Navigation path

Left navigation

Additional tools

Literacia mediática: saberão as pessoas, na verdade, aproveitar ao máximo os blogues, os motores de pesquisa ou a televisão interactiva?

European Commission - IP/07/1970   20/12/2007

Other available languages: EN FR DE NL SV FI HU SL

IP/07/1970

Bruxelas, 20 de Dezembro de 2007

Literacia mediática: saberão as pessoas, na verdade, aproveitar ao máximo os blogues, os motores de pesquisa ou a televisão interactiva?

Os media estão a mudar, tal como a utilização que deles fazem os cidadãos. As novas tecnologias da informação e das comunicações tornam muito mais fácil para qualquer pessoa encontrar e divulgar informações, comunicar, publicar e até difundir. Assim, a capacidade das pessoas de analisarem criticamente o que encontram nos media e de fazerem escolhas mais informadas – conhecida como “literacia mediática” – é cada vez mais um elemento essencial para uma cidadania activa e para a democracia. Na sequência de um inquérito efectuado no ano passado à escala da UE, a Comissão Europeia anunciou hoje os seus planos para incentivar o desenvolvimento da literacia mediática e o intercâmbio de boas práticas na Europa.

"Na era digital, a literacia mediática é fundamental para uma cidadania plena e activa”, afirmou a Comissária Viviane Reding, responsável pela sociedade da informação e media. “A capacidade de ler e escrever – a literacia tradicional – já não é suficiente hoje em dia. As pessoas necessitam de maior preparação para se exprimirem com eficácia e interpretarem o que os outros dizem, especialmente nos blogues, através dos motores de pesquisa ou na publicidade. Todos (velhos e novos) necessitam de acompanhar o novo mundo digital em que vivemos. Para tal, uma informação e uma educação contínuas são mais importantes do que a regulamentação”.

A literacia mediática diz respeito a todos os tipos de media, nomeadamente televisão, cinema, vídeo, sítios Web, rádio, jogos vídeo e comunidades virtuais. De forma sintética, pode dizer-se que é a capacidade de aceder, compreender, avaliar e criar os conteúdos dos media. O cidadão comum cada vez mais tem acesso a – e coloca em linha - conteúdos que são visíveis em todo mundo. No entanto, nem todos compreendem ainda plenamente o contexto em que esses materiais são escritos, vistos ou lidos, nem as possíveis consequências da publicação directa dos mesmos. Consequentemente, é necessário que todos os cidadãos adquiram novas qualificações como comunicadores activos e criadores de conteúdos. Num ambiente mundial e multicultural, surgem novos desafios relacionados com os media que levantam problemas no que respeita à segurança, à inclusão e à disponibilidade de acesso para todos.

A comunicação de hoje da Comissão é o primeiro documento político sobre a literacia mediática a nível da UE e incide nas seguintes três áreas:

literacia mediática no contexto da comunicação comercial, que abrange as questões relacionadas com a publicidade;

literacia mediática no contexto das obras audiovisuais, que diz respeito, em parte, à sensibilização para o cinema europeu e à melhoria das capacidades criativas;

literacia mediática no ambiente em linha, que, entre outras coisas, permitirá que os cidadãos conheçam melhor o funcionamento do Google e de outros motores de pesquisa na Internet.

A comunicação acrescenta um novo elemento à política audiovisual europeia. Complementa a nova Directiva Serviços de Comunicação Audiovisuais Sem Fronteiras (ver IP/07/1809) e o programa MEDIA 2007 de apoio ao desenvolvimento do cinema europeu e à distribuição dos filmes europeus. Anuncia ainda um estudo a lançar em 2008 sobre a avaliação da literacia mediática em diversos níveis, que será tomado em consideração no relatório sobre os níveis de literacia mediática previsto na nova Directiva Serviços de Comunicação Audiovisuais Sem Fronteiras. “Estou convicta de que, no que respeita em especial à publicidade, fomentar a literacia mediática é uma estratégia muito mais correcta do que defender a proibição de anúncios publicitários, de que discordo frontalmente”, afirmou a Comissária Reding.

A Comissão promove activamente o desenvolvimento e o intercâmbio de boas práticas de literacia mediática no ambiente digital através dos programas e iniciativas em curso e, no futuro, adoptará, se necessário, um conjunto de recomendações. Por último, a Comissão exorta os Estados-Membros a incentivarem as suas autoridades reguladoras a participarem e cooperarem mais activamente na melhoria da literacia mediática dos cidadãos. Pretende ainda elaborar e pôr em aplicação códigos de conduta e quadros de co-regulação em colaboração com todas as partes interessadas a nível nacional.

Antecedentes:

A comunicação da Comissão sobre literacia mediática é parte integrante da sua política geral para melhorar a confiança e a aceitação dos conteúdos em linha. Segue-se ao lançamento de um inquérito realizado no ano passado (ver IP/06/1326), que abrangeu todas as partes interessadas, ou seja: organizações e empresas ligadas aos media, instituições de ensino, fornecedores e produtores de conteúdos, centros de investigação, instituições culturais, reguladores, cidadãos e associações de consumidores. A comunicação é o resultado desta ampla consulta.
A comunicação está disponível no seguinte endereço:

http://ec.europa.eu/avpolicy/media_literacy/index_en.htm
Os resultados da consulta pública sobre literacia mediática estão disponíveis em:
http://ec.europa.eu/avpolicy/media_literacy/consultation/index_en.htm


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website