Navigation path

Left navigation

Additional tools

Other available languages: EN FR DE DA ES NL IT SV FI EL

IP/03/1202

Bruxelas, 5 de Setembro de 2003

LIFE-Natureza: A Comissão atribui 71 milhões de euros a 77 novos projectos de conservação da natureza

A Comissão Europeia aprovou o financiamento de 77 projectos de conservação da natureza no âmbito do Programa LIFE-Natureza 2003. Sessenta e três dos projectos seleccionados serão realizados em 12 Estados-Membros da UE e catorze em 6 países candidatos. Os projectos representam um investimento total de 133 milhões de euros na conservação da natureza, contribuindo a União Europeia com 71 milhões de euros. Os projectos do LIFE-Natureza do corrente ano contribuirão ainda mais para o estabelecimento da rede Natura 2000 a nível da UE através da recuperação física de zonas protegidas, do estabelecimento de estruturas de gestão sustentáveis e de uma maior sensibilização do público.

Na sessão de selecção de 2003, a Comissão recebeu 182 propostas, das quais 144 foram consideradas elegíveis. Após a avaliação das propostas elegíveis e a aprovação pelo Comité “Habitats” da UE, foram seleccionados para financiamento 77 projectos de 18 países. Sessenta e três serão realizados na UE (Áustria, Bélgica, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Irlanda, Itália, Portugal, Espanha, Suécia e Reino Unido) e catorze nos países candidatos (Estónia, Hungria, Letónia, Roménia, Eslovénia e, pela primeira vez, Eslováquia). Os projectos seleccionados satisfazem os 3 critérios básicos do processo de selecção de projectos do Programa LIFE-Natureza, nomeadamente a conservação de:

i) sítios propostos pelos Estados-Membros ao abrigo da Directiva “Habitats”(1) (68%), ii) sítios classificados como zonas de protecção especial ao abrigo da Directiva “Aves”(2) (23%),iii) espécies da flora e fauna consideradas importantes na UE (9%).

A participação dos países candidatos no Programa LIFE-Natureza permitiu a seis dos 10 países que aderirão à União em 2004 preparar-se para a aplicação prática das Directivas “Aves” e “Habitats”.

Mantém-se a tendência para um aumento da dimensão dos projectos. A dimensão média dos projectos aprovados em 2003, em termos do orçamento total, aumentou ainda mais 7,5% relativamente a 2002, após um aumento de 15% no ano anterior. Verificou-se em 2003 um aumento de 3% do co-financiamento médio da UE por projecto. Desde o início do Programa LIFE-Natureza que o investimento total em projectos aumentou continuamente de 60,6 milhões de euros por ano em 1992-1995 (LIFE I) para uma média de 138,6 milhões de euros por ano no LIFE III (2001-2003).

Em relação aos projectos de 2003, os 71 milhões de euros de financiamento da UE cobrirão uma média de 53% dos custos dos projectos. Os restantes 62 milhões de euros serão disponibilizados pelos beneficiários, parceiros e co-financiadores.

Os projectos receberão este apoio financeiro sob reserva de cumprirem as disposições administrativas e financeiras.

Uma variedade de habitats visados e um elevado grau de parceria entre os intervenientes no projecto

Mais de dois terços dos projectos do corrente ano (54) visam sítios e respectivas espécies abrangidos pelas Directivas “Habitats” e outros 17 abrangem espécies de aves inscritas nas listas da Directiva “Aves”. Os restantes 6 projectos visam espécies inscritas nas listas, mas não estão ligados a sítios específicos. Relativamente aos projectos que visam sítios da rede Natura 2000, está contemplada toda a gama de habitats. Os ambientes de rios, zonas húmidas e florestas estão especialmente bem representados. Um terço destes projectos abrange mais de um tipo de habitat. Tal como é habitual, a maior parte das acções inclui a elaboração e implementação de planos de gestão, a gestão de cursos de água, a aquisição de terrenos (especialmente no Norte da Europa), a gestão de pastagens, a eliminação de espécies exóticas e a recuperação e melhoramento dos sítios.

É natural que as acções de conservação da natureza envolvam instituições públicas, pelo que não é surpreendente que os beneficiários do Programa LIFE-Natureza sejam predominantemente autoridades regionais ou locais (62%). Outros 35% são organizações não governamentais (ONG). Perto de três-quartos dos beneficiários trabalham em parcerias, mais frequentemente entre um organismo público e uma ONG de conservação da natureza. Deste modo, a competência profissional é combinada com o planeamento administrativo, o que constitui a melhor receita para o sucesso no sentido de garantir a viabilidade das zonas protegidas. Em 2003, um pouco mais de metade dos beneficiários do Programa LIFE-Natureza (51%) são novos. Esta é uma prova clara de que o programa continua a abrir novos caminhos.

