Navigation path

Left navigation

Additional tools

Agenda Digital: Comissão lança consulta sobre as regras para os dispositivos inteligentes conectados – a «Internet das coisas»

European Commission - IP/12/360   12/04/2012

Other available languages: EN FR DE DA ES NL IT SV FI EL CS ET HU LT LV MT PL SK SL BG RO

Comissão Europeia – Comunicado de Imprensa

Agenda Digital: Comissão lança consulta sobre as regras para os dispositivos inteligentes conectados – a «Internet das coisas»

Bruxelas, 12 de abril de 2012 – A «Internet das coisas» (IdC) consubstancia um futuro no qual objetos de uso quotidiano, como os telemóveis, os automóveis, os eletrodomésticos, o vestuário e mesmo os alimentos estão ligados sem fios à Internet através de pastilhas eletrónicas inteligentes, podendo recolher e partilhar dados. A Comissão Europeia pretende saber qual o quadro necessário para realizar plenamente os potenciais benefícios económicos e sociais da IdC, assegurando, ao mesmo tempo, um controlo adequado dos dispositivos que recolhem, tratam e armazenam informações, nomeadamente as respeitantes aos padrões de comportamento, à localização e às preferências dos utilizadores. A Comissão pretende garantir o respeito dos direitos dos cidadãos, pelo que lança uma consulta pública aberta a contributos até 12 de julho de 2012.

Atualmente, um cidadão comum tem, no mínimo, dois objetos ligados à Internet, prevendo-se que, em 2015, esse número suba para sete e que, em todo o mundo, haja 25 mil milhões de dispositivos ligados sem fios. Em 2020, aquele número poderá ser o dobro, ou seja, 50 mil milhões. Tal significa que, no futuro, muitos objetos de uso quotidiano poderão estar interligados. Por exemplo, se um professor universitário anular uma aula da manhã por se sentir doente, os despertadores e as máquinas de café dos alunos poderão ser automaticamente reprogramados, oferecendo-lhes uma hora suplementar de sono. Se um idoso se esquecer de tomar um comprimido muito importante, poderá ser enviada uma mensagem de texto de alerta a um parente próximo ou mesmo a um centro de emergência local, para que alguém entre em contacto com o idoso e verifique se ele está bem.

Neelie Kroes, Vice-Presidente da Comissão Europeia e responsável pela Agenda Digital, declarou, a este respeito: «A Internet das coisas, o próximo grande avanço, implica a incorporação de inteligência nos objetos de uso quotidiano. Quero promover uma Internet das coisas que ajude a realizar os nossos objetivos económicos e sociais, preservando, ao mesmo tempo, a segurança, a privacidade e o respeito dos valores éticos».

A materialização do enorme potencial económico e social da IdC exige condições equitativas, ou seja, que todos os intervenientes possam competir em condições de igualdade, sem «guardiães» nem utilizadores bloqueados. A aceitação social da IdC exige a definição de um quadro ético e jurídico, apoiado na tecnologia, que ofereça às pessoas meios de controlo e de segurança. Através da consulta, a Comissão procura obter opiniões sobre privacidade e segurança, incluindo a segurança das infraestruturas críticas da IdC, ética, interoperabilidade, governação e normas. Os resultados da consulta serão tomados em conta na recomendação da Comissão sobre a IdC, a apresentar no verão de 2013. Impulsionar a IdC é uma prioridade da Agenda Digital para a Europa (ver IP/10/581, MEMO/10/199 e MEMO/10/200).

Contexto

Atualmente, a Internet oferece acesso a conteúdos e informações através da ligação a páginas Web a partir de diversos terminais, como computadores, telemóveis ou televisores. A próxima evolução tornará possível o acesso a informações relativas ao ambiente físico, com base em objetos interligados dotados de sensores e que comunicam através de pastilhas eletrónicas inteligentes que utilizam a identificação por radiofrequências (RFID), com ou sem intervenção humana.

Há inúmeros exemplos desta evolução dos dispositivos ligados em rede: um automóvel poderá comunicar o estado em que se encontram os seus vários subsistemas, com vista ao diagnóstico e à manutenção à distância, utilizando sensores de comunicação incorporados; as pessoas em viagem poderão receber informações no seu telemóvel sobre a situação das portas de casa e das persianas (fechadas/abertas) ou mesmo sobre o conteúdo do frigorífico, transmitidas por sensores instalados em casa; um automóvel poderá indicar ao condutor uma rota alternativa em caso de congestionamento; dispositivos pessoais poderão transmitir a um centro de saúde os dados mais recentes sobre a saúde de doentes teleassistidos.

Esta consulta pública será tomada em conta numa nova recomendação sobre a IdC, que dará seguimento à comunicação da Comissão sobre a IdC publicada em 2009 (ver IP/09/952). Essa comunicação definiu 14 linhas de ação para que a Europa possa criar tecnologias e sistemas da IdC compatíveis com os seus valores fundamentais, nomeadamente a proteção da privacidade e dos dados pessoais.

Ligações úteis

Documento sobre a consulta

Comunicação de 2009 sobre a Internet das coisas

Vídeos sobre a Internet das coisas:

A identificação por radiofrequências (RFID) e a Internet das coisas:

Sítio Web da Agenda Digital

Sítio Web de Neelie Kroes

Acompanhe Neelie Kroes no Twitter

Contactos :

Ryan Heath (+32 2 296 17 16)

Linda Cain (+32 2 299 90 19)


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website