Navigation path

Left navigation

Additional tools

Comissão Europeia

Comunicado de imprensa

Bruxelas, 16 de dezembro de 2013

Eurobarómetro: metade dos Europeus estão satisfeitos com os caminhos-de-ferro, mas a oferta de serviços precisa de ser melhorada

Segundo um inquérito Eurobarómetro publicado hoje, 58 % dos europeus estão satisfeitos com os serviços ferroviários do seu país. Em contrapartida, os europeus que utilizam o comboio são relativamente poucos. Em alguns países, o número de utilizadores que considera demasiado complicado o processo de aquisição de bilhetes é preocupantemente elevado. Cerca de 19 % dos europeus não utilizam o comboio por razões de acessibilidade. As pessoas com mobilidade reduzida queixaram-se especialmente de más condições de acessibilidade às carruagens e às plataformas e de falta de informação sobre a acessibilidade quando planeiam uma viagem.

O Vice-Presidente da Comissão, Siim Kallas, e Comissário responsável pelos Transportes afirmou: «Apenas um quarto dos viajantes da União Europeia utiliza regularmente o comboio, o que é insuficiente. É preciso tornar as viagens por caminho-de-ferro mais atraentes e este estudo mostra muito claramente os aspetos em que é necessário intervir. Por exemplo, o facto de em alguns países ser tão complicado adquirir bilhetes de comboio é inaceitável. Optar pelo comboio deve ser tão rápido e tão fácil como tirar o automóvel da garagem.»

O inquérito representativo, no qual participaram 26 000 europeus, foi realizado para analisar o grau de satisfação dos passageiros de caminho-de-ferro da UE com os serviços ferroviários nacionais, nomeadamente os comboios propriamente ditos, as estações e a acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida. Este inquérito surge na sequência de um inquérito idêntico realizado em 2011 (disponível em http://ec.europa.eu/public_opinion/flash/fl_326_en.pdf).

Os resultados do inquérito confirmam que é preciso envidar mais esforços para que o caminho-de-ferro possa tornar-se um modo de transporte fácil de utilizar. Em janeiro de 2012, a Comissão apresentou o 4.º pacote ferroviário com propostas ambiciosas para a abertura à concorrência dos serviços nacionais de transporte ferroviário.

Bilhetes e informações

O nível geral de satisfação no que respeita à facilidade de aquisição de bilhetes não melhorou desde 2011 (grau de satisfação de 78 %), mas melhorou de forma significativa na Áustria e na Grécia (14 e 10 pontos percentuais respetivamente) e piorou de forma preocupante em Itália, na Dinamarca e na Eslovénia (mais de 10 pontos percentuais nos três países).

O grau de satisfação com a prestação de informações durante as viagens de comboio, em especial em caso de atrasos, continua a ser insuficiente (inferior a 50 %). Os níveis mais elevados de satisfação registam-se no Reino Unido (70 %), na Finlândia e na Irlanda (68 % e 62 %). Os níveis mais elevados de insatisfação registam-se em França (47 %) e na Alemanha (42 %).

O 4 pacote ferroviário apresenta propostas que permitirão dispor de sistemas comuns de informação e de emissão integrada de bilhetes.

Fiabilidade

O grau de satisfação com a pontualidade e a fiabilidade é maior na Irlanda, na Letónia, na Áustria e no Reino Unido (acima dos 73 %). O grau de insatisfação é maior em Itália (44 %), na Alemanha (42 %), na Polónia (40 %) e em França (39 %).

A satisfação em matéria de frequência dos comboios é essencial para atrair os viajantes – o fator tempo é determinante nas decisões dos passageiros. Globalmente, 59 % dos europeus dizem-se satisfeitos com a frequência. A Itália e a Europa Central e do Sudeste registam os níveis mais baixos de satisfação.

As propostas apresentadas no âmbito do 4.º pacote ferroviário para reforçar o papel dos gestores de infraestruturas deverão permitir melhorar a gestão e a fiabilidade da rede ferroviária.

No âmbito da sua nova política de infraestruturas, a UE está a investir em projetos pan-europeus no setor dos transportes (um apoio financeiro no valor de 26 mil milhões de euros), nomeadamente no setor ferroviário, para construir as ligações transfronteiriças que ainda faltam, eliminar os estrangulamentos e tornar a rede mais inteligente.

Acessibilidade

Apenas 37 % dos europeus estão satisfeitos com a acessibilidade geral das estações ferroviárias para as pessoas com mobilidade reduzida. O grau de satisfação é maior no Reino Unido (61 %), na Irlanda (56 %) e em França (52 %). Na Alemanha, na Suécia, em Itália e na Europa Oriental os índices de satisfação são inferiores à média.

Apenas 46 % dos inquiridos estão satisfeitos com a acessibilidade das plataformas (40 % no caso das carruagens), registando-se uma percentagem ainda mais baixa quando se trata das informações sobre a acessibilidade antes da viagem (39 %) ou da assistência a pessoas com mobilidade reduzida (37 %) . As percentagens baixam ainda mais quando os próprios inquiridos são diretamente afetados (um grau de satisfação de 43 % com a acessibilidade das plataformas e de 37 % com a acessibilidade das carruagens).

As questões de acessibilidade são essenciais para melhorar a quota modal do transporte ferroviário, em especial no contexto do envelhecimento da população europeia. 34 % dos inquiridos que nunca viajam de comboio citam pelo menos um problema de acessibilidade entre as razões para não utilizarem este modo de transporte. Estes dados podem significar que o caminho-de-ferro não chega a cerca de 19 % da população da UE por questões de acessibilidade.

Tratamento das reclamações

O grau de satisfação com o tratamento das reclamações aumentou consideravelmente (11 pontos percentuais desde 2011) - um sinal de que a aplicação do Regulamento relativo aos direitos dos passageiros1começa a dar resultados. Em quatro Estados-Membros (França, Letónia, Finlândia e Espanha), o grau de satisfação chega a registar um aumento superior a 20 pontos percentuais.

Utilização atual dos comboios na UE

Apenas 35 % dos europeus utilizam os comboios intercidades várias ou muitas vezes por ano, apesar de 83 % viverem a 30 minutos de uma estação de caminho-de-ferro.

32 % dos europeus nunca utilizam os comboios intercidades.

53 % dos europeus nunca utilizam comboios suburbanos, apesar de 31 % viverem a 10 minutos de uma estação de caminho-de-ferro. Apenas 14 % dos inquiridos utilizam comboios suburbanos várias vezes por semana.

O automóvel continua a ser o principal meio de transporte na Europa, embora a situação esteja a mudar: em 2010, os europeus percorreram, em média, uma distância de quase 9 500 km de automóvel, ou seja, menos 100 km do que em 2004.

Para mais informações:

Resultados completos do inquérito Eurobarómetro sobre o grau de satisfação dos passageiros ferroviários:

http://ec.europa.eu/public_opinion/archives/flash_arch_390_375_en.htm#382a

Transporte ferroviário no sítio Internet da Comissão

Direitos dos passageiros ferroviários no Sítio Internet da Comissão.

Campanha de informação sobre os direitos dos passageiros

Siga o Vice-Presidente Siim Kallas no Twitter

Contactos:

Helen Kearns (+32 2 298 76 38)

Dale Kidd (+32 2 295 74 61)

1 :

Regulamento (CE) n.º 1371/2007 relativo aos direitos e obrigações dos passageiros dos serviços ferroviários.


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website