Chemin de navigation

Left navigation

Additional tools

Agenda Digital: investimento na economia digital é chave para futura prosperidade da Europa, afirma relatório da Comissão

Commission Européenne - IP/10/571   17/05/2010

Autres langues disponibles: FR EN DE DA ES NL IT SV FI EL CS ET HU LT LV MT PL SK SL BG RO

IP/10/571

Bruxelas, 17 de Maio de 2010

Agenda Digital: investimento na economia digital é chave para futura prosperidade da Europa, afirma relatório da Comissão

De acordo com o relatório da Comissão Europeia sobre a competitividade digital, hoje publicado, a economia digital da Europa está a crescer vigorosamente, disseminando-se por todos os sectores de actividade e chegando a todos os domínios da nossa vida. As tecnologias da informação e da comunicação (TIC) impulsionaram metade do crescimento da produtividade na Europa ao longo dos últimos 15 anos. Seis europeus em dez utilizam regularmente a Internet. No entanto, se quiser aproveitar plenamente os benefícios potenciais da economia digital, a Europa deve intensificar os seus esforços e oferecer uma banda larga de débito mais elevado e uma Internet em que as pessoas confiem, deve melhorar os níveis de competência dos cidadãos e deve estimular ainda mais a inovação nas TIC. A Comissão Europeia vai propor medidas específicas nestes domínios com a sua Agenda Digital para a Europa, um dos emblemas da estratégia Europa 2020, a lançar em breve.

A Comissária Neelie Kroes, responsável pela Agenda Digital, declarou: «A economia digital da Europa é vital para o crescimento económico e a prosperidade. As TIC e a Internet de débito elevado são tão revolucionárias hoje na nossa vida como há mais de um século o foi o desenvolvimento das redes de electricidade e de transporte. Mas precisamos de apoio para continuar a desenvolver a Internet, a fim de que todos os cidadãos possam beneficiar da economia digital.»

O relatório analisa novidades recentes no domínio das TIC, apresentando razões consistentes para a concepção de uma Agenda Digital para a Europa, a primeira iniciativa emblemática da Comissão Europeia a ser lançada em breve, no âmbito da Estratégia Europa 2020, relativa a um crescimento inteligente, sustentável e inclusivo.

Motor-chave da economia

O relatório identifica o sector das TIC como um dos motores-chave da economia europeia. Desde 1995, as TIC impulsionaram metade dos ganhos de produtividade na União Europeia, graças ao progresso tecnológico e aos investimentos no sector. Os dados relativos a 2004-2007 indicam que este investimento começou, mais recentemente, a gerar ganhos de eficiência no resto da economia. O valor acrescentado do sector das TIC na economia europeia é de cerca de 600 mil milhões de euros (4,8% do PIB). O sector justifica 25% dos investimentos comerciais totais em I&D na UE. Todavia, os benefícios resultantes das TIC são maiores nos Estados Unidos. A Europa carece de reformas estruturais e de uma agenda digital coerente, para desencadear impactos similares.

6 em 10 europeus em linha

Em toda a Europa, cerca de 60% da população usa a Internet regularmente e 48% diariamente. Estas percentagens são comparáveis às dos Estados Unidos, onde 56% usam a Internet diariamente e 65% usaram-na nos últimos três meses. Não obstante, tanto na UE como nos Estados Unidos, cerca de um terço da população (30% e 32%, respectivamente ) nunca entrou em linha.

Existem clivagens socioeconómicas e geográficas assinaláveis. Em particular, as pessoas idosas, menos instruídas ou com baixos rendimentos usam a Internet mais raramente e têm níveis de competência inferiores. É essencial aumentar as competências em informática para construir uma sociedade digital europeia. Uma vez mais, verifica-se que a União Europeia está em igualdade de circunstâncias com os Estados Unidos, embora a utilização da Web seja superior entre os americanos mais idosos (as pessoas com mais de 55 anos de idade que nunca usaram a Internet são 46% nos Estados Unidos e 59% na UE). Na Coreia e no Japão, as diferenças entre grupos socioeconómicos são menos marcadas.

UE é o maior mercado mundial da banda larga

Em 2009, o mercado da banda larga na UE foi, uma vez mais, o maior do mundo. Cerca de um quarto dos cidadãos (24,8%) têm assinatura de banda larga fixa. Os débitos de conexão estão a aumentar, com 80% das linhas de banda larga fixa na UE a oferecerem hoje débitos superiores a 2 Mbps, mas somente 18% delas excedem 10 Mbps. Embora suficientes para aplicações básicas da Web, estes débitos não chegam para aplicações mais avançadas, como a televisão a pedido. A estratégia Europa 2020 definiu objectivos ambiciosos, para todos os europeus terem acesso a banda larga com 30 Mbps ou mais. Débitos mais elevados exigirão a passagem para redes de acesso da geração seguinte. A União Europeia está consideravelmente atrás de países como a Coreia e o Japão na implantação de tais redes. A migração para uma banda larga de capacidade superior é um importante desafio estrutural para todo o sector das telecomunicações.

Mercado único em linha

Além de desempenhar um papel significativo no crescimento da economia europeia, a Internet tem um potencial enorme para reforçar o mercado único. No entanto, o nível de comércio e de negócios por via electrónica varia de Estado-Membro para Estado-Membro e as transacções transfronteiras são limitadas. Se bem que 54% dos cibernautas compram ou vendam bens pela Internet, apenas 22% deles o fazem entre Estados-Membros da UE. Em contraste, nos Estados Unidos, o comércio electrónico está mais vulgarizado, com 75% dos cibernautas a efectuarem transacções em linha. Verifica-se assim que a Europa carece de um genuíno mercado único digital, que é essencial para estimular o crescimento das pequenas e médias empresas europeias e facultar aos consumidores uma escolha mais variada a preços competitivos.

O texto integral do relatório, com fichas por países e estudos e relatórios correlatos, pode ser consultado em:

http://ec.europa.eu/information_society/newsroom/cf/itemdetail.cfm?item_id=5789

Anexo

Figure 1: ICT value added in % GDP (2007)

Figures and graphics available in PDF and WORD PROCESSED

Source: Eurostat and IPTS-JRC

Figure 2: Contribution of ICT and non-ICT sectors to total BERD intensity (% GDP, 2007)

Figures and graphics available in PDF and WORD PROCESSED

Source: IPTS-JRC

Figure 3 Broadband penetration rate, January 2010

Figures and graphics available in PDF and WORD PROCESSED

Source: Communication Committee

Figure 4: Fixed broadband lines by speed, January 2010

Figures and graphics available in PDF and WORD PROCESSED

Source: Communication Committee

Figure 5: FTTx deployment in the EU, US, Japan and South Korea

Figures and graphics available in PDF and WORD PROCESSED

Source: Commission Services on the basis of Point Topic

Figure 6: Domestic and cross-border Internet purchases, 2009 (in % of internet users during last year)

Figures and graphics available in PDF and WORD PROCESSED

Source: Eurostat Community Survey on ICT Usage by Households and by Individuals

Figure 7: Trend in % regular internet users in the EU, Iceland, Norway and Croatia, 2008-2009

Figures and graphics available in PDF and WORD PROCESSED

Source: Eurostat Community Survey on ICT Usage by Households and by Individuals

Figure 8: Internet use as a % of population (EU27) by usage frequency

Figures and graphics available in PDF and WORD PROCESSED

Source: Eurostat Community Survey on ICT Usage by Households and by Individuals


Side Bar

Mon compte

Gérez vos recherches et notifications par email


Aidez-nous à améliorer ce site