A sustentabilidade das acções do Programa LIFE-Natureza é um critério importante na selecção de projectos. É também dada especial atenção à participação dos cidadãos e das comunidades locais. Os beneficiários devem realizar acções de sensibilização do público no âmbito dos seus projectos e é dada preferência a projectos que proporcionem uma garantia a longo prazo de gestão dos sítios.

LIFE-Natureza

O LIFE é o programa da União Europeia que proporciona apoio financeiro a projectos de conservação da natureza e do ambiente em toda a UE, em países candidatos à adesão e em regiões vizinhas. O objectivo geral do LIFE é - através do financiamento de acções específicas contribuir para o desenvolvimento e implementação da política da UE em matéria de ambiente. O LIFE está dividido em 3 componentes distintas: LIFE-Ambiente, LIFE-Natureza e LIFE-Países Terceiros.

O actual Programa LIFE III, com vigência até 2004, dispõe de um financiamento total de 640 milhões de euros. Um pouco menos de metade do financiamento total do Programa LIFE está afecto a projectos da componente LIFE-Natureza(3).

O Programa LIFE-Natureza foi criado em 1992 para apoiar a criação da Natura 2000, uma rede da UE de zonas protegidas estabelecidas no âmbito das Directivas “Aves” e “Habitats”. A designação dos 15 000 sítios da rede, que abrange 15% da superfície da UE, está prevista para finais de 2004. A maior parte dos projectos LIFE-Natureza dizem respeito a sítios da rede Natura 2000 e outros visam a protecção de espécies inscritas nas listas das Directivas “Aves” e “Habitats”. As acções apresentadas pelos proponentes sejam elas de recuperação e gestão de habitats naturais específicos ou de melhoria das condições de determinadas espécies devem estar em total conformidade com as directivas da UE. Até à data, os projectos LIFE-Natureza têm intervindo em cerca de 10% das zonas protegidas do Programa Natura 2000 da UE, tendo efeitos indirectos em muito mais zonas.

No Anexo é apresentado um resumo dos 77 projectos financiados. Estão disponíveis informações mais pormenorizadas sobre os 77 novos projectos, por país, no endereço:

http://ec.europa.eu/environment/life/project/index.htm

Para mais informação sobre a Rede Natura 2000, consultar:

http://ec.europa.eu/environment/nature/home.htm

Anexo

Panorâmica dos projectos LIFE-Natureza de 2003, por país

Áustria

Número de projectos financiados - 3.

Dois projectos dizem respeito a rios. O primeiro uma parceria do município com associações e grandes proprietários rurais destina-se a proceder à recuperação e melhoramento do vale do Mur superior, na Estíria. Serão eliminados os obstáculos aos peixes em migração, trabalhos de arquitectura paisagística contribuirão para a formação de bancos de sedimentos e ilhotas e serão regeneradas florestas aluviais. O segundo projecto protegerá os habitats em maior perigo do Danúbio, na garganta de Wachau. O projecto consiste essencialmente num regime-piloto destinado a recriar bancos de gravilha a partir de materiais provenientes da dragagem de canais de navegação. Se for bem sucedida, a técnica será adoptada pela autoridade fluvial. Serão também recuperadas as pastagens secas e as matas em encostas.

O terceiro projecto transformará um antigo local de extracção de turfa em zonas de reprodução, repouso e invernação para aves.

Bélgica

Número de projectos financiados - 4.

Um projecto de muito grande dimensão recuperará perto de 10 000 hectares de terrenos de treino militar na Flandres. É um esforço de cooperação entre as autoridades regionais florestais e de conservação da natureza e o Ministério da Defesa. Serão elaborados planos de gestão para 12 sítios da Natura 2000, que permitirão a planificação de exercícios militares com o devido respeito pelas necessidades de conservação da natureza.

O segundo projecto é gerido por uma associação de caçadores nas Ardenas, em conjunto com as autoridades regionais. Proceder-se-á à transformação de plantações de abetos sem viabilidade económica num complexo de zonas húmidas, prados, turfeiras e florestas húmidas naturais, servindo de modelo para uma gestão florestal “respeitadora da natureza”.

Um terceiro projecto continuará acções em prados salgados, que são locais importantes de migração das aves no Inverno, na costa da Flandres. Este projecto integrará agricultura e turismo sustentáveis.

O último projecto, na orla urbana de Gent, recuperará um complexo de charcos e prados húmidos de grande riqueza botânica e contará com a participação de pescadores, agricultores e conselhos locais.

Dinamarca

Não tem projectos financiados este ano.

Estónia

Número de projectos financiados - 2.

