Navigation path

Left navigation

Additional tools

Setor da construção: libertar o potencial dos edifícios de baixo consumo energético para relançar o crescimento

European Commission - IP/12/869   31/07/2012

Other available languages: EN FR DE DA ES NL IT SV FI EL CS ET HU LT LV MT PL SK SL BG RO

Comissão Europeia

Comunicado de imprensa

Bruxelas, 31 de julho de 2012

Setor da construção: libertar o potencial dos edifícios de baixo consumo energético para relançar o crescimento

Os edifícios de baixo consumo energético com elevado potencial de poupança em matéria de CO2 e de energia ainda não têm uma forte presença no mercado, apesar das suas vantagens económicas e ambientais. O setor da construção representa mais de 10% do emprego total na UE. Por esse motivo, a Comissão Europeia apresentou hoje uma estratégia para relançar o setor como propulsor da criação de empregos e do crescimento sustentável da economia em geral.

Entre outros aspetos, esta estratégia pretende estimular condições de investimento favoráveis, em especial no que se refere à renovação e manutenção de edifícios, por exemplo, utilizando o pacote de cerca de 120 mil milhões de euros em empréstimos disponibilizado pelo Banco Europeu de Investimento (BEI), como parte do Pacto para o Crescimento e o Emprego, decidido em junho; em segundo lugar, pretende estimular a inovação, melhorando as qualificações dos trabalhadores através da promoção da mobilidade; em terceiro, melhorar a eficiência dos recursos mediante a promoção do reconhecimento mútuo dos sistemas de construção sustentáveis na UE; em quarto, proporcionar normas de conceção e projeto, bem como códigos de boas práticas destinados a facilitar o trabalho das empresas de construção em outros Estados-Membros e, por último, promover a posição global das empresas de construção europeias para fomentar bons desempenhos e normas sustentáveis em países terceiros.

O Vice-Presidente da Comissão Europeia Antonio Tajani, Comissário responsável pela Indústria e pelo Empreendedorismo, declarou: «Neste período de grave crise económica e social que atravessamos, os edifícios de baixo consumo energético representam investimentos seguros e viáveis para a sociedade e para os investidores privados. O setor da construção deve reconhecer esta oportunidade para inovar e atrair novos talentos. As novas tecnologias constituem um enorme potencial, não apenas para a construção de novos edifícios mas também para a renovação de milhões de edifícios existentes, para os dotar de elevada eficiência energética, em consonância com os objetivos da estratégia Europa 2020. Não podemos deixar escapar esta oportunidade. O setor da construção pode vir a ser determinante para o crescimento sustentável.»

Porque necessita a UE de uma estratégia para o setor da construção?

  • a crise financeira e económica implicou uma queda de 17% no setor da construção e das infraestruturas, entre janeiro de 2008 e abril de 2012, na UE-27;

  • o rebentar da bolha imobiliária continuou a reduzir a atividade do setor de forma significativa, gerando desemprego;

  • a contração dos mercados de crédito e a prática dos atrasos de pagamento pressionaram a solvabilidade das empresas de construção;

  • o setor necessita permanentemente de mão de obra qualificada;

  • a introdução de edifícios com necessidades quase nulas de energia («edifícios de balanço energético quase zero»), tal como se anuncia na reformulada diretiva relativa ao desempenho energético dos edifícios, irá constituir um importante desafio para o setor da construção;

  • os esforços para melhorar a eficiência energética e para integrar as fontes de energia renováveis estão a avançar lentamente, sobretudo na renovação de edifícios existentes;

  • a situação dos mercados internacionais é crítica para os operadores da UE. As condições de concorrência com outros países são difíceis, pois alguns desses países têm requisitos sociais e ambientais menos severos. Os operadores de países terceiros também beneficiam de ajudas estatais, como acontece, por exemplo, na China, o que limita as oportunidades de acesso a esses mercados por parte dos operadores da UE.

Próximas etapas

Será organizado um Fórum de Alto Nível com os Estados-Membros e representantes setoriais para acompanhar a execução da estratégia e formular recomendações sobre quaisquer ajustamentos necessários ou novas iniciativas a lançar. Em paralelo, grupos temáticos e de outro tipo debaterão várias abordagens para a implementação de iniciativas específicas, avaliarão os possíveis efeitos das ações em vigor, tanto ao nível nacional como setorial, sobre iniciativas específicas e identificarão oportunidades de sinergias.

Contexto

O setor da construção ocupa um lugar importante na economia europeia, pois gera quase 10% do PIB da UE e representa 20 milhões de postos de trabalho, nomeadamente nas micro e pequenas empresas. A competitividade do setor da construção pode influenciar significativamente a evolução da economia em geral. O desempenho energético dos edifícios e a gestão eficaz dos recursos na produção, no transporte e na utilização de produtos para a construção de edifícios e infraestruturas têm um impacto apreciável sobre a qualidade de vida dos europeus. A competitividade das empresas de construção é, por conseguinte, uma questão relevante não apenas para o crescimento e o emprego em geral, mas também para garantir a sustentabilidade do setor.

Para mais informações, ver MEMO/12/610.

Mais informações

Contactos :

Carlo Corazza (+32 2 295 17 52)

Sara Tironi (+32 2 299 04 03)


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website