Navigation path

Left navigation

Additional tools

Comissão Europeia

Comunicado de imprensa

Bruxelas, 11 de abril de 2013

Progressos no combate ao abandono escolar precoce e no aumento dos níveis de conclusão do ensino superior, com os homens cada vez mais atrás

A maioria dos Estados-Membros da UE regista progressos na consecução das metas para a educação da estratégia Europa 2020, que preconizam uma redução do abandono escolar precoce para menos de 10% e um aumento da percentagem de jovens que concluem o ensino superior (de terceiro nível ou equivalente) para mais de 40% até 2020, segundo os novos dados de 2012 publicados hoje pelo Eurostat. No entanto, existem ainda disparidades acentuadas entre os Estados-Membros e entre os géneros. A percentagem de jovens que abandonam o ensino precocemente é agora de 12,8% na UE, contra os 13,5% registados em 2011. Em 2012, 35,8% das pessoas na faixa etária 30-34 anos na UE tinham concluído o ensino superior, comparativamente a 34,6% no ano anterior.

Androulla Vassiliou, Comissária para a Educação, a Cultura, o Multilinguismo e a Juventude, declarou: «Os progressos na consecução das metas de educação que nos propusemos transmitem uma mensagem positiva numa conjuntura de incerteza económica. No futuro, os empregos exigirão qualificações de nível mais elevado e estes dados demonstram que mais jovens estão determinados em concretizar as suas plenas potencialidades. Constatamos também que os esforços empreendidos no sentido de melhorar os sistemas de educação europeus e aumentar a acessibilidade estão a dar frutos. Insto, pois, todos os Estados-Membros a prosseguir os respetivos esforços para que possamos alcançar as metas fixadas para 2020; Tal é especialmente importante para os países que não registaram progressos ou cujo desempenho piorou relativamente ao ano anterior. Convido-os a intensificar esforços e a seguir os muitos exemplos de boas práticas.»

12 Estados-Membros (Áustria, República Checa, Dinamarca, Finlândia, Irlanda, Lituânia, Luxemburgo, Países Baixos, Polónia, Eslováquia, Eslovénia e Suécia) registam atualmente taxas de abandono escolar precoce inferiores à meta de 10% da estratégia Europa 2020, com a Irlanda a atingir este nível pela primeira vez. Espanha (24,9%), Malta (22,6%) e Portugal (20,8%) têm as taxas mais elevadas de abandono escolar precoce, mas conseguiram alguns progressos comparativamente a 2011. A Alemanha, a Grécia, a Irlanda, a Letónia e o Reino Unido reduziram o abandono escolar precoce pelo menos um ponto percentual, mas a taxa aumentou na Bulgária, em Chipre, na República Checa, na Hungria, no Luxemburgo, na Polónia, na Eslováquia, na Eslovénia e na Suécia.

Em 2012, a percentagem de pessoas na faixa etária 30-34 anos com um diploma de ensino superior era superior à meta de 40% da estratégia Europa 2020 em 12 Estados-Membros (Bélgica, Chipre, Dinamarca, Finlândia, França, Irlanda, Lituânia, Luxemburgo, Países Baixos, Espanha, Suécia e Reino Unido). Na Polónia e na Eslovénia, a percentagem deverá exceder os 40% no próximo ano. A percentagem de jovens com habilitações de nível superior continua a ser baixa na Itália (21,7%), na Eslováquia (23,7%), na Roménia (21,8%), em Malta (22,4%), na República Checa (25,6%) e em Portugal (27,2%). Preocupante é o facto de a já de si baixa taxa de sucesso na conclusão ensino superior na Bulgária (26,9%) ter diminuído ligeiramente em 2012.

Na globalidade, as raparigas registam resultados mais favoráveis: a taxa de abandono escolar precoce das raparigas é 24% inferior à dos rapazes. A disparidade é mais acentuada em Chipre (+58%), na Letónia (+57%), no Luxemburgo (+57%) e na Polónia (+55%), países onde a taxa de abandono escolar precoce dos rapazes é mais do dobro da das raparigas. As mulheres têm também maiores probabilidades (+27%) de concluírem estudos de nível superior. As disparidades entre os géneros são mais vincadas na Letónia (+85%), na Estónia (+79%), na Bulgária (+68%) e na Eslovénia (+67%).

