Navigation path

Left navigation

Additional tools

Androulla Vassiliou apoia as iniciativas da Presidência lituana da UE a favor da educação e da juventude

European Commission - IP/13/813   04/09/2013

Other available languages: EN FR DE DA ES NL IT SV FI EL CS ET HU LT LV MT PL SK SL BG RO HR

Comissão Europeia

Comunicado de imprensa

Bruxelas, 4 de setembro de 2013

Androulla Vassiliou apoia as iniciativas da Presidência lituana da UE a favor da educação e da juventude

Androulla Vassiliou, Comissária Europeia responsável pela Educação, Cultura, Multilinguismo e Juventude, visitará a Lituânia de 5 a 10 setembro para apoiar as iniciativas da Presidência lituana da UE no sentido de garantir que entre as prioridades da agenda política figurem um ensino de qualidade e a oferta de oportunidades aos jovens. Durante a sua visita, a Comissária Vassiliou procederá à abertura da Conferência da UE sobre a Juventude com Dalia Grybauskaitė, Presidente da Lituânia, bem como da Conferência sobre o Ensino Superior Europeu no Mundo com o Primeiro-ministro Algirdas Butkevicius. A Comissária terá ainda a possibilidade de se encontrar com Dainius Pavalkis, Ministro da Educação e da Ciência, Algimanta Pabedinskienė, Ministra do Trabalho e da Segurança Social, assim como com membros do Seimas (Parlamento).

«Congratulo-me com o facto de a Presidência lituana da UE destacar a importância da educação e da juventude para o crescimento sustentável e o emprego», afirmou a Comissária Vassiliou. «Trata-se de um sinal forte no momento em que nos preparamos para lançar o novo programa Erasmus+ da UE, o qual permitirá a 4 milhões de jovens europeus estudar, seguir uma formação, ensinar ou exercer uma atividade de voluntariado no estrangeiro durante os próximos sete anos. «Estou especialmente interessada pelo debate que, durante a minha visita, manterei com os estudantes e que se debruçará sobre o novo programa e sobre as oportunidades que este oferece.»

Em 5 de setembro, a Comissária participará numa conferência organizada pela Presidência, em Vílnius, sobre o Ensino Superior Europeu no Mundo. O debate articular-se-á em torno da nova estratégia da Comissão Europeia sobre a internacionalização do ensino superior, que requer a adoção de medidas mais ousadas com vista a reforçar a cooperação e a mobilidade através das fronteiras da UE, para melhorar a qualidade do ensino superior e contribuir para a criação de empregos e inovação (ver IP/13/678).

A Comissária Vassiliou irá destacar a importância do desenvolvimento de estratégias abrangentes, a nível nacional e institucional, que ultrapassam a simples mobilidade e incentivam novos tipos de parcerias. Androulla Vassiliou explicará a forma como a UE tenciona contribuir para estes objetivos através dos novos programas de financiamentio Erasmus+ e Horizonte 2020. Também visitará o Centro da comunicação científica e da informação situado na biblioteca da Universidade de Vílnius, em 5 de setembro.

No dia seguinte (6 de setembro), em Kaunas, reunir-se-á com estudantes da Universidade de Vytautas Magnus e de outros estabelecimentos, a fim de debater o programa Erasmus +, o futuro da Europa e o papel que a educação e a formação podem desempenhar para ultrapassar a crise atual.

A Conferência da UE sobre a Juventude (que decorre de 9 a 12 de setembro em Vilnius) estará particularmente atenta às medidas para aumentar a inclusão social dos jovens, em especial dos jovens sem emprego, educação ou formação. A Comissária Vassiliou não deixará de sublinhar que a questão só pode ser abordada eficazmente através da coordenação de todos os domínios políticos pertinentes, incluindo nomeadamente a educação, o emprego e a saúde, a nível nacional e da UE. Apresentará ainda um relatório sobre o exame do «diálogo estruturado» da UE com os jovens, que lhes permite contribuir para as políticas da UE que lhes dizem respeito.

Cerca de 100 representantes da juventude comunicarão os resultados das consultas organizadas nos respetivos Estados-Membros. O objetivo consiste em alcançar conclusões conjuntas que seriam adotadas pelos ministros da juventude da UE ainda durante este ano.