Um projecto tem como objectivo recuperar grandes zonas costeiras de pastagem, incentivando especialmente os agricultores e proprietários fundiários a reintroduzir práticas agrícolas de pastagem e ceifa. No âmbito do projecto proceder-se-á à limpeza do matagal dessas zonas e dar-se-á aos agricultores um primeiro estímulo para a utilização dos terrenos para pastagem e ceifa. Espera-se conseguir acordos de gestão a longo prazo através de programas agro-ambientais.

O segundo projecto adopta uma abordagem semelhante em relação a polders ao longo das margens do Lago Pepsi onde prados de forragem foram recentemente abandonados, ameaçando o valor dos sítios em termos de conservação da natureza.

Finlândia

Número de projectos financiados - 4.

A Finlândia possui uma grande percentagem das turfeiras e florestas naturais remanescentes na UE. Três dos projectos do corrente ano visam a recuperação de 77 desses sítios na rede Natura 2000. Cada projecto adoptará experiências e técnicas de melhores práticas de conservação numa das três regiões. O apoio local à gestão será efectuado através de acordos com os silvicultores e proprietários fundiários. Na Finlândia está prevista a sensibilização geral para esses sítios.

O quarto projecto visa a recuperação de 12 zonas húmidas ao longo de uma das rotas migratórias mais importantes da UE, com benefícios para 35 espécies inscritas nas listas da UE. As acções incluem a limpeza de zonas de mato, a reintrodução de terras de pastagem e ceifa e gestão de fluxos de visitantes.

França

Número de projectos financiados - 7.

Seis dos projectos do corrente ano situam-se na região do Mediterrâneo. O sétimo é um projecto internacional sobre o abutre quebra-osso nos Alpes austríacos, franceses e italianos.

Algo de invulgar é o facto de todos projectos do corrente ano terem como objectivo a conservação da fauna. Quatro projectos visam espécies de aves o abutre quebra-osso, o abutre-do-egipto, a pardela-de-bico-amarelo, o painho-de-cauda-quadrada e o corvo-marinho-de-crista (mediterrânico). Dois projectos visam mamíferos, um de terra (muflão da Córsega (Ovis gmelini musimon) e outro de mar (golfinho roaz-corvineiro). Um projecto diz respeito a espécies de peixes da família do salmão (Salmo trutta macrostigma).

Estes projectos possibilitarão o desenvolvimento de parcerias entre a França e outras organizações da UE. Está já em curso um projecto nas Ilhas Baleares (Espanha) sobre a pardela-de-bico-amarelo, um outro sobre o muflão da Córsega (Ovis gmelini musimon) e o golfinho roaz-corvineiro em Itália e ainda um outro sobre o Salmo trutta macrostigma na Eslovénia.

Todos os projectos supramencionados contribuirão para o estabelecimento ou actualização de planos de acção regionais, nacionais ou internacionais relativos às espécies em causa.

Alemanha

Número de projectos financiados - 7.

Dois dos projectos dizem respeito a tipos de habitats prioritários (pântanos salgados continentais, nascentes petrificantes com formações turfosas) relativamente aos quais a Alemanha tem especial responsabilidade, dado possuir alguns dos exemplos mais significativos na UE. O projecto relativo aos pântanos salgados na Turíngia incide em trabalhos hidrológicos para inverter os efeitos da poluição e drenagem passadas, enquanto o projecto relativo às nascentes petrificantes na Francónia libertará dezenas de nascentes actualmente sufocadas por abetos da Noruega (picea abies) acidificantes e frondosos, construções inadequadas e escorrências de campos próximos. Ambos desenvolverão vastas acções de sensibilização para dar a conhecer melhor ao público estes habitats pouco conhecidos, mas únicos.

Três projectos dizem respeito à conservação da natureza em zonas densamente povoadas e intensamente utilizadas.

Ao longo do rio Main a leste de Würzburg, serão alargadas zonas de repouso remanescentes para aves em migração através da conversão de terras agrícolas, de pastagens para ensilagem e de antigas saibreiras num habitat adequado para as aves. Este projecto é notável pelo facto de constituir um esforço de colaboração entre várias autoridades locais. O Rio Ems em Niedersachen é o palco de um projecto que, continuando o trabalho realizado no Sul por um projecto anterior, eliminará aterros, reabrirá antigos meandros do rio e permitirá o regresso dos bancos de areia ao leito do rio. O resultado final será um rio muito mais natural e um corredor ecológico através de uma região caracterizada por uma agricultura intensiva. Finalmente, proceder-se-á à recuperação de uma turfeira alta remanescente na zona densamente povoada de Minden, a fim de a dotar de condições hidrológicas óptimas. As árvores, que proliferaram na turfeira seca, serão retiradas e iniciar-se-á o pastoreio de ovinos, a fim de manter a vegetação em boa forma. Tendo em conta que este enclave é muito visitado pela população local, serão construídas infra-estruturas de orientação dos visitantes como caminhos e plataformas, a fim de permitir uma complementaridade entre actividades de recreio e conservação.

