Navigation path

Left navigation

Additional tools

Comissão Europeia

Comunicado de imprensa

Bruxelas, 24 de maio de 2013

UE, EUA e Canadá lançam aliança de investigação sobre o oceano Atlântico

A União Europeia, os Estados Unidos e o Canadá acordaram hoje unir forças em torno da investigação sobre o oceano Atlântico. A tónica do acordo é alinhar os esforços de observação oceânica dos três parceiros e os seus objetivos consistem em compreender melhor o oceano Atlântico e promover a gestão sustentável dos seus recursos. Será igualmente estudada a interação entre o oceano Atlântico e o oceano Ártico, designadamente no respeitante às alterações climáticas. A UE e os Estados-Membros, por si só, investem anualmente quase dois mil milhões de euros na investigação marinha. A «Declaração de Galway sobre a cooperação no oceano Atlântico» foi assinada hoje, numa conferência de alto nível realizada no Irish Marine Institute, em Galway. O evento contou com a presença de Taoiseach Enda Kenny, Primeiro‑Ministro irlandês (MEMO/13/455).

Máire Geoghegan-Quinn, Comissária Europeia responsável pela Investigação, Inovação e Ciência, afirmou: «O enorme potencial económico do Atlântico permanece, em larga medida, inexplorado. Provavelmente, dispomos de mais informações sobre a superfície da Lua e de Marte do que sobre os fundos abissais. Esta aliança pode contribuir de forma significativa para enfrentar, nomeadamente, os desafios das alterações climáticas e da segurança alimentar.»

Maria Damanaki, Comissária Europeia responsável pelos Assuntos Marítimos e pelas Pescas, declarou: «O acordo de hoje assenta no plano de ação para o Atlântico que apresentámos este mês. Ainda que se revista de especial interesse para os cinco Estados atlânticos da UE, a iniciativa está aberta a investigadores de toda a Europa e não só. Os conhecimentos adquiridos serão benéficos para todos.»

O acordo reconhece que, em muitas áreas, a investigação sobre o oceano Atlântico será mais eficaz se coordenada numa base transatlântica. As áreas identificadas para potencial cooperação ao abrigo do acordo incluem:

  1. Observação oceânica,

  2. Partilha de dados, designadamente temperatura, salinidade e acidez,

  3. Interoperabilidade e coordenação das infraestruturas de observação, designadamente boias de medição e navios de investigação,

  4. Gestão sustentável dos recursos oceânicos,

  5. Cartografia do fundo do mar e de habitats bentónicos,

  6. Promoção da mobilidade dos investigadores,

  7. Identificação e recomendação de futuras prioridades de investigação.

Antecedentes

O lançamento do evento em Galway contou com a presença não só de Taoiseach Enda Kenny mas também de Simon Coveney, Ministro da Agricultura, da Alimentação e da Marinha irlandês, das Comissárias Maria Damanaki e Máire Geoghegan-Quinn, de representantes dos EUA, do Canadá e dos Estados-Membros atlânticos da UE e de representantes dos setores da investigação e da indústria.

Desde 2002, a União Europeia investe um montante superior a dois mil milhões de euros em mais de um milhar de projetos de investigação marinha. Entre estes contam-se os seguintes:

  1. Projeto ice2sea, com uma duração de quatro anos e um valor de 10 milhões de EUR, destinado a prever o impacto que a fusão do gelo pode exercer no nível do mar ao longo da costa europeia,

  2. Projetos de monitorização e previsão MyOcean, no valor de 62 milhões de EUR, e

  3. Projeto Euro-Basin, com uma duração de quatro anos e um valor de 7 milhões de EUR, destinado a compreender melhor os processos ao nível das bacias que afetam os ecossistemas do Atlântico Norte, desde as alterações climáticas naturais até às pressões de origem humana.

A UE contribui igualmente para uma aliança das frotas europeias de investigação através dos projetos EuroFleets.

O plano de ação para o Atlântico (IP/13/420), apresentado pela Comissão em 13 de maio de 2013, tem por objetivo revitalizar a economia marinha e marítima na região do oceano Atlântico. Mostra como os Estados atlânticos da UE, as suas regiões e a Comissão podem contribuir para o crescimento sustentável nas regiões costeiras e impulsionar a «economia azul», preservando simultaneamente a estabilidade ambiental e ecológica do oceano Atlântico.

A atual Estratégia Europeia para a Investigação Marinha foi lançada em 2008. Baseia-se na premissa de que a ciência e a tecnologia constituem uma das soluções que permitem conciliar a promoção do crescimento económico sustentável no domínio das atividades marítimas com a conservação do ambiente.

Ligações

Plano de ação para o Atlântico

Investigação e inovação europeias

Cooperação internacional no domínio da investigação realizada no quadro da UE

Marine Institute Galway – Página respeitante ao evento

Contactos:

Michael Jennings (+32 2 296 33 88) Twitter: @ECSpokesScience

Monika Wcislo(+32 2 295 56 04)


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website