Em 9 de setembro, a Comissária Vassiliou encontrará também alguns membros do Seimas e procederá à abertura da conferência sobre a Liderança no Sistema Educativo, que se centrará no modo como os dirigentes escolares podem melhorar a qualidade e a eficiência das escolas e instituições de formação. Este evento tem por base a iniciativa da Comissão «Repensar a Educação» que instava os Estados-Membros a reforçarem o apoio aos professores, formadores de professores e dirigentes escolares, a fim de melhorar os resultados da aprendizagem.

Contexto

Desde 2007, a Lituânia recebeu 76 milhões de euros de financiamento da UE no âmbito do programa de aprendizagem ao longo da vida: 39 milhões de euros de financiamento Erasmus para o ensino superior, 19 milhões de euros para o ensino e a formação profissionais (Leonardo da Vinci), 13 milhões de euros para a cooperação entre estabelecimentos de ensino primário e secundário (Comenius) e 5 milhões de euros para a educação de adultos (Grundtvig). A Lituânia recebeu ainda 16,6 milhões de euros para a juventude ao abrigo do programa da UE Juventude em Ação. Em 2011-2012, mais de 3 500 estudantes lituanos receberam bolsas Erasmus para estudar ou realizar um estágio profissional no estrangeiro e em troca cerca de 2 000 estudantes estrangeiros vieram para a Lituânia. Em 2012, mais de 6 000 jovens e jovens trabalhadores lituanos participaram no programa Juventude em Ação.

Erasmus+

O novo programa da UE para a educação, a formação, a juventude e o desporto, Erasmus+, deverá ser aprovado pelo Parlamento Europeu e pelo Conselho no outono do ano em curso e será lançado em janeiro de 2014. Substitui o programa de aprendizagem ao longo da vida, bem como os programas da UE em matéria de mobilidade internacional no ensino superior. Graças à racionalização da sua estrutura, será possível aumentar a eficiência, reduzindo simultaneamente os custos. Com um orçamento total de cerca de 14,5 mil milhões de euros, permitirá que 4 milhões de pessoas estudem, sigam uma formação, exerçam uma atividade de voluntariado ou adquiram experiência profissional no estrangeiro, no período de 2014-2020.

Os jovens, que foram duramente afetados, de modo desproporcionado, pela crise económica, serão os principais beneficiários do programa Erasmus+. Atualmente, cerca de 14 milhões de europeus com idades compreendidas entre os 15 e os 29 anos não trabalham nem seguem qualquer programa de estudos ou formação. Estes jovens são mais vulneráveis a situações de pobreza e de exclusão social ou de trabalho em condições precárias. Têm, além disso, mais probabilidades de se encontrarem envolvidos na criminalidade ou de fazerem face a problemas de saúde física e mental. Em 2011, as perdas económicas resultantes do desemprego dos jovens representaram um custo estimado de 153 mil milhões de euros na Europa, ou seja, 1,2 % do PIB.

O Erasmus+ reforçará igualmente a cooperação em matéria de educação e de formação em toda a UE — e mais além. As oportunidades de cooperação e de mobilidade com países parceiros que não pertencem à UE receberão um apoio de 400 milhões de euros por ano. A dimensão internacional do Erasmus+ assentará sobre a nova estratégia de «ensino superior europeu no mundo», que a Comissão Europeia lançou em 11 de julho: até 2020, teremos cerca de 7 milhões de estudantes que terão optado pela mobilidade à escala internacional (em comparação com 4 milhões em 2010), a maior parte dos quais proveniente da Ásia, da América Latina ou do Médio Oriente. Hoje, a Europa atrai cerca de 45 %, ou 1,8 milhões, dos estudantes que, anualmente, optam pela mobilidade.

Informações complementares

Comissão Europeia: Educação e formação

Sítio web de Androulla Vassiliou

Acompanhe Androulla Vassiliou no Twitter @VassiliouEU

Contactos :

Dennis Abbott (+32 2 295 92 58); Twitter: @DennisAbbott

Dina Avraam (+32 2 295 96 67)


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website