Navigation path

Left navigation

Additional tools

Boas perspectivas para a época turística de 2011

European Commission - IP/11/566   13/05/2011

Other available languages: EN FR DE DA ES NL IT SV FI EL CS ET HU LT LV MT PL SK SL BG RO

IP/11/566

Bruxelas, 13 de Maio de 2011

Boas perspectivas para a época turística de 2011

Cada vez são mais os europeus que gozam férias: 68% dos cidadãos da UE viajaram por razões privadas em 2010, comparados com 65% em 2009. Estas conclusões do novo inquérito Eurobarómetro sobre as atitudes dos europeus no que diz respeito ao turismo confirmam outros indicadores de que o sector já recuperou da crise económica. A preferência pelos destinos tradicionais continua a manifestar‑se (58%), embora 28% gostassem de descobrir novos destinos. O Vice‑Presidente da Comissão Europeia, Antonio Tajani, apresentou hoje o inquérito na conferência europeia sobre o turismo organizada pela Presidência Húngara e a Comissão Europeia, em Budapeste.

Antonio Tajani, Vice-Presidente da Comissão Europeia, responsável pela Indústria e pelo Empreendedorismo, declarou: «O facto de 58% dos residentes da UE optarem por desfrutar as respectivas férias na Europa confirma que, regra geral, a indústria do turismo está em vias de recuperar e de se tornar novamente uma indústria em crescimento.»

Entre as conclusões mais importantes do Eurobarómetro destacam‑se as seguintes:

  • As escolhas mais populares: a Itália foi o destino de férias para 2011 mais mencionado (11,5%). A Espanha vem em segundo lugar (8,6%) e a França em terceiro (8,2%) enquanto 23% dos residentes da UE ainda não decidiram onde vão passar as férias.

  • Continuação da tendência para descobrir a Europa e o país natal: em 2011, 58% dos europeus planeiam passar as férias no próprio país ou noutro país da UE.

  • Mais vontade de viajar: quase três quartos dos cidadãos da UE (73% vs. 69% no ano passado) viajaram por motivos de lazer ou negócios em 2010. Os cinco que mais viajam são os residentes da Finlândia (89%), da Dinamarca (87%), dos Países Baixos e da Suécia (ambos 87%), do Luxemburgo (85%) e da Noruega (84%).

  • A «capacidade de atracção do local» é importante: 32% referiram este aspecto como a principal consideração para a escolha dos destinos de férias, seguido do «património cultural» (27%) e das «possibilidades de diversão» (14%).

  • A procura de «repouso e lazer» constitui a principal razão para mais de um terço dos turistas (36%), seguida de «sol e praia» (18%) e «visitas a amigos e família» (17%).

  • Organizar as férias individualmente: mais de metade dos cidadãos da UE organizaram eles próprios as suas férias em 2010 (57%); esta percentagem sobe nos países candidatos, como a Turquia (80%), a Islândia (79%) e a Croácia (78%)!

Em Fevereiro de 2011, mais de 30 000 cidadãos de idade igual ou superior a 15 anos foram sorteados para responder a uma entrevista nos 27 Estados‑Membros da UE e na Noruega, Islândia, Croácia, Turquia e Antiga República Jugoslava da Macedónia. É o quarto ano consecutivo em que a Comissão faz um inquérito tão extensivo e que faculta tanta informação comparável a todas as partes interessadas do sector do turismo, por categorias analíticas específicas por país e população.

Desde 2008, a Comissão Europeia procede a este tipo de inquérito uma vez por ano, de modo a seguir as tendências dos cidadãos europeus, a curto e médio prazo, em termos de turismo. Desta forma, a Comissão e os seus interlocutores principais neste domínio poderão reagir às mudanças verificadas na procura e, graças a este importante instrumento, planificar a política e a indústria do turismo, em particular os tipos de turismo e os destinos prevalecentes.

Antecedentes

Segundo o Eurostat, em 2010, o aumento das pernoitas de não residentes foi o principal facto responsável pelo crescimento dos números globais: hotéis e estabelecimentos semelhantes registaram um forte aumento (+5,1%), em comparação com as pernoitas de residentes (+1,1%). O crescimento em 2010 compensou cerca de dois terços do decréscimo verificado em 2008 e 2009 no número total de pernoitas e de pernoitas de não residentes. O número de pernoitas de residentes, que foi menos afectado pela crise, atingiu um nível recorde em 2010.

Para mais informações:

Relatório integral do Eurobarómetro em "The attitudes of Europeans towards tourism 2011"

Conferência Europeia sobre o Turismo


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website