Navigation path

Left navigation

Additional tools

Comissão Europeia - Comunicado de Imprensa

Reforçar o contributo das empresas para a dinamização da inovação face à crescente concorrência mundial

Bruxelas, 7 de fevereiro de 2012 De acordo com o Painel de Inovação da União de 2011, quase todos os Estados-Membros melhoraram o seu desempenho no domínio da inovação. No entanto, o crescimento do desempenho neste domínio está a abrandar, persistindo o fosso entre a UE e os líderes mundiais da inovação: Estados Unidos, Japão e Coreia do Sul. A maior diferença para a UE‑27 continua a ser a inovação no setor privado. Embora a UE mantenha uma liderança clara sobre as economias emergentes (China, Brasil, Índia, Rússia e África do Sul), a China melhorou o seu desempenho neste domínio e está a recuperar progressivamente. Na UE, a Suécia continua no topo da classificação geral, logo seguida da Dinamarca, da Alemanha e da Finlândia (ver informação completa infra). As atividades de inovação das empresas constituem um fator importante para atingir o topo das classificações na UE e a nível internacional.

Na opinião de Antonio Tajani, Vice-Presidente da Comissão Europeia e Comissário Europeu responsável pela Indústria e o Empreendedorismo: «Os resultados deste ano são um aviso claro de que são necessários mais esforços para dinamizar a inovação. Se queremos eliminar o fosso que nos separa dos nossos principais parceiros económicos e superar a crise atual, a inovação deve merecer toda a nossa atenção. Conto, em especial, com as empresas, que se revelaram ser a chave do sucesso em matéria de inovação. No entanto, o sucesso alcançado por empresas novas doutras regiões do mundo mostra que a Europa tem ainda algumas lições para aprender.»

«Precisamos de sistemas nacionais de investigação e inovação equilibrados, que garantam às empresas um ambiente propício à inovação. O painel da inovação mostra também um fosso com os EUA em termos de investigação de ponta. É urgente dispor de um Espaço Europeu da Investigação, para gerar mais concorrência, mais excelência e atrair e reter os melhores talentos mundiais», declarou Máire Geoghegan-Quinn, a Comissária Europeia responsável pela Investigação, a Inovação e a Ciência.

A versão integral do relatório pode ser consultada no seguinte endereço:

http://ec.europa.eu/enterprise/policies/innovation/facts-figures-analysis/innovation-scoreboard/index_en.htm

e http://www.proinno-europe.eu/metrics

Para consultar os resumos individuais de desempenho no domínio da inovação dos 27 Estados-Membros e de outros países europeus, ver MEMO/12/74.

Quem são os líderes da inovação na Europa?

O Painel de Inovação da União de 2011 classifica os Estados-Membros em quatro grupos de países:

  • Líderes em inovação: Suécia, Dinamarca, Alemanha e Finlândia.

  • Seguidores em inovação: Bélgica, Reino Unido, Países Baixos, Áustria, Luxemburgo, Irlanda, França, Eslovénia, Chipre e Estónia, com um desempenho próximo da média da UE‑27.

  • Inovadores moderados: Itália, Portugal, República Checa, Espanha, Grécia, Hungria, Malta, Eslováquia e Polónia, abaixo da média da UE-27.

  • Inovadores modestos: Roménia, Lituânia, Bulgária e Letónia, claramente abaixo da média da UE-27.

Gráfico 1: Desempenho dos Estados-Membros da UE no domínio da inovação

Nota: o desempenho médio é medido utilizando um indicador composto, constituído por dados de 24 indicadores e abrangendo o desempenho mais baixo possível de 0 até um desempenho máximo possível de 1. O desempenho médio de 2011 reflete o desempenho em 2009-2010, devido a um atraso na disponibilização dos dados.

Qual a chave do sucesso dos líderes da inovação?

No que se refere ao indicador composto da inovação, os países no topo da classificação partilham alguns pontos fortes dos seus sistemas nacionais de investigação e inovação, que se caracterizam pelo papel-chave das empresas e pela cooperação público-privada. Embora não exista uma receita única para o êxito em matéria de inovação, transparece claramente que todos os líderes de inovação (Finlândia, Suécia, Dinamarca e Alemanha) registam um excelente desempenho em termos de despesa com I&D, incluindo a nível das empresas. A maioria dos líderes de inovação também revela um bom desempenho noutros indicadores de inovação relacionados com as atividades empresariais. O principal líder da UE (Suécia) destaca-se em três das oito áreas de inovação: recursos humanos, financiamento e apoios, e investimento das empresas. Por sua vez, o desempenho da Alemanha e da Dinamarca sobressai em duas áreas de inovação em cada país: ligações e empreendedorismo e capital intelectual vs inovadores e efeitos económicos. Os principais inovadores europeus também se destacam claramente na comercialização dos seus conhecimentos tecnológicos.

A UE e o mundo

À semelhança do ano anterior, o maior fosso surge na categoria «atividades empresariais», ficando a UE-27 aquém em termos da despesa com I&D das empresas, de copublicações público-privadas, e, em relação aos EUA, em termos da criação de sistemas de investigação excelentes e apelativos. Não será suficiente garantir um enquadramento geral mais propício à inovação, se a UE não conseguir atrair um número bastante maior de investigadores de topo e os melhores jovens talentos científicos do mundo.

Contexto

O Painel de Inovação da União de 2011 baseia-se atualmente em 24 indicadores, que estão agrupados em três categorias principais e oito áreas:

  • os «elementos determinantes» (enablers) são os fatores de base que propiciam a inovação (recursos humanos, sistemas de investigação de nível excelente, abertos e apelativos, e os financiamentos e apoios);

  • as «atividades empresariais» (firm activities), em que se concentram os esforços de inovação das empresas europeias (investimento das empresas, ligações e empreendedorismo, e capital intelectual); e

  • os «resultados» (outputs), que mostram como os outros elementos se traduzem em benefícios para o conjunto da economia (inovadores e efeitos económicos, incluindo a nível do emprego).

Para mais informações, consultar:

Informação sobre a investigação em cada país:

http://ec.europa.eu/research/horizon2020/index_en.cfm?pg=country-profiles

Painel de I&D: IP/11/1025 e MEMO/11/705

União da Inovação

Europa 2020

Contactos :

Michael Jennings (+32 2 296 33 88)

Carlo Corazza (+32 2 295 17 52)

Monika Wcislo (+32 2 295 56 04)

Sara Tironi (+32 22 99 04 03)


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website