Navigation path

Left navigation

Additional tools

Comissão Europeia

Comunicado de imprensa

Praga, 24 de setembro de 2013

25 anos de cérebros brilhantes: UE recompensa jovens cientistas

Os jovens cientistas mais brilhantes da Europa reuniram-se hoje em Praga para o 25.º Concurso Anual da UE para Jovens Cientistas (EUCYS). Um conjunto de 126 jovens e promissores cientistas, dos 14 aos 21 anos de idade, apresentou os seus projetos, na esperança de impressionar um júri internacional. Os vencedores partilharam um total de 54 500 EUR em prémios monetários, além de outras recompensas, como viagens de caráter científico (MEMO/13/812).

Os três primeiros prémios, de 7000 EUR cada, foram atribuídos a Perttu Pölönen, da Finlândia, pelo projeto «Music A’Clock», a Ciara Judge, Emer Hickey e Sophie Healy-Thow, da Irlanda, pelo projeto «A statistical investigation of the effects of diazotroph bacteria on plant germination» (Investigação Científica dos Efeitos das Bactérias Diazotróficas na Germinação das Plantas), e a Frederick Turner, do Reino Unido, pelo projeto «Genetics at home: Building a PCR machine and other equipment for setting up a home genetics lab» (Genética em Casa: Construção de uma Máquina PCR e outro Equipamento para Montar um Laboratório Genético Caseiro). Os três segundos prémios foram para a Áustria, a Alemanha e a Suíça e os três terceiros prémios para a Alemanha, a Bielorrússia e a Hungria.

Máire Geoghegan-Quinn, Comissária para a Investigação, a Inovação e a Ciência, afirmou: «Teremos um futuro brilhante, se é este o nível de talento que estamos a produzir na Europa. É particularmente grato testemunhar a combinação entre uma investigação movida pela curiosidade e projetos mais aplicados. Precisamos de mais jovens que optem por disciplinas STEM na escola. Quero, em especial, incentivar mais jovens do sexo feminino a prosseguirem carreiras científicas e tecnológicas.»

O concurso trouxe a Praga 85 projetos de 37 países, incluindo Estados-Membros da UE e outros países, quer associados quer do resto do mundo. Além da cerimónia de entrega dos prémios, os jovens cientistas tiveram oportunidade de mostrar os seus projetos numa exposição de quatro dias e de participar em diversos grupos de trabalho e conferências paralelas.

Este ano, o júri foi presidido pelo Dr. Henrik Aronsson, da Universidade de Gotemburgo. Todos os trabalhos tinham já obtido o primeiro prémio nos concursos científicos nacionais dos respetivos países, em cada domínio específico. Os temas abrangiam um amplo espetro de domínios científicos: Biologia, Física, Química, Informática, Ciências Sociais, Ambiente, Matemática, Materiais, Engenharia e Medicina.

O concurso incluía igualmente um prémio para Cooperação Internacional, a atribuir ao melhor projeto de uma equipa de países convidados que têm acordos de cooperação científica e tecnológica com a União Europeia: EUA, Canadá, China, Nova Zelândia, Coreia do Sul e Egito. O prémio, que sublinha os benefícios da cooperação científica internacional no domínio da investigação, foi atribuído a Jessie MacAlpine, do Canadá, pelo projeto «Mustard Oil as an Apicomplexan-targeting Drug Therapy for Plasmodium falciparum» (O Óleo de Mostarda como Droga Incidente nos Apicomplexa, para Tratar Infeções de Plasmodium falciparum).

Antecedentes

O Concurso da União Europeia para Jovens Cientistas foi criado pela Comissão Europeia em 1989 para estimular a cooperação e o intercâmbio entre jovens cientistas e lhes possibilitar serem orientados por alguns dos mais proeminentes investigadores da Europa. Teve a primeira edição em Bruxelas e, desde então, foi já realizado em 23 cidades europeias.

O seu objetivo é apoiar o esforço dos países participantes em estimular jovens a optarem por domínios STEM (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática) e escolherem carreiras de ciência e investigação. Desde 1989, o número de jovens cientistas participantes tem aumentado de ano para ano, passando de 59 na primeira edição para 126 em 2013, com um pico de 137 concorrentes em 2009, em Paris.

A participação feminina no concurso reflete a questão mais vasta da sub-representação das mulheres nos domínios STEM. Este ano, pouco menos de 35% dos participantes eram do sexo feminino (44, contra 82 do sexo masculino). Em 1997, a participação feminina no EUCYS excedeu 30% pela primeira vez. Desde então, tem normalmente oscilado entre 30% e 35%, com um máximo de 41% em 2005. Ao longo dos 25 anos, conquistaram prémios 168 raparigas e 576 rapazes.

Os pormenores do concurso deste ano podem ser consultados no seguinte endereço: http://media.eucys2013.cz. Cada uma das três equipas vencedoras do primeiro prémio recebeu 7000 EUR; as equipas classificadas em segundo e terceiro lugares receberam, respetivamente, 5000 EUR e 3500 EUR. Os restantes galardões incluíram viagens ao Fórum Internacional de Ciência e Juventude, em Londres, e ao Seminário Internacional de Ciência e Juventude, em Estocolmo, assim como prémios concedidos por empresas patrocinadoras, como visitas à Intel ISEF (Feira Internacional de Ciência e Engenharia da Intel), nos Estados Unidos, pelo Centro Comum de Investigação (o serviço científico interno da Comissão Europeia), pelo grupo pan-europeu de organismos de investigação e pelo Instituto Europeu de Patentes.

Para mais informações sobre o concurso e os vencedores, consultar: http://ec.europa.eu/research/youngscientists/index_en.cfm

Contactos:

Michael Jennings (+32 2 296 33 88) Twitter: @ECSpokesScience

Inma Martínez García (+32 2 295 56 04)


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website