Navigation path

Left navigation

Additional tools

IP/11/627

Bruxelas, 23 de Maio de 2011

Galileo: Lançamento em Outubro de satélites da UE

A Comissão Europeia anunciou hoje que o lançamento dos primeiros dois satélites operacionais do sistema global de navegação por satélite da UE terá lugar no dia 20 de Outubro. Este será o primeiro de uma série de lançamentos a efectuar a partir do Porto Espacial Europeu de Kourou, na Guiana Francesa. O lançamento dos satélites Galileo a uma altitude de 23 600 km permitirá disponibilizar alguns serviços iniciais de navegação por satélite em 2014. Lançamentos sucessivos completarão a constelação até 2019.

Na opinião de António Tajani, Vice-Presidente da Comissão Europeia e Comissário responsável pela Indústria e Empreendedorismo: «Este lançamento tem uma importância histórica. Mostra que a Europa tem capacidade para se manter na vanguarda da inovação tecnológica. Permitirá a milhares de PME e empresas inovadoras em toda a Europa descobrir novas oportunidades de negócio e criar e desenvolver os seus produtos através da futura infra‑estrutura Galileo. Os cidadãos também beneficiarão com os serviços Galileo. O Galileo é um projecto rentável e conto com a cooperação dos Estados-Membros para encontrar uma solução para o seu financiamento.»

O programa Galileo é uma iniciativa da UE que pretende criar um sistema global de navegação por satélite de ponta, que garantirá um serviço de localização mundial altamente preciso e fiável sob controlo civil. A determinação da data do primeiro lançamento resulta de uma análise detalhada que foi realizada no âmbito da Agência Espacial Europeia. Essa análise concluiu que tanto as componentes dos segmentos terrestre e espacial como os preparativos operacionais estão a evoluir de acordo com o calendário.

Os serviços oferecidos pelo programa Galileo serão úteis para muitos sectores: as redes de distribuição de electricidade, as empresas de gestão de frotas, as transacções financeiras, a indústria naval, as operações de salvamento e as missões de manutenção da paz dependem todas fortemente da tecnologia de navegação por satélite.

Além disso, o programa Galileo tornará a Europa mais autónoma relativamente a uma tecnologia cada vez mais crítica, incluindo em áreas estratégicas como a distribuição da electricidade e as redes de telecomunicações. Em 20 anos, o programa Galileo deverá gerar 60 mil milhões de euros para a economia europeia, quer em termos de receitas adicionais para a indústria quer de benefícios públicos e sociais, além das vantagens associadas a essa autonomia.

Contexto

O programa Galileu disponibilizará três serviços iniciais em 2014-2015, com base numa constelação inicial de satélites: um serviço aberto, um serviço público regulado e um serviço de busca e salvamento.

A fase de plena operacionalidade deste programa será gerida e integralmente financiada pela União Europeia. A Comissão e a ESA assinaram um acordo que delega poderes à ESA para actuar em matéria de design e contratação em nome da Comissão.

O EGNOS (Sistema Europeu Complementar Geoestacionário de Navegação) é o sistema europeu de ampliação regional dos sinais GPS. É o precursor do programa Galileo. O serviço aberto do EGNOS está operacional desde Outubro de 2009, tendo a Comissão lançado recentemente o serviço de salvaguarda da vida humana destinado à aviação (Ver IP/11/247).

Para mais informações sobre o programa GALILEO, consultar:

http://ec.europa.eu/enterprise/policies/satnav

MEMO/11/326


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website