Chemin de navigation

Left navigation

Additional tools

Emprego: Comissão moderniza a rede EURES, que promove a mobilidade dos candidatos a emprego

Commission Européenne - IP/12/1262   26/11/2012

Autres langues disponibles: FR EN DE DA ES NL IT SV FI EL CS ET HU LT LV MT PL SK SL BG RO

Comissão Europeia

Comunicado de Imprensa

Bruxelas, 26 de novembro de 2012

Emprego: Comissão moderniza a rede EURES, que promove a mobilidade dos candidatos a emprego

Foi adotada pela Comissão Europeia uma decisão destinada a modernizar e melhorar a rede pan-europeia de procura de emprego EURES. A decisão contribuirá para aumentar a mobilidade dos trabalhadores entre os Estados‑Membros e para abrir caminho a um verdadeiro mercado de trabalho europeu. A reforma da rede EURES tem por objetivo ajudar os candidatos a emprego a entrar mais facilmente em contacto com empregadores que procuram competências específicas, centrar a atenção nos setores e nas profissões em que existem défices de qualificações e apoiar atividades de mobilidade específicas para os jovens.

O Comissário do Emprego, Assuntos Sociais e Inclusão, László Andor, comentou: «A solução para os atuais níveis inaceitáveis de desemprego pode passar pela melhoria da mobilidade dos candidatos a emprego entre os Estados‑Membros. A rede EURES melhorada terá como objetivo ajudar as pessoas que estão dispostas a ir trabalhar para outro país a encontrar ofertas de emprego adequadas e ajudar os empregadores a encontrar trabalhadores com as qualificações que procuram. Apelamos agora a todos os Estados-Membros para que se preparem para aplicar esta reforma.»

Apesar das elevadas taxas de desemprego (mais de 25 milhões de pessoas na UE), existem ainda défices de mão-de-obra e vagas difíceis de prover. Efetivamente, o número de postos por preencher tem vindo a aumentar desde meados de 2009, sobretudo nos setores de elevado crescimento como as tecnologias da informação e das comunicações e a «economia verde».

A EURES é uma rede de procura de emprego que reúne 31 serviços europeus de emprego nos Estados-Membros da UE, nos países do EEE (Noruega, Islândia e Liechtenstein) e na Suíça. A nova decisão da Comissão ajudará a rede EURES a responder diretamente a necessidades económicas específicas. Por conseguinte, a EURES orientará proativamente as pessoas que procuram trabalho e as que pretendem mudar de emprego para as vagas existentes. Proporcionará também aos empregadores um melhor acesso a listas de candidatos onde poderão encontrar as competências de que necessitam para desenvolver e expandir as suas empresas.

No âmbito desta reforma, a EURES concentrar-se-á mais nos jovens, que têm maior propensão para a mobilidade, e abrangerá formas de emprego que combinem o trabalho e oportunidades de formação, como os regimes de aprendizagem. Por último, o portal EURES será renovado, a fim de criar ferramentas em linha conviviais para a adequação das ofertas e pedidos de emprego e dar acesso a informações sobre o mercado de trabalho baseadas nas competências.

A reforma multiplicará o número de parceiros que prestam serviços de mobilidade através da rede EURES e estabelecerá uma cooperação entre organismos de emprego públicos e privados, a fim de abranger uma percentagem ainda mais elevada de ofertas de emprego – atualmente cobre entre 30 % e 40 % das vagas existentes.

A decisão terá de ser aplicada pela Comissão e pelos Estados-Membros o mais tardar em janeiro de 2014. Até essa data, todos os países participantes terão de designar serviços especializados para organizar a reforma, trabalhar com novos parceiros e desenvolver os serviços específicos necessários.

Contexto

Em conformidade com o princípio da livre circulação de trabalhadores, os cidadãos da UE podem procurar emprego noutro país da UE, trabalhar nesse país sem necessidade de uma autorização de trabalho e beneficiar de igualdade de tratamento com os cidadãos do país de acolhimento em termos de acesso ao emprego, condições de trabalho e prestações sociais.

Atualmente, os cidadãos da UE que vivem num Estado‑Membro diferente do da sua nacionalidade representam apenas 3,1 % da força de trabalho da UE. O respetivo número aumentou quase 60 % desde 2005, sobretudo em virtude dos alargamentos de 2004 e 2007. Em termos globais, estima-se que os fluxos de mobilidade pós-alargamento contribuíram para um aumento do PIB dos países UE-15 de cerca de 1 % no período de 2004 a 2009. A crise económica conduziu, porém, a uma diminuição dos fluxos de mobilidade entre os países da UE: em 2009-2011, os fluxos de mobilidade intra-UE registaram uma quebra de um terço em comparação com o período de 2006-2008.

O portal de mobilidade profissional EURES é único no seu género na UE uma vez que é gratuito e oferece informação em 25 línguas sobre as condições de vida e de trabalho em todos os países participantes. Este sítio Web recebe mensalmente 4 milhões de visitas, estabelece 150 000 contactos por mês entre candidatos a emprego e empregadores, que conduzem a cerca de 50 000 colocações por ano, e contém em média 750 000 CV em qualquer momento. No Calendário de eventos podem ser consultadas centenas de eventos que têm lugar em toda a Europa.

Para mais informações

MEMO/12/896 e MEMO/12/897

Decisão da Comissão http://ec.europa.eu/social/main.jsp?langId=en&catId=89&newsId=1725&furtherNews=yes

Sítio Web do Comissário László Andor:
http://ec.europa.eu/commission_2010-2014/andor/index_en.htm

Siga László Andor no twitter: http://twitter.com/#!/LaszloAndorEU

Para assinar a newsletter Comissão Europeia sobre emprego, assuntos sociais e inclusão: http://ec.europa.eu/social/e-newsletter

Contactos :

Jonathan Todd (+32 2 299 41 07)

Nadège Defrère (+32 2 296 45 44)


Side Bar

Mon compte

Gérez vos recherches et notifications par email


Aidez-nous à améliorer ce site