Navigation path

Left navigation

Additional tools

Comissão Europeia

Comunicado de imprensa

Bruxelas, 28 de janeiro de 2013

Afinar os nossos instrumentos contra o extremismo violento

Como afinar os instrumentos europeus para prevenir o extremismo violento? Uma conferência de alto nível em Bruxelas, a 29 de janeiro de 2013, irá procurar dar resposta a esta pergunta, com base no trabalho realizado por peritos e profissionais da Rede de Sensibilização para a Radicalização, lançada em 2011 pela Comissária dos Assuntos Internos da UE, Cecília Malmström. As propostas incluem a formação da polícia local para detetar sinais de radicalização no sentido do extremismo violento e organizar programas de desradicalização ou saída para membros de grupos extremistas. Ao reunir os intervenientes no terreno com os ministros, os meios académicos e as autoridades locais, a conferência pretende elevar o trabalho da UE contra o extremismo para um novo patamar.

«O extremismo violento representa uma das maiores ameaças para a segurança dos cidadãos da UE. Trata-se de uma preocupação crescente no domínio da segurança interna. A ameaça terrorista transferiu-se, em parte, dos grupos organizados para os indivíduos, que são mais difíceis de detetar e cujas ações são mais difíceis de prever. Podemos aprender muito com os profissionais da linha da frente, cujas recomendações dão ferramentas importantes e sugestões concretas aos responsáveis políticos para combater o extremismo», declarou a Comissária Malmström.

«Não conseguiremos vencer o extremismo violento sem combater também a propaganda populista e demagógica que está na base da violência ideológica na Europa», acrescentou. «Desde a II Guerra Mundial que as forças extremistas e populistas não tinham tanta influência nos parlamentos nacionais como têm hoje. É preciso que mais líderes europeus se manifestem contra o aumento do extremismo. Temos de ter coragem para resistir e proteger os valores comuns europeus».

As pessoas mais bem colocadas para combater o fenómeno do extremismo violento são as que estão em contacto direto com os indivíduos ou grupos vulneráveis. Por toda a Europa há profissionais no terreno, investigadores, professores e dirigentes de comunidades que tentam identificar e ajudar os indivíduos em risco de radicalização e de cometer atos violentos. Na conferência de alto nível, estes trabalhadores no terreno unirão forças com os Ministros do Interior e da Justiça da Bélgica, Chipre, França, Irlanda, Itália, Letónia, Noruega e Suécia, e também com representantes de uma série de outros países.

A Rede de Sensibilização para a Radicalização reuniu os melhores peritos e profissionais neste domínio e dividiu-os em 8 grupos de trabalho, em matéria de polícia e aplicação da lei, vozes das vítimas do terrorismo, Internet e redes sociais, prevenção, desradicalização, prisão e liberdade condicional, saúde e dimensão interna e externa. Os grupos de trabalho elaboraram 15 recomendações em três domínios principais: experiências e lições retiradas pelos intervenientes locais na prevenção do extremismo violento; papel das diásporas na prevenção do extremismo violento e comunicação e envio de contramensagens pela Internet.

O documento de reflexão, com as propostas de 15 ações concretas no terreno, bem como os documentos de trabalho dos grupos, estão disponíveis em linha.

As propostas a debater na conferência também incluem o apoio às vítimas do terrorismo, partilhando as suas histórias como um instrumento de prevenção, a participação de ex‑extremistas para desconstruir as narrativas de extremismo violento e a utilização de recursos de empresas de relações públicas e da indústria cinematográfica para desenvolver contranarrativas e ajudar a promover mensagens alternativas eficazes em linha.

Contexto

O terrorismo, em todas as suas formas, continua a ser um desafio fundamental para a segurança interna da UE. Prevenir e combater a radicalização encontram-se entre os principais objetivos fixados na Comunicação sobre a estratégia de segurança interna, adotada em 2010 (IP/10/1535 e MEMO/10/598).

Reconhecendo que a radicalização pode ser contida de forma mais eficaz a um nível mais próximo dos indivíduos mais vulneráveis nas comunidades mais afetadas, a Comissão lançou em setembro de 2011 a Rede de Sensibilização para a Radicalização da UE – RAN (IP/11/1011).

Esta rede apoia os profissionais da linha da frente no combate ao extremismo violento na UE e facilita o intercâmbio de experiências e boas práticas entre eles.

Presença dos meios de comunicação social

A conferência de alto nível tem lugar em Bruxelas, a 29 de janeiro de 2008, no Palácio D’Egmont, durante a qual alguns dos peritos estarão disponíveis para contactos e entrevistas com os meios de comunicação social.

A presença dos meios de comunicação social é estritamente condicionada a inscrição prévia. Para se inscrever, envie uma mensagem eletrónica a Tove Ernst.

O material audiovisual da conferência estará disponível em: http://ec.europa.eu/avservices/.

Ligações úteis

Contactos:

Michele Cercone (+32 2 298 09 63)

Tove Ernst (+32 2 298 67 64)


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website