Navigation path

Left navigation

Additional tools

IP/10/650

Bruxelas, 2 de Junho de 2010

Região do Sahel: montante adicional de 24 milhões de euros para ajuda humanitária

A Comissão decidiu hoje atribuir um montante adicional de 24 milhões de euros para prestar assistência a mais de sete milhões de pessoas vulneráveis afectadas pela crise alimentar no Níger, Chade, Burquina Faso e norte da Nigéria. Estes novos fundos permitirão o financiamento de mais intervenções nos sectores da nutrição e da saúde, entre as quais programas globais de alimentação suplementar, a detecção e o tratamento da subnutrição aguda das crianças, o acesso gratuito a serviços de saúde para casos de emergência e serviços de saúde móveis para a população de pastores.

Kristalina Georgieva, Comissária responsável pela pasta da Cooperação Internacional, Ajuda Humanitária e Resposta a Situações de Crise, declarou: «A presença permanente na região de peritos em ajuda humanitária do ECHO contribuiu para lançar um alerta precoce para os riscos e a possível amplitude da crise alimentar. É um facto que a situação na região do Sahel está a piorar. Com este financiamento adicional de 24 milhões de euros, a Comissão continua a demonstrar o seu empenhamento em agir numa fase precoce para atenuar o impacto da escassez de alimentos e tentar evitar a repetição das grandes crises que atingiram gravemente a região do Sahel nas últimas décadas. Visitarei em breve alguns dos projectos que estamos a financiar, a fim de avaliar a eficácia da nossa resposta humanitária e garantir que a nossa ajuda está a ser utilizada da forma mais eficiente para ajudar as pessoas necessitadas.»

A ajuda adicional hoje aprovada irá financiar a concessão de ajuda alimentar de emergência durante o «período de fome» entre as colheitas e o fornecimento de sementes para preparar a principal campanha agrícola de 2010. A ajuda alimentar de emergência insere-se no contexto das recomendações da Comunicação sobre a ajuda alimentar humanitária, adoptada pela Comissão no passado mês de Março. (Ver IP/10/404)

Os principais beneficiários deste novo financiamento são as camadas mais vulneráveis da população que ainda não são abrangidas pelas operações humanitárias já em curso. Continuará a ser dada prioridade às crianças com menos de 5 anos de idade que sofrem de subnutrição aguda, bem como às mulheres grávidas e lactantes. Desde o final de 2009, os peritos em ajuda humanitária da Comissão têm trabalhado em estreita colaboração com parceiros humanitários, sobretudo das Nações Unidas, com o objectivo de avaliar as necessidades e propor uma resposta adequada à crise.

Antecedentes

Muitas famílias vulneráveis foram arrastadas para uma situação de crise devido a uma conjuntura de chuvas irregulares que se traduziu em fracas colheitas. Esta combinação de factores veio agravar a situação já difícil causada pelos preços continuamente elevados dos produtos alimentares e pela escassez de oportunidades de trabalho. Actualmente, calcula‑se em cerca de 10 milhões o número de pessoas que, só no Níger e no Chade, precisam de ajuda de emergência para poderem sobreviver ao actual período de fome, que deverá prolongar-se pelo menos até às próximas colheitas, em Novembro. As estimativas relativas à diminuição da produção de alimentos devido à irregularidade das chuvas no final de 2009 apontam para um défice de mais de 30 % no Níger e de mais de 34 % no Chade. Os Governos de ambos os países declararam o estado de emergência e pediram ajuda à comunidade internacional. A UNICEF calcula que todos os anos morrem no Sahel 300 000 crianças com menos de cinco anos de idade devido à subnutrição e a causas relacionadas.

Para mais informações sobre a política da Comissão em matéria de ajuda humanitária, consultar:

http://ec.europa.eu/echo/index_en.htm


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website