Navigation path

Left navigation

Additional tools

Alimentos seguros e apoio à vida rural deveriam ser prioridades da UE, afirmam cidadãos dos futuros Estados-Membros

European Commission - IP/03/333   06/03/2003

Other available languages: EN FR DE DA ES NL IT SV FI EL

IP/03/333

Bruxelas, 6 de Março de 2003

Alimentos seguros e apoio à vida rural deveriam ser prioridades da UE, afirmam cidadãos dos futuros Estados-Membros

Alimentos seguros e saudáveis e apoio à melhoria da vida rural foram considerados prioridades principais por cidadãos dos futuros Estados-Membros interrogados, em recente sondagem Eurobarómetro, sobre a forma como a UE deveria utilizar a sua política agrícola. 88% das pessoas interrogadas consideram que a política agrícola comum (PAC) deveria ser utilizada para atingir estes objectivos. Uma maioria clara (67%) apoia a direcção que a PAC tem vindo a tomar, com menos subsídios para os produtos agrícolas e mais fundos para o desenvolvimento e protecção da economia rural e para o apoio directo aos agricultores. A sondagem revela ainda que a maioria dos cidadãos dos futuros Estados-Membros acham que a PAC será benéfica para os agricultores, os consumidores e a indústria alimentar, mas também para o ambiente em meio rural. A comparação dos resultados desta sondagem com os de outra semelhante realizada no ano passado na UE mostra, em termos gerais, um apoio semelhante dos cidadãos dos actuais e dos futuros Estados-Membros à maioria dos objectivos da PAC.

Ao comentar a sondagem, Franz Fischler, Membro da Comissão responsável pela Agricultura, o Desenvolvimento Rural e as Pescas, afirmou: "Esta sondagem mostra que os alimentos seguros e saudáveis constituem claramente uma prioridade para todos os cidadãos europeus. As questões ambientais e a necessidade de promover uma economia rural dinâmica, sob todos os aspectos, são preocupações comuns aos cidadãos dos actuais e futuros Estados-Membros; estas questões são tratadas em profundidade nas propostas de reforma da PAC apresentadas pela Comissão em Janeiro".

A sondagem foi realizada numa amostra representativa das populações de 13 países (os dez cuja adesão à UE está prevista para 2004: Chipre, a República Checa, a Estónia, a Hungria, a Letónia, a Lituânia, Malta, a Eslováquia e a Eslovénia; os países em vias de adesão: Bulgária e Roménia; e a Turquia, país candidato).

Quanto à utilização da política agrícola da UE, uma maioria significativa dos inquiridos foi favorável aos seguintes objectivos: (Os resultados são aqui apresentados a par das respostas dadas às mesmas perguntas aquando da sondagem realizada anteriormente na UE-15)

Pergunta

Considera que UE deveria utilizar a sua política agrícola no sentido de…..

Sim futuros Estados-Membros

Sim EU 15

garantir que os produtos agrícolas sejam seguros e saudáveis?

88%90 %
encorajar e melhorar a vida nas zonas rurais?88%77 %
assegurar aos agricultores um rendimento adequado e estável?86% 77%
promover o respeito pelo ambiente?84%87 %
ajudar os agricultores a adaptarem a sua produção às expectativas dos consumidores?84%80%
proteger as explorações agrícolas de pequena ou média dimensão?83%81 %
defender os interesses dos agricultores nas relações com os intermediários e os distribuidores?81%69 %
aumentar a competitividade da agricultura europeia no mercado mundial?80%77 %
encorajar a diversificação da produção e da actividade agrícola?80%73 %
reduzir as disparidades regionais em matéria de desenvolvimento?80%72 %
proteger os produtos agrícolas europeus?78%

73 %

privilegiar os métodos da produção biológica?69%72 %

Embora o apoio, relativamente à maioria dos objectivos indicados, seja sensivelmente o mesmo nos dois grupos, nos futuros Estados-Membros as pessoas interrogadas mostraram-se ainda mais favoráveis a muitos dos objectivos, e mais susceptíveis de apoiar aqueles que se prendem com os interesses dos agricultores.

A par de grandes expectativas quanto à PAC, a sondagem mostrou que existe também o receio, sobretudo na República Checa e na Eslovénia, de que a instauração de políticas agrícolas da UE venha a ser mais prejudicial do que benéfica para os agricultores. É também manifesto que muito resta a fazer em matéria de informação do público em geral, nos novos Estados-Membros, acerca do conceito e dos objectivos da PAC, já que o nível actual de conhecimento é baixo, sendo os mais bem informados os polacos (36% têm conhecimento da PAC) e os Eslovenos (31%).

Para a versão integral do relatório, consultar:

http://ec.europa.eu/agriculture/survey/cc/index_en.htm


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website