Navigation path

Left navigation

Additional tools

Comissão Europeia

Comunicado de imprensa

Bruxelas, 9 de outubro de 2014

Investigação da UE ajuda aquicultura a tornar-se mais competitiva

Legenda: A SINTEF, empresa parceira do projeto AQUAEXCEL, gere uma exploração piscícola na Noruega que está disponível para a investigação no domínio da aquicultura. © ACE

Legenda: A Universidade de Las Palmas na Gran Canaria, parceira do projeto AQUAEXCEL, gere uma estação de cultura intensiva para a investigação no domínio da aquicultura. © juanafonso

Descarregar ambas as imagens. Esta ligação é válida até 31 de outubro de 2014 às 12h02m30s: http://filexchange.retell.eu/downloader/dl/f5ba03657948d7d130a91b08309235be555319d5c0b5491abc012955e294c38e

A aquicultura traz consigo a promessa de reduzir a necessidade de captura de peixes selvagens. A procura mundial de peixe está a aumentar, o que coloca muitas espécies sob a ameaça da sobrepesca. A piscicultura, ou aquicultura, permite aliviar parte desta pressão sobre as unidades populacionais - metade do peixe consumido no mundo é já produzido em explorações piscícolas. Contudo, é possível ir muito mais longe para aumentar a eficiência da indústria aquícola europeia, que emprega cerca de 80 000 pessoas. Se produzirem mais peixe de uma forma sustentável e respeitadora do ambiente, as explorações piscícolas podem reduzir ainda mais a pressão sobre as unidades populacionais de peixes selvagens da Europa.

Nesse sentido, o projeto AQUAEXCEL, financiado pela UE, está a promover uma rede de investigação que liga os cientistas no domínio da aquicultura de toda a Europa e que os aquicultores podem utilizar para aumentar a sua competitividade – e a das economias das comunidades costeiras.

«O projeto está a desenvolver novos métodos e instrumentos de investigação com uma melhor relação custo-eficácia e aplicáveis ao setor da aquicultura», afirmou Marc Vandeputte, coordenador do projeto AQUAEXCEL e investigador de genética dos peixes em França, no Institut National de la Recherche Agronomique (INRA).

O projeto AQUAEXCEL proporciona aos investigadores da UE e países associados o acesso a centros de excelência de investigação de aquicultura e a recursos em toda a Europa – incluindo locais para testes, bancos de dados de genómica e sistemas de imagiologia. O AQUAEXCEL está igualmente a trabalhar no sentido de reunir os melhores cientistas de países da UE e países terceiros em projetos conjuntos que promovem a excelência na investigação.

Por exemplo, alguns projetos testaram a possibilidade de substituir a farinha de peixe e o óleo de peixe por ingredientes alternativos, como o óleo de avelã, os insetos e as microalgas. Noutro exemplo, os investigadores do projeto estão a estudar a forma como os peixes consomem os nutrientes. Pretende-se obter um melhor controlo da gordura e textura da carne, como forma de aumentar a qualidade, bem como reduzir os fatores de produção necessários para a exploração piscícola e limitar a poluição do ambiente local.

O trabalho do AQUAEXCEL inclui a harmonização e normalização dos recursos de investigação em toda a Europa – nomeadamente através do desenvolvimento de modelos e métodos experimentais que ajudam os cientistas desta área a coordenar os seus trabalhos de investigação. O projeto está a desenvolver e a utilizar o que os cientistas chamam «linhas isogénicas» para o salmão, a carpa, o robalo e a truta. Estes grupos geneticamente idênticos de determinadas espécies de peixes tornam mais fácil para os cientistas a reproduzir as suas experiências. As trutas isogénicas foram produzidas numa das explorações piscícolas experimentais da AQUAEXCEL gerida pelo INRA perto de Brest, em França. Os investigadores na Universidade de Wageningen, nos Países Baixos, estão a utilizar estes peixes isogénicos para estudar o metabolismo.

Máire Geoghegan-Quinn, Comissária europeia responsável pela Investigação, Inovação e Ciência, declarou: «Há muito que a UE identificou a investigação no domínio da aquicultura como um fator essencial para o desenvolvimento das áreas costeiras e zonas remotas, e também como uma forma de melhorar a qualidade, respeitando simultaneamente o bem-estar animal e o ambiente. No nosso novo programa Horizonte 2020, continuaremos a investir neste tipo de investigação e inovação».

Contexto

O projeto AQUAEXCEL foi financiado no âmbito do Sétimo Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia (2007-2013). O projeto, que decorre até fevereiro de 2015, recebeu 9,2 milhões de euros de financiamento da UE. Reúne 17 parceiros (institutos de investigação, universidades e organizações de aquicultura) da Bélgica, Espanha, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Noruega, Países Baixos, Reino Unido e República Checa.

Em 1 de janeiro de 2014, a União Europeia lançou um novo programa europeu de financiamento da investigação e da inovação denominado Horizonte 2020, cujo orçamento de 80 mil milhões de euros será investido ao longo dos próximos sete anos em projetos de investigação e inovação destinados a apoiar a competitividade económica da Europa e a alargar as fronteiras do conhecimento humano. O orçamento da UE para a investigação visa sobretudo melhorar as condições de vida dos cidadãos em domínios como a saúde, o ambiente, os transportes, a alimentação e a energia. As parcerias de investigação com as indústrias farmacêutica, aeroespacial, automóvel e da eletrónica promovem, por sua vez, o investimento do setor privado em prol do crescimento futuro e da criação de empregos altamente qualificados. O programa Horizonte 2020 dedicará grande atenção à transformação de excelentes ideias em produtos, processos e serviços comercializáveis.

Para mais informações:

AQUAEXCEL: http://www.aquaexcel.eu/

Vídeos: http://vimeo.com/user25398383/videos

Sítio Web do Horizonte 2020: http://ec.europa.eu/programmes/horizon2020/

Contactos:

Michael Jennings (+32 2 296 33 88) Twitter: @ECSpokesScience

Monika Wcislo (+32 2 298 65 95)

Para o público: Europe Direct por telefone 00 800 6 7 8 9 10 11 ou correio eletrónico


Side Bar