Navigation path

Left navigation

Additional tools

Alargar o horizonte mundial das pequenas e médias empresas para fomentar o crescimento da UE

European Commission - IP/11/1318   09/11/2011

Other available languages: EN FR DE DA ES NL IT SV FI EL CS ET HU LT LV MT PL SK SL BG RO

Comissão Europeia - comunicado de imprensa

Alargar o horizonte mundial das pequenas e médias empresas para fomentar o crescimento da UE

Bruxelas, 9 de Novembro de 2011: as pequenas e médias empresas (PME) europeias deviam aproveitar melhor os benefícios dos mercados emergentes em rápido crescimento, como é o caso da China, Índia, Rússia ou das regiões da Ásia do Sudeste ou da América Latina. A Comissão Europeia na sua comunicação apresentada hoje «Pequenas empresas, grande mundo - uma nova parceria para ajudar as PME a aproveitar as oportunidades globais» considera que esta é a principal questão para superar a crise. Só 13 % das PME da UE desenvolvem actividades internacionais, no sector do comércio, do investimento ou através de outras formas de cooperação com parceiros estrangeiros. Por conseguinte, a Comissão está a trabalhar no sentido de estabelecer uma estratégia da UE mais coerente e eficaz para apoiar as PME nos mercados internacionais. Tal poderia ser alcançado pelo reforço dos serviços às empresas, pela melhoria da coordenação e utilização dos recursos existentes, incluindo a «Enterprise Europe Network». As PME passarão a ter, assim, um melhor acesso a informação mais pertinente bem como assistência nas suas tentativas para penetrar em novos mercados e na procura dos parceiros locais adequados.

O Vice-Presidente da Comissão Europeia Antonio Tajani, Comissário responsável pela Indústria e pelo Empreendedorismo, declarou: «Os principais mercados externos à UE que apresentam fortes taxas de crescimento representam oportunidades importantes para as pequenas empresas europeias. As PME são a principal força económica da Europa. É absolutamente essencial ajudá-las a explorar melhor o seu potencial à escala global para impulsionar a competitividade e criar emprego.»

Mais informações:

http://ec.europa.eu/enterprise/policies/sme/market-access/internationalisation/index_en.htm

Antecedentes

As PME enfrentam obstáculos específicos no mercado mundial, sobretudo quando se trata de ter acesso à informação sobre os mercados, à identificação de possíveis clientes e à procura de parceiros adequados. Colocam‑se‑lhes ainda questões mais complexas, como a conformidade com a legislação estrangeira, por exemplo, no que toca a regras obrigatórias em vários sectores como o direito dos contratos, as normas aduaneiras, a regulamentação técnica e as normas, a gestão da transferência de tecnologias e a protecção dos direitos de propriedade intelectual ou industrial. Regra geral, as PME estão menos bem equipadas do que as empresas de maior dimensão, em termos de competências internas e de recursos financeiros ou humanos, para enfrentar tais desafios.

Os 23 milhões de PME existentes na Europa representam dois terços do emprego no sector privado e cerca de 80 % dos novos postos de trabalho criados nos últimos cinco anos. Sectores como o das máquinas e dos equipamentos ou dos produtos químicos, no Brasil, ou o da energia, na Índia, já permitiram que as empresas da UE atingissem resultados significativos e podem ser aduzidos muitos outros exemplos. Para facilitar o caminho destas empresas, a Europa precisa de desenvolver o seu processo de internacionalização e de lhes prestar o apoio necessário para se desenvolverem internacionalmente.

Esta nova estratégia da UE preconiza as seguintes acções:

  • Reforçar a oferta existente de serviços às empresas em mercados prioritários;

  • Melhorar a estrutura de governança da «Enterprise Europe Network» para granjear uma melhor colaboração com as organizações de acolhimento e as partes interessadas;

  • Fomentar a coerência dos regimes de apoio da UE, para aumentar o seu impacto; Existem actualmente mais de 300 programas nacionais de apoio que, muitas vezes, se centram exclusivamente numa região em crescimento e descuram as que entretanto foram emergindo;

  • Promover os clusters empresariais e as redes vocacionados para a internacionalização das PME;

  • Orquestrar a colaboração de toda a Europa nos mercados prioritários, para potenciar o retorno dos fundos públicos investidos;

  • Criar um único portal de acesso à informação para as PME que pretendam exercer a sua actividade para além das fronteiras da UE;

  • Maximizar as políticas europeias existentes, com o objectivo de acelerar o crescimento internacional das PME da UE.

Os esforços futuros devem concentrar-se no modo como os prestadores de serviços existentes podem colaborar de forma mais eficaz, muitas vezes além das fronteiras nacionais, e de que forma podem ser incentivados a fazê‑lo. A elaboração de uma «cartografia» da prestação europeia destes serviços de apoio constituirá a fundação deste processo. Todas as instituições da UE com os representantes das PME, em parceria, serão envolvidos na execução da referida estratégia, pelo que deverão respeitar as prioridades e os princípios orientadores estabelecidos nesta comunicação, ao considerar novas actividades de apoio à internacionalização das PME, a curto e a longo prazo.

Os Estados-Membros são instados a adoptar uma abordagem semelhante e a trabalhar em estreita cooperação com a Comissão, no reforço do enquadramento de apoio às PME europeias para o seu desenvolvimento internacional.

Ver ainda MEMO/11/765

Contactos :

Carlo Corazza +32 2 295 17 52


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website