores no novo posto de trabalho no estrangeiro;

melhorar a coordenação e o intercâmbio de informações sobre as situações de carência e excesso de mão de obra entre os Estados-Membros, tornando a mobilidade uma parte integrante das respetivas políticas de emprego.

Estas melhorias beneficiarão as pessoas à procura de emprego e as empresas de todas as dimensões mas, em especial, as PME, uma vez que, atualmente, podem não ter capacidade para recrutar no estrangeiro sem recorrer aos serviços que a EURES fornece gratuitamente.

Contexto

A proposta de regulamento EURES faz parte de uma série de medidas destinadas a facilitar a livre circulação dos trabalhadores, juntamente com a proposta da Comissão, de abril de 2013, no sentido de melhorar a aplicação dos direitos dos trabalhadores à livre circulação (IP/13/372, MEMO/13/384), cuja aprovação pelo Conselho de Ministros da UE e pelo Parlamento Europeu está iminente, e a comunicação de novembro sobre a livre circulação das pessoas (IP/13/1151, MEMO/14/9).

Atualmente, cerca de 7,5 milhões de cidadãos europeus trabalham noutro Estado-Membro, o que equivale a apenas 3,1 % da mão de obra total. Cerca de 700 000 pessoas, em média, deslocam-se todos os anos para trabalhar no estrangeiro no interior da UE, uma taxa (0,29 %) muito inferior à da Austrália (1,5 % entre 8 estados) ou à dos EUA (2,4 % entre 50 estados).

O European Vacancy Monitor revela que, apesar do recorde de desemprego, dois milhões de ofertas de emprego foram criadas na Europa, no primeiro trimestre de 2013. Embora a existência de ofertas por preencher seja uma característica da dinâmica dos mercados de trabalho, uma parte significativa desses postos de trabalho em aberto pode dever-se a uma escassez de mão de obra que não pode ser preenchida a nível local.

No entanto, a mobilidade aumentou significativamente nos últimos anos. Desde 2005, o número de trabalhadores da UE ativos noutro Estado-Membro aumentou para os 4,7 milhões. Além disso, as intenções de mobilidade também acusaram um aumento: o número de pessoas à procura de emprego registadas no portal EURES deu um salto, de 175 000 em 2007 para 1 100 000 em 2013.

Criada em 1993, a EURES é uma rede de cooperação entre a Comissão Europeia e os serviços públicos de emprego dos Estados-Membros da UE, à qual pertencem também a Noruega, a Islândia e o Liechtenstein, além de outras organizações parceiras. Conta com mais de 850 conselheiros EURES que estão em contacto diário com as pessoas à procura de emprego e os empregadores em toda a Europa.

A rede também opera através do portal EURES. O portal é único na UE, uma vez que é gratuito e presta informações sobre as condições de vida e de trabalho em todos os países participantes, em 25 línguas. O portal permite o acesso a mais de 1,4 milhões de ofertas de emprego e a 1,1 milhões de currículos, em qualquer momento, no decurso de um determinado mês.

A rede EURES é responsável por aproximadamente 150 000 colocações por ano (50 000 através dos seus consultores e 100 000 através do seu portal).

Para mais informações

Rubrica noticiosa no sítio Web da DG Emprego

Sítio Web de László Andor

Siga László Andor no Twitter

Assine e receba gratuitamente por correio eletrónico o boletim informativo da Comissão Europeia sobre Emprego, Assuntos Sociais e Inclusão

Contactos:

Jonathan Todd (+32 2 299 41 07)

Cécile Dubois (+32 2 295 18 83)


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website