Chemin de navigation

Left navigation

Additional tools

Comissão propõe nova estratégia industrial europeia para a eletrónica — apoios mais específicos para mobilizar 100 000 M€ em novos investimentos privados

Commission Européenne - IP/13/455   23/05/2013

Autres langues disponibles: FR EN DE DA ES NL IT SV FI EL CS ET HU LT LV MT PL SK SL BG RO

Comissão Europeia

Comunicado de imprensa

Bruxelas, 23 de maio de 2013

Comissão propõe nova estratégia industrial europeia para a eletrónica — apoios mais específicos para mobilizar 100 000 M€ em novos investimentos privados

A Comissão Europeia lança hoje uma campanha de coordenação dos investimentos públicos em micro e nanoeletrónica (nomeadamente semicondutores e circuitos integrados para computadores), destinada a alargar a base de fabrico avançado da Europa.

Neelie Kroes, Vice-Presidente da Comissão Europeia, afirma, a este propósito: «Outras regiões do mundo estão a investir de forma agressiva nos circuitos integrados para computador, pelo que a Europa não pode ficar para trás. Devemos reforçar e interligar os pontos fortes que temos e criar outros. É necessária uma coordenação rápida e forte do investimento público a nível da UE, dos Estados-Membros e das regiões para que essa transformação ocorra.».

O setor da eletrónica está na base da competitividade industrial geral da Europa, já que se trata de uma tecnologia horizontal essencial para outros setores, desde a energia até à indústria automóvel, passando pela saúde. Um setor da eletrónica pujante é essencial para o crescimento e o emprego na Europa.

Neelie Kroes declarou também, a este respeito: «Desejo que a produção de circuitos integrados duplique, para atingir cerca de 20 % da produção mundial, e que a Europa produza mais circuitos integrados na Europa do que os Estados Unidos nos Estados Unidos. Este objetivo é realista se canalizarmos adequadamente os nossos investimentos.».

Elementos essenciais desta estratégia industrial:

  1. Investir mais e de forma mais coordenada em I&D&I — maximizar o impacto dos investimentos da UE e dos Estados-Membros mediante uma maior colaboração transfronteiras (prevê-se que 70 % do investimento público venha dos Estados-Membros e 30 % da UE);

  2. Reforçar os três polos europeus de eletrónica de craveira mundial, ou seja, Dresden (DE), Eindhoven (NL) — Lovaina (BE) e Grenoble (FR), e ligá-los a outros polos europeus de vanguarda, designadamente os de Cambridge (UK), Caríntia (AT), Dublim (IRL) e Milão (IT);

  3. A estratégia centrar-se-á em três eixos complementares: fazer circuitos integrados mais baratos (avançando para bolachas de silício de 450 mm, a matéria-prima de que são feitos os circuitos integrados), mais rápidos («mais Moore») e mais inteligentes («mais do que Moore»);

  4. Mobilizar 10 000 M€ de fundos privados, regionais, nacionais e da UE com base num conjunto comum de objetivos para a investigação e a inovação, incluindo 5000 M€ por via de uma parceria público-privada. Esta parceria, com uma duração de sete anos, pretende abranger toda a cadeia de valor e inovação do setor da eletrónica, financiando, inclusivamente, projetos de inovação de grande escala, no âmbito do programa de investigação Horizonte 2020.

Neelie Kroes acrescentou ainda: «Com esta estratégia, a indústria europeia ficará em melhores condições para converter as inovações da engenharia em tecnologias comercialmente implantáveis.»

O êxito desta estratégia assegurará:

  1. Uma maior disponibilidade de produtos da micro e nanoeletrónica para indústrias essenciais na Europa;

  2. Uma cadeia de abastecimento e um ecossistema alargados, criando mais oportunidades para as PME;

  3. Um maior investimento no fabrico avançado;

  4. O estímulo à inovação em toda a cadeia de abastecimento, a fim de reforçar a competitividade industrial da Europa.

O nível de ambição da Comissão é conta com o apoio dos investigadores e do setor da eletrónica, que, no final de 2012, indicaram o modo como, entre 2013 e 2020, poderia ser realizado um investimento total de 100 000 M€.

Antecedentes

Os componentes e sistemas micro e nanoeletrónicos não são apenas essenciais para os produtos e serviços digitais, estão também na base da inovação e da competitividade de todos os grandes setores económicos. Os automóveis, aviões e comboios atuais são mais seguros, mais eficientes do ponto de vista energético e mais confortáveis graças aos seus componentes eletrónicos. O mesmo se pode dizer de grandes setores como os dos equipamentos médicos e de saúde, dos eletrodomésticos, das redes energéticas e dos sistemas de segurança. Esta é a razão pela qual a micro e a nanoeletrónica é uma tecnologia horizontal essencial, sendo fundamental para o crescimento e o emprego na União Europeia.

Tendo registado um crescimento médio anual de 5 % desde 2000, a indústria eletrónica europeia emprega hoje diretamente 200 000 pessoas e indirectamente mais um milhão, gerando ainda uma procura não satisfeita de trabalhadores qualificados.

Nos últimos 15 anos, foram realizados esforços substanciais para criar polos industriais e tecnológicos na Europa. Dado o amplo leque de oportunidades futuras e os desafios que o setor enfrenta, é urgente intensificar e coordenar todos os esforços nesta matéria por parte do setor público em toda a Europa.

Todos os setores da economia da Europa beneficiarão com esta estratégia, dado que, no mínimo, 10 % do PIB depende de produtos e serviços eletrónicos.

Ligações úteis

MEMO/13/451 New Electronics Strategy: what's in it for the economy?

Comunicação «Estratégia europeia para os componentes e sistemas micro e nanoeletrónicos»

Electronics on the Digital Agenda

Key Enabling Technologies

Hash Tags: #electronics, #nanoelectronics

Have Your Say

Digital Agenda

Neelie Kroes

Siga Neelie no Twitter

Contactos :

Ryan Heath (+32 2 296 17 16), Twitter: @RyanHeathEU

Linda Cain (+32 2 299 90 19)


Side Bar

Mon compte

Gérez vos recherches et notifications par email


Aidez-nous à améliorer ce site