Navigation path

Left navigation

Additional tools

Comissão adjudica contratos finais que tornam Galileo uma realidade

European Commission - IP/11/772   22/06/2011

Other available languages: EN FR DE DA ES NL IT SV FI EL CS ET HU LT LV MT PL SK SL BG RO

Comissão Europeia – Comunicado de imprensa

Comissão adjudica contratos finais que tornam Galileo uma realidade

Bruxelas, 22 de Junho de 2011. Os dois contratos finais, em relação a um total de seis contratos, relativos ao programa Galileo, o programa europeu global de navegação por satélite, serão assinados às 16 horas pela Agência Espacial Europeia, em nome da Comissão Europeia, no prestigioso Le Bourget Aerospace Fair, em Paris. O valor global dos dois contratos é de 355 milhões de euros. O contrato assinado com a Thales Alenia Space (FR), no valor de 281 milhões de euros, assegura a formatação das informações de navegação para difusão pelos satélites. O contrato assinado com a Astrium (UK), no valor de 73,5 milhões de euros, refere-se à gestão dos satélites, incluindo a manutenção e o posicionamento correcto dos satélites em órbita. A assinatura destes contratos é essencial para o lançamento e o funcionamento dos três serviços iniciais a prestar pelo Galileo em 2014:

1. o sinal de base do serviço aberto gratuito, que pode ser utilizado por qualquer pessoa,

2. o serviço público regulamentado, que inclui dois sinais codificados, cujo acesso é controlado por utilizadores específicos, como entidades governamentais,

3. o serviço de busca e salvamento, para as actividades humanitárias de busca e salvamento .

Para Antonio Tajani, Vice-Presidente da Comissão Europeia e responsável pela política empresarial e industrial, «a adjudicação dos contratos a empresas francesas e do Reino Unido sublinha, uma vez mais, a verdadeira cooperação europeia transfronteiras que representa o programa Galileo. A assinatura dos contratos encerra um processo de concurso rigoroso e inicia um novo capítulo do programa Galileo. Rigoroso, visto que tenho insistido pessoalmente na redução dos custos, sempre que possível, a todos os níveis, deste programa. Um novo capítulo porque agora estamos efectiva e verdadeiramente na via da criação das infra-estruturas que vão dar origem à prestação de serviços vitais para os cidadãos em 2014. Todos nós aguardamos com expectativa o lançamento dos dois primeiros satélites operacionais Galileo, em 20 de Outubro, a partir do porto espacial da Guiana Francesa».

Contexto

A aquisição de serviços essenciais para assegurar a plena capacidade operacional do Galileo divide-se em seis contratos. Em Janeiro de 2010, foram adjudicados três contratos para garantir o apoio à engenharia do sistema, aos satélites e aos lançadores (ver IP/10/7). Em Outubro de 2010, foi assinado um quarto contrato, em Bruxelas, com a SpaceOpal, relativo ao funcionamento das infra-estruturas espaciais e terrestres (IP/10/1382).

Graças aos seus serviços, o programa Galileo beneficiará muitos sectores da economia europeia: redes de electricidade, empresas de gestão de frotas, transacções financeiras, indústria marítima, operações de salvamento, missões de manutenção da paz, com todas as vantagens derivadas do serviço aberto gratuito, do serviço público regulamentado e do serviço de busca e salvamento.

Além disso, o Galileo tornará a Europa independente num domínio tecnológico cada vez mais crucial, incluindo sectores como a distribuição de electricidade e as redes de telecomunicações. Prevê-se que o programa Galileo contribua com 60 mil mihões de euros para a economia europeia durante um período de 20 anos, em termos de receitas adicionais para a indústria e de benefícios públicos e sociais, para além das vantagens adicionais relativas à ndependência.

Galileo prestará os três primeiros serviços em 2014/2015, baseados numa constelação inicial de 18 satélites: um serviço aberto inicial, um serviço público regulamentado (Public Regulated Service) inicial e um serviço de busca e salvamento inicial. Seguir-se-ão outros serviços, que incluirão um serviço comercial, combinando dois sinais codificados para uma taxa de transmissão de dados mais elevada e uma maior precisão dos dados autenticados.

O EGNOS (European Geostationary Navigation Overlay Service – Sistema Europeu Complementar de Navegação Geostacionária) é o sistema europeu de ampliação regional para os sinais GPS. É o percursor do Galileo. O serviço aberto do EGNOS está operacional desde Outubro de 2009, tendo a Comissão lançado recentemente o serviço EGNOS «Safety-of-Life» para o sector da aviação. Ver IP/11/247

Contactos :

Carlo Corazza (+32 2 295 17 52)

Andrea Maresi (+32 2 299 04 03)


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website