Chemin de navigation

Left navigation

Additional tools

Comissão Europeia

Comunicado de imprensa

Bruxelas, 6 de maio de 2013

Ambiente: o investimento nas infraestruturas verdes criará múltiplos benefícios para a natureza, a sociedade e as pessoas

A Comissão Europeia adotou hoje uma nova estratégia que visa incentivar a utilização de infraestruturas verdes e assegurar que a melhoria dos processos naturais é sistematicamente tida em conta no domínio do ordenamento do território. A infraestrutura verde é um instrumento bem conhecido que recorre à natureza para criar benefícios ecológicos, económicos e sociais. Por exemplo, em vez da construção de infraestruturas de proteção contra as inundações, a infraestrutura verde é uma solução que permite que as zonas húmidas naturais absorvam o excesso de água das grandes chuvadas.

O Comissário do Ambiente, Janez Potočnik, afirmou: «A criação de infraestruturas verdes é frequentemente um bom investimento para a natureza, para a economia e para o emprego. Devemos proporcionar à sociedade soluções que lhe permitam cooperar com a natureza, em vez de a prejudicar, sempre que tal faça sentido do ponto de vista económico e ambiental».

A infraestrutura verde é muitas vezes mais barata e mais resistente do que as alternativas convencionais oferecidas pela engenharia civil. Os parques ricos em biodiversidade, espaços verdes e corredores de ar fresco podem, por exemplo, atenuar os efeitos negativos das vagas de calor estivais. Para além dos benefícios para a saúde e o ambiente, a infraestrutura verde também proporciona muitos benefícios sociais: cria postos de trabalho, torna as cidades mais atraentes para viver e trabalhar e permite um bom desenvolvimento da fauna selvagem, mesmo num contexto urbano.

A estratégia lançada hoje tem os seguintes objetivos:

  • Promover as infraestruturas verdes nos principais domínios de intervenção como a agricultura, silvicultura, ambiente, água, mar e pescas, política regional e de coesão, atenuação e adaptação às alterações climáticas, transportes, energia, prevenção de catástrofes e políticas de utilização dos solos. Até ao final de 2013, a Comissão vai elaborar orientações para demonstrar como a infraestrutura verde pode ser integrada na aplicação destas políticas entre 2014 e 2020.

  • Melhorar a investigação e os dados, reforçar a base de conhecimentos e promover tecnologias inovadoras que apoiem as infraestruturas verdes.

  • Melhorar o acesso ao financiamento para os projetos de infraestruturas verdes — até 2014, a Comissão vai criar, juntamente com o Banco Europeu de Investimento, um instrumento de financiamento da UE destinado a apoiar projetos de infraestruturas verdes.

  • Apoiar projetos de infraestruturas verdes a nível da UE - a Comissão vai realizar um estudo, até ao final de 2015, para avaliar as possibilidades de desenvolver uma rede de infraestruturas verdes à escala da UE.

Próximas etapas

Até ao final de 2017, a Comissão vai analisar os progressos no desenvolvimento da infraestrutura verde e publicar um relatório sobre os ensinamentos obtidos, juntamente com recomendações para a ação futura.

Antecedentes

A paisagem europeia está mudar drasticamente todos os dias, pela fragmentação, alteração e intensificação da utilização dos solos, em resultado do contínuo desenvolvimento humano. A expansão urbana e a construção de infraestruturas rodoviárias e energéticas têm degradado e dividido ecossistemas preciosos, afetando os seus habitats e espécies e reduzindo a coerência espacial e funcional da paisagem. Os ecossistemas degradados tendem a apresentar pouca riqueza de espécies e são incapazes de proporcionar a mesma gama de serviços que os ecossistemas saudáveis. Estes têm um valor imediato para a nossa economia e, por conseguinte, o investimento em infraestruturas verdes faz sentido em termos económicos.

Normalmente, o investimento na infraestrutura verde tem uma alta rentabilidade. Por exemplo, num projeto de reabilitação de planícies aluviais ao longo do rio Elba, na Alemanha, a restruturação do sistema de diques, o investimento na gestão agrícola adaptada aos aluviões e a construção de eclusas para peixes traduzem-se em benefícios até quatro vezes superiores aos custos. As atividades de lazer, a proteção contra inundações e os benefícios a nível das emissões de carbono, que não foram quantificados monetariamente, aumentariam ainda mais o valor estimado destes benefícios.

As infraestruturas verdes em ambiente urbano, como os telhados verdes, parques e corredores verdes contribuem para a saúde humana e para fazer face aos problemas sociais, poupar energia e facilitar o escoamento das águas. Um melhor planeamento das infraestruturas também contribui para políticas de mobilidade e de construção mais eficientes.

A comunicação sobre infraestruturas verdes baseia-se no Roteiro para uma Europa Eficiente na utilização de recursos e na Estratégia de Biodiversidade da UE para 2020, a fim de promover o investimento e a utilização de infraestruturas verdes na Europa.

Para mais informações:

Ligação à Comunicação e resumo para o cidadão:

http://ec.europa.eu/environment/nature/ecosystems/index_en.htm

Novo vídeo sobre as infraestruturas verdes:

http://www.tvlink.org/

Ver também:

http://ec.europa.eu/environment/nature/ecosystems/

Contactos :

Joe Hennon (+32 2 295 35 93)

Monica Westeren (+32 2 299 18 30)


Side Bar

Mon compte

Gérez vos recherches et notifications par email


Aidez-nous à améliorer ce site