Contexto

Os valores foram compilados pelo Eurostat no contexto do Inquérito às Forças de Trabalho (LFS) que fornece dados sobre a situação e a evolução do mercado de trabalho da UE, nomeadamente em matéria de educação e formação.

O abandono escolar precoce é medido pela percentagem da população na faixa etária 18-24 anos que concluiu apenas o ensino secundário inferior ou menos e já não se encontra no ensino ou em ações de formação. A conclusão do ensino superior (de terceiro nível) é expressa pela proporção de população na faixa etária 30-34 anos que concluiu estudos de terceiro nível (ou equivalente).

Próximas ações

Os Estados-Membros concordaram, na reunião do Conselho de fevereiro de 2013, colocar a tónica na melhoria dos desempenhos dos jovens em risco de abandonarem o ensino precocemente e com baixas habilitações. Tal pode ser alcançado, por exemplo, através de uma deteção precoce desses casos no sistema de educação e da prestação de apoio individualizado.

No próximo mês, a Comissão Europeia avaliará as medidas adotadas pelos Estados-Membros para concretizarem os grandes objetivos da estratégia Europa 2020 em favor do crescimento e do emprego. Poderá ainda propor recomendações específicas por país.

A Comissão apresentará também um relatório sobre os mais recentes progressos verificados em matéria de abandono escolar precoce e de conclusão do ensino superior no próximo Monitor da Educação e da Formação (outono de 2013).

Para mais informações:

Comissão Europeia: Abandono escolar precoce

Comissão Europeia: Modernização da agenda para o ensino superior

Eurostat: Inqúerito às Forças de Trabalho

Comissão Europeia: Educação e formação

Sítio Web de Androulla Vassiliou

Acompanhe Androulla Vassiliou no Twitter @VassiliouEU

Contacts :

Dennis Abbott (+32 2 295 92 58); Twitter: @DennisAbbott

Dina Avraam (+32 2 295 96 67)

Quadro 1: Taxas de abandono escolar precoce na UE (% em 2010, 2011 e 2012), variação em relação ao último ano (em pontos percentuais) e meta nacional para 2020

 

2010

2011

2012

Change 2011-2012

National target

EU

14.0

13.5

12.8p

-0.7

less than 10.0

Austria

8.3

8.3

7.6

-0.7

9.5

Belgium

11.9

12.3

12.0

-0.3

9.5

Bulgaria

13.9

11.8

12.5

0.7

11.0

Cyprus

12.7

11.3

11.4

0.1

10.0

Czech Republic

4.9

4.9

5.5

0.6

5.5

Denmark

11.0

9.6

9.1

-0.5

less than 10.0

Estonia

11.6

10.9

10.5

-0.4

9.5

Finland

10.3

9.8

8.9

-0.9

8.0

France

12.6

12.0

11.6

-0.4

9.5

Germany

11.9

11.7

10.5p

-1.2

less than 10.0

Greece

13.7

13.1

11.4

-1.7

9.7

Hungary

10.5

11.2

11.5

0.3

10.0

Ireland

11.4

10.8

9.7

-1.1

8.0

Italy

18.8

18.2

17.6

-0.6

15.0-16.0

Latvia

13.3

11.6b

10.5

-1.1

13.4

Lithuania

8.1

7.2

6.5

-0.7

less than 9.0

Luxembourg

7.1

6.2

8.1p

1.9

less than 10.0

Malta

24.8

23.6

22.6

-1.0

29.0

Netherlands

10.0

9.1

8.8p

-0.3

less than 8.0

Poland

5.4p

5.6p

5.7p

0.1

4.5

Portugal

28.7

23.2

20.8

-2.4

10.0

Romania

18.4

17.5

17.4

-0.1

11.3

Slovakia

4.7

5.0

5.3

0.3

6.0

Slovenia

5.0

4.2

4.4

0.2

5.0

Spain

28.4

26.5

24.9

-1.6

15.0

Sweden

6.5

6.6

7.5

0.9

less than 10.0

United Kingdom

14.9

15.0

13.5

-1.5

No target

Fonte: Eurostat (UE LFS); b= interrupção na série temporal; p= provisória

Nota: As séries de Malta relativas ao abandono precoce de ações de educação e formação foram revistas. Esta revisão diz respeito à classificação de certas qualificações a nível secundário. Para mais explicações, consultar o sítio Web do Eurostat. A meta nacional reporta-se aos dados anteriores à revisão.

Quadro 2: Disparidades entre os géneros em termos de abandono escolar precoce, rapazes= 100, 2012

Fonte: Eurostat (EU LFS)

Nota: A nível da UE27, são apenas 76 raparigas para 100 rapazes que abandonam o ensino precocemente. Em Chipre, são 42 raparigas para 100 rapazes, e a Bulgária é o único país onde há mais raparigas a abandonar o ensino precocemente (107 para 100).

Quadro 3: Conclusão do ensino superior ou equivalente na faixa etária 30-34 anos (% em 2010, 2011 e 2012), variação em relação ao último anterior (em pontos percentuais) e meta nacional para 2020

 

2010

2011

2012

Change 2011-2012

National target

EU

33.5

34.6

35.8p

1.2

at least 40.0

Austria1

23.5

23.8

26.3

2.5

38.0

Belgium

44.4

42.6

43.9

1.3

47.0

Bulgaria

27.7

27.3

26.9

-0.4

36.0

Cyprus

45.3

46.2

49.9

3.7

46.0

Czech Republic

20.4

23.8

25.6

1.8

32.0

Denmark

41.2

41.2

43.0

1.8

at least 40.0

Estonia

40.0

40.3

39.1

-1.2

40.0

Finland

45.7

46.0

45.8

-0.2

42.0

France

43.5

43.3

43.6

0.3

50.0

Germany2

29.8

30.7

31.9p

1.2

42.0

Greece

28.4

28.9

30.9

2

32.0

Hungary

25.7

28.1

29.9

1.8

30.3

Ireland

49.9

49.7

51.1

1.4

60.0

Italy

19.8

20.3

21.7

1.4

26.0-27.0

Latvia

32.3

35.9b

37.0

1.1

34.0-36.0

Lithuania

43.8

45.8

48.7

2.9

40.0

Luxembourg

46.1

48.2

49.6p

1.4

40.0

Malta

21.5

21.4

22.4

1.3

33.0

Netherlands

41.4

41.1b

42.3p

1.2

more than 40.0

Poland

35.3p

36.9p

39.1p

2.2

45.0

Portugal

23.5

26.1

27.2

1.1

40.0

Romania

18.1

20.4

21.8

1.4

26.7

Slovakia

22.1

23.4

23.7

0.3

40.0

Slovenia

34.8

37.9

39.2

1.3

40.0

Spain

40.6

40.6

40.1

-0.5

44.0

Sweden

45.3

46.8

47.9

0.5

40.0-45.0

United Kingdom

43.0

45.8

47.1

1.3

No target

Fonte: Eurostat (EU LFS); b= interrupção na série temporal; p= provisória

Quadro 4: Disparidades entre os géneros na conclusão do ensino superior, homens= 100, 2012

Fonte : Eurostat (EU LFS)

Nota: A nível da UE27, há 127 mulheres para 100 homens na faixa etária 30 to 34 anos que, em 2012, concluíram o ensino superior. Na Letónia, são 85 mulheres para 100 homens e o Luxemburgo é o único país onde há mais homens do que mulheres a concluírem o ensino superior (97 mulheres para 100 homens).

1 :

A meta nacional austríaca inclui a conclusão de estudos pós-secundários de nível ISCED 4a, o que resulta em 37% (2011).

2 :

A meta nacional alemã inclui a conclusão de estudos pós-secundários de nível ISCED 4a, o que resulta em 42% (2011).


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website