Navigation path

Left navigation

Additional tools

A cidade de Leeuwarden, nos Países Baixos, deverá ser a Capital Europeia da Cultura em 2018

European Commission - IP/13/819   06/09/2013

Other available languages: EN FR DE DA ES NL IT SV FI EL CS ET HU LT LV MT PL SK SL BG RO HR

Comissão Europeia

Comunicado de Imprensa

Bruxelas, 6 de setembro de 2013

A cidade de Leeuwarden, nos Países Baixos, deverá ser a Capital Europeia da Cultura em 2018

O júri independente responsável pela avaliação das cidades neerlandesas que concorrem ao título de Capital Europeia da Cultura em 2018 reuniu-se hoje em Amesterdão. O júri recomendou a seleção da cidade Leeuwarden. As duas outras cidades em competição eram Eindhoven e Maastricht. A designação oficial de Leeuwarden pelo Conselho de Ministros da UE terá lugar em maio de 2014. La Valletta, em Malta, já foi selecionada para segunda Capital Europeia da Cultura em 2018.

Androulla Vassiliou, Comissária Europeia responsável pela Educação, Cultura, Multilinguismo e Juventude, declarou: «Felicito Leeuwarden pelo êxito da sua candidatura. Não foi uma decisão fácil para o júri, porque as candidaturas apresentadas pelas três cidades tinham uma qualidade muito elevada. Estou confiante de que Leeuwarden desenvolverá um programa animado de eventos com uma forte dimensão europeia, que atrairá visitantes de todo o mundo. Estou igualmente convencida de que o título trará à cidade de Leeuwarden e à região envolvente benefícios culturais, económicos e sociais significativos e a longo prazo, à semelhança das anteriores Capitais Europeias da Cultura

Contexto

Os Países Baixos e Malta são os dois Estados-Membros que organizarão o evento Capital Europeia da Cultura em 2018. A lista de países que podem receber este título até 2019 foi estabelecida em 2006, numa decisão do Parlamento Europeu e do Conselho de Ministros.

Malta organizou o seu processo de seleção um ano antes do calendário normal e a cidade de La Valeta foi oficialmente designada Capital Europeia da Cultura de 2018 pelo Conselho de Ministros da UE em maio de 2013 (IP/12/1099).

As cidades concorrentes são avaliadas com base em critérios definidos pelo Parlamento Europeu e o Conselho de Ministros. Segundo esses critérios, as cidades devem preparar um programa cultural com uma forte dimensão europeia e promover a participação dos cidadãos da cidade, da região envolvente e de todo o país. O programa deve igualmente ter um impacto duradouro e contribuir para o desenvolvimento cultural e social a longo prazo da cidade.

É importante refletir a dimensão europeia nos temas escolhidos e na forma como as atividades do programa são organizadas. É encorajada a cooperação entre os operadores culturais dos diferentes países da UE.

O processo de seleção das Capitais Europeias da Cultura começa por uma fase de pré-seleção, após a qual é elaborada uma primeira lista de cidades. A seleção final decorre nove meses mais tarde. A cidade escolhida é então oficialmente designada pelo Conselho de Ministros da UE.

As candidaturas são avaliadas por um júri constituído por treze especialistas da cultura independentes — seis nomeados pelo Estado-Membro e os restantes sete pelas instituições europeias.

Os membros do júri nomeados pelas instituições europeias são atualmente:

  • Pela Comissão Europeia: Sir Jeremy Isaacs (Reino Unido), produtor de programas de televisão e antigo diretor da Royal Opera House, Covent Garden; Manfred Gaulhofer (Áustria), diretor-geral do evento Graz 2003.

  • Pelo Conselho: Anu Kivilo (Estónia), diretor executivo do International Arvo Pärt Centre; Norbert Riedl (Áustria), chefe do Departamento dos Assuntos Culturais Bilaterais e Multilaterais do Ministério Federal austríaco da Educação, Artes e Cultura.

  • Pelo Parlamento Europeu: Jordi Pardo (Espanha), responsável por projetos culturais no domínio da cultura internacional; Steve Green (Reino Unido), consultor e investigador em política cultural.

  • Pelo Comité das Regiões: Elisabeth Vitouch (Áustria), que representa a Comissão da Cultura e Educação do Comité das Regiões e é membro do Governo da Cidade de Viena.

Após as cidades de Marselha (França) e Košice (República Eslovaca) este ano, Umeå (Suécia) e Riga (Letónia) serão Capitais Europeias da Cultura em 2014; Mons (Bélgica) e Plzeň (República Checa) em 2015; Wrocław (Polónia) e Donostia-San Sebastián (Espanha) em 2016; Aarhus (Dinamarca) e Paphos (Chipre) em 2017.

Informações adicionais

Comissão Europeia: Sítio Web das Capitais Europeias da Cultura

Sítio Web de Androulla Vassiliou

Siga Androulla Vassiliou no Twitter @VassiliouEU

Contactos :

Dennis Abbott (+32 2 295 92 58); Twitter: @DennisAbbott

Dina Avraam (+32 2 295 96 67)


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website