Os dois projectos finais situam-se num ambiente de zona montanhosa (Rothaargebirge e Eifel). Estes projectos centram-se na inversão da florestação, na recuperação de vários habitats de pastagem de zona húmida submontanhosa, que constituem habitats inscritos no Anexo I da Directiva, e na eliminação de aterros, desvios e açudes que espartilhavam os cursos de água locais de uma forma artificial e criavam barreiras aos invertebrados aquáticos e aos peixes em migração.

Ambos os projectos, situados em zonas rurais, dão grande importância à colaboração com partes interessadas relevantes, como agricultores, silvicultores, pescadores e municípios.

Grécia

Número de projectos financiados - 4

Dois dos projectos dizem respeito a zonas florestais: um visa o urso pardo e dois habitats florestais prioritários no parque nacional de Pindos do Norte e o outro visa reconverter a talhadia de Quercus frainetto e azinheiras em populações naturais na península de Athos.

Os outros dois projectos visam espécies de aves. O primeiro tem como objectivo a conservação do falcão-da-rainha em 9 locais em ilhas do mar Egeu que, em conjunto, abrigam uma grande parte da população mundial da espécie. O segundo projecto, num único local da Natura 2000, recuperará as zonas húmidas de Agras, um pequeno lago semi-artificial que abriga 4 espécies de aves prioritárias da UE.

Com excepção do projecto relativo ao falcão, estão todos situados no norte do país.

Hungria

É financiado um projecto neste país.

O projecto visa recuperar as zonas de floresta panónica de carvalhos e pastagens secas nas colinas de Szénás próximo de Budapeste, que têm grande valor botânico, mas que sofreram com práticas florestais passadas e estão ameaçadas pelos subúrbios em expansão de Budapeste. Os povoamentos de pinheiros serão convertidos em florestas naturais e será controlada a proliferação de animais de caça. Serão desenvolvidas acções de sensibilização a nível local.

Irlanda

É financiado um projecto neste país.

O projecto visa uma das zonas Natura 2000 mais importantes, que se estende por quase 10 milhas ao longo da costa oriental. No âmbito do projecto, proceder-se-á em primeiro lugar à aquisição e posteriormente à recuperação de pântanos calcários nesta zona. As acções contribuirão, por seu lado, para a conservação de todo o sítio, tanto no que diz respeito ao seu interesse em termos de habitat como de aves.

Itália

Número de projectos financiados -14

Dos catorze projectos, nove visam a gestão de habitats como florestas, pastagens e zonas húmidas. As acções previstas beneficiarão também várias espécies animais (anfíbios, répteis e invertebrados) importantes a nível da UE. Dois projectos visam recuperar e alargar os bosques de amieiros, a fim de aumentar o número de garças reprodutoras.

Cinco projectos visam especificamente espécies animais. Dois incidem em espécies altamente ameaçadas de rios e cursos de água - o lagostim de patas brancas, no centro da Itália, e o bonaparte-esturgião na bacia do Pó - e outros dois dizem respeito a golfinhos.

Um destes projectos tem como objectivo a protecção do golfinho roaz-corvineiro (uma espécie ameaçada) no santuário de cetáceos supranacional recentemente criado (incluindo a ordem dos mamíferos as baleias e os golfinhos), no norte do Mar Tirreno. O outro visa a conservação de tartarugas marinhas ao longo da costa Sul da Sicília.

Finalmente, um projecto visa prosseguir com a recuperação do habitat da população remanescente de ursos pardos dos Apeninos, nos Apeninos Centrais.

Sessenta e quatro por cento de todos os projectos italianos incluem, como acção principal, a erradicação ou controlo de espécies alóctones invasivas, uma questão horizontal que está a suscitar preocupações crescentes entre os responsáveis pela conservação da natureza.

Cinco dos projectos situar-se-ão em zonas protegidas ao abrigo da legislação nacional 1 num parque nacional, 3 em parques regionais e 1 numa reserva natural. Dos outros projectos, três serão geridos por administrações regionais e dois por administrações municipais. Quatro dos catorze projectos continuam o trabalho de acções desenvolvidas no âmbito de projectos LIFE anteriores.

Letónia

Número de projectos financiados - 3

Foram seleccionados três projectos muito diferentes, mas estratégicos. O primeiro situar-se-á num vale fluvial do norte de grande valor natural, com uma mistura de florestas de taiