Navigation path

Left navigation

Additional tools

Erasmus: Número recorde de estudantes recebem bolsas da UE para estudos e formação no estrangeiro

European Commission - IP/11/675   06/06/2011

Other available languages: EN FR DE DA ES NL IT SV FI EL CS ET HU LT LV MT PL SK SL BG RO

Comissão Europeia – Comunicado de imprensa

Erasmus: Número recorde de estudantes recebem bolsas da UE para estudos e formação no estrangeiro

Bruxelas, 6 de Junho de 2011 — mais de 213 000 estudantes receberam bolsas «Erasmus» para estudar ou receber formação no estrangeiro durante o ano académico de 2009/10, o que constitui um novo recorde e um aumento de 7,4 % em relação ao ano anterior. O Erasmus é o programa de intercâmbio de estudantes com mais sucesso a nível mundial e, a manterem-se as actuais tendências, a UE atingirá o seu objectivo de, até 2012/13 e desde o lançamento deste programa em 1987, apoiar 3 milhões de estudantes. Os três destinos preferidos dos estudantes em 2009/10 foram a Espanha, a França e o Reino Unido. De Espanha veio o maior número de estudantes, seguida da França e da Alemanha. Nesse ano, 61% dos estudantes Erasmus eram do sexo feminino. Em 2009/10, a UE investiu 415 milhões de euros no programa Erasmus.

«O programa Erasmus é um dos grandes êxitos da União Europeia. Os números falam por si: o Erasmus está cada vez mais popular e é minha intenção afectar-lhe mais recursos no futuro. Estudar ou receber formação no estrangeiro abre as portas ao desenvolvimento pessoal e a oportunidades de emprego, por isso temos motivos para ser ambiciosos quando se trata de investir nos nossos jovens», declarou Androulla Vassiliou, Comissária Europeia responsável pela educação, cultura, multilinguismo e juventude.

Do número total de estudantes apoiados pelo programa Erasmus em 2009/10, 178 000 frequentaram parte do seu programa de estudos no estrangeiro numa universidade ou outra instituição de ensino superior num dos 32 países que participam nesta iniciativa (27 Estados-Membros, Croácia, Islândia, Liechtenstein, Noruega e Turquia - a Suíça tornou-se o 33.º país a aderir este ano ao Erasmus). O número de estudantes que preferiu a opção estudos aumentou 5,7 % em relação a 2008/09.

Desde 2007 que o programa Erasmus apoia estágios, que são cada vez mais populares, em empresas no estrangeiro. Em 2009/10, 35 000 estudantes (um em cada seis) escolheram esta opção, o que representa um aumento de 17,3 % em relação ao ano anterior.

A média mensal das bolsas Erasmus diminuiu cerca de 7%, tendo passado para 254 euros devido ao número cada vez maior de bolseiros. Na maior parte dos países participantes, a forte procura ultrapassa a oferta de bolsas Erasmus. De acordo com um estudo realizado para o Parlamento Europeu em 2010 apenas 24% dos estudantes não participantes no Erasmus declaravam não estar interessados num programa de estudos no estrangeiro.

Além disso, foram atribuídas 38 000 bolsas a pessoal e professores universitários para ensinar ou receber formação no estrangeiro, mais 4 % do que no ano anterior.

Antecedentes

A mobilidade na aprendizagem é um objectivo-chave da estratégia Europa 2020 para o crescimento e o emprego e o alvo da iniciativa da Comissão «Juventude em Movimento», baseada no sucesso do Erasmus.

Cerca de 10% dos estudantes europeus estão actualmente a estudar ou receber formação no estrangeiro no quadro dos seus cursos superiores; 4 % beneficiaram de uma bolsa Erasmus. No mês passado, a Comissão Europeia anunciou os seus planos relativos a uma nova meta europeia com vista a aumentar para, pelo menos 20 %, o nível geral de mobilidade entre os estudantes.

Num recente inquérito do Eurobarómetro (IP/11/567), chegou-se à conclusão de que muitos estudantes vêm gorados os seus desejos de estudar ou receber formação no estrangeiro por falta de fundos. Verificou-se que, dos que pretenderam ir para o estrangeiro, 33 % não tinha meios económicos para tal e perto de dois terços (63 %) dos que o fizeram tiveram de recorrer a financiamentos privados ou poupanças. «Esta constatação põe em destaque a necessidade de reforçar os nossos programas de mobilidade, que oferecem uma boa relação custo-eficácia», declarou a Comissária Vassiliou.

Estudar ou receber formação no estrangeiro ajuda os jovens a desenvolverem as competências que o mercado de emprego valoriza, desde a aprendizagem das línguas e uma maior consciencialização intercultural, passando pelo desenvolvimento de capacidades de liderança e adaptabilidade. Os estudantes Erasmus ficam mais receptivos à hipótese de virem a trabalhar no estrangeiro mais tarde.

O Erasmus também contribuiu para tornar o ensino superior na Europa mais internacional e melhorar a qualidade, comparabilidade e transparência dos cursos.

No mês passado, os ministros da educação da UE adoptaram um plano conjunto para remover os obstáculos à mobilidade na aprendizagem e impulsioná-la graças financiamentos adicionais e reformas dos programas curriculares.

Para mais informações:

MEMO/11/375

ANEXOS:

Todos os anexos, podem ser consultados no seguinte endereço: http://ec.europa.eu/education/erasmus/doc920_en.htm

Anexo 1: Séries cronológicas sobre a mobilidade dos estudantes Erasmus no âmbito do programa de Aprendizagem ao longo da vida, 2007/08 a 2009/10

Anexo 2: Séries cronológicas sobre os estudantes que saíram para estudar no âmbito do Erasmus, 1987/1988 a 2009/10

Anexo 3: Mobilidade dos estudantes Erasmus (entradas e saídas) em 2009/10 (estudos e estágios combinados). Para mais informações, nomeadamente estatísticas separadas sobre estudos e estágios, consultar o sítio Web do programa Erasmus

Anexo 4: Mobilidade do pessoal universitário Erasmus (entradas e saídas) em 2009/10 (missões de docência e formação de pessoal combinadas). Para mais informações, nomeadamente estatísticas separadas sobre missões de docência e formação de pessoal, consultar o sítio Web do programa Erasmus

Anexo 5: Estudantes que saíram para estudar no âmbito do Erasmus em percentagem de licenciados em 2009

Anexo 6: 100 estabelecimentos de ensino superior que mais estudantes enviaram para o estrangeiro

Mais informações sobre o Programa Erasmus

Erasmus números e factos [brochura]

Estatísticas Erasmus

Recomendação do Conselho sobre a mobilidade para fins de aprendizagem:

Documento de trabalho dos serviços da Comissão:

novos valores de referência para a empregabilidade e a mobilidade para fins de aprendizagem

Contactos:

Dennis Abbott +32 2 295 92 58

Dina Avraam +32 2 295 96 67


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website