Navigation path

Left navigation

Additional tools

IP/07/1227

Bruxelas, 10 de Agosto de 2007

Eurobarómetro - Estão as crianças europeias demasiado confiantes perante os riscos da Internet?

Podem os pais confiar na sua filha de 13 anos que "surfa" na Web? Estarão absolutamente seguros de que a conversa que o seu filho de 11 anos está a ter ao telemóvel é inofensiva? Um inquérito em grande escala efectuado pela Comissão às crianças europeias procurou saber como utilizam os novos meios de comunicação. O inquérito revela que, para a jovem geração de europeus, a utilização da Internet e do telemóvel é prática corriqueira. Em geral, os jovens estão a par dos riscos da utilização desses meios de comunicação, mas, perante um problema, apenas em último recurso pedem ajuda a um adulto.

"É a primeira vez que se pergunta directamente às crianças europeias como utilizam as tecnologias em linha, quanto tempo navegam por prazer ou por necessidades de estudo e como lidam com os riscos," declarou Viviane Reding, Comissária Europeia responsável pela Sociedade da Informação e os Meios de Comunicação Social. "É estimulante observar a confiança com que a juventude europeia adere às tecnologias digitais. A capacidade de utilizar activamente os novos meios de comunicação é fundamental para o desenvolvimento, na Europa, de uma sociedade baseada no conhecimento. Ao mesmo tempo, os resultados deste inquérito alertam para a necessidade de uma educação pró-activa em matéria de meios de comunicação em linha. Além disso, é necessário continuar a sensibilizar as pessoas, sobretudo os pais, para as oportunidades e os riscos dos novos meios de comunicação. Quando está em causa a segurança dos nossos filhos, todo o cuidado é pouco."

No âmbito do inquérito qualitativo do Eurobarómetro, foram entrevistadas crianças dos 9 aos 10 e dos 12 aos 14 anos dos 27 Estados-Membros e também da Noruega e da Islândia. As crianças foram circunstanciadamente inquiridas sobre o modo como utilizavam as tecnologias em linha e como reagiam aos problemas e riscos quando utilizavam a Internet e os telemóveis.

O inquérito veio mostrar que a forma como as crianças utilizam as novas tecnologias é muito semelhante por toda a Europa. Na Internet, os jogos, o "surfing" e a comunicação são as actividades preferidas; nos telemóveis, são o envio de mensagens escritas (SMS) e as chamadas para os pais e amigos.

A maioria utiliza a Internet várias vezes ao dia e possui o seu próprio telemóvel. A utilização da Internet é, em certa medida, limitada pelos pais, ao passo que a do telemóvel é muito mais livre e menos vigiada.

Nas palavras de uma das crianças: “Os meus pais não querem que eu esteja mais de uma hora ou duas na Internet porque faz mal aos olhos. Por mim, ficava mais tempo, mas eles têm razão.” (rapaz de 9-10 anos, Roménia)

Os resultados mostram que, de um modo geral, as crianças estão bem cientes dos potenciais riscos da Internet, como a segurança, os vírus, o acesso a conteúdos não desejados, o roubo da identidade e o contacto potencialmente perigoso com estranhos.

“Os piratas são um perigo, podem espalhar vírus que destroem o disco duro ou copiar tudo o que temos no computador, como senhas, documentos, etc.” (rapaz de 9-10 anos, Portugal)

Muitos estão também cientes da necessidade de tomar precauções.

"Não dar dados pessoais na Internet nem o número do telemóvel a desconhecidos." (rapariga de 12-14 anos, Luxemburgo)

Algumas crianças admitiram, porém, já terem tido comportamentos de risco e algumas reconheceram terem sido assediadas e terem tido contactos com estranhos.

"Combinei encontrar-me com ele numa estação e, quando vi que era um homem horroroso de 44 anos, fui-me embora!" (rapaz de 12-14 anos, Dinamarca)

Embora os jovens conheçam os riscos e as precauções a tomar, a maioria prefere resolver os problemas por si ou com a ajuda de amigos, apenas falando deles aos pais em último recurso e nos casos mais graves.

"Diria a toda a gente menos aos meus pais. Teria demasiado receio que a minha mãe confirmasse o que ela própria teme e me impedisse de frequentar salas de conversa". (rapariga, 9-10 anos, Alemanha)

Os resultados do inquérito do Eurobarómetro ajudarão a Comissão a aperfeiçoar o programa comunitário "Internet mais Segura" (Safer Internet) de forma a melhor contribuir para a segurança das crianças europeias que utilizam a Internet e o telemóvel. O inquérito seguiu-se ao acordo assinado na Primavera de 2007 pelos operadores móveis europeus, com a mediação da Comissão, nos termos do qual se comprometem a tomar medidas de auto-regulação para protegerem os menores que utilizam telemóveis (ver IP/07/139).

O próximo dia da "Internet mais Segura" será a 12 de Fevereiro de 2008.

Informações gerais:

O programa Safer Internet, criado em 1999, promove a utilização mais segura das tecnologias em linha, sobretudo pelas crianças, e combate os conteúdos ilícitos e nocivos, que incluem desde imagens de crianças maltratadas até ao racismo. A sua fase actual (Safer Internet plus) decorrerá até 2008 (ver IP/06/1512, MEMO/07/44).

O dia da "Internet mais Segura" divulga todos os anos essas iniciativas em toda a Europa e contribui para sensibilizar o público para as questões relacionadas com a utilização mais segura da Internet e das novas tecnologias (ver IP/07/140, IP/06/126, IP/05/148, IP/04/171).
Para mais informações:

http://ec.europa.eu/saferinternet
Resultados do inquérito do Eurobarómetro sobre a utilização das tecnologias em linha pelas crianças:

http://ec.europa.eu/information_society/activities/sip/eurobarometer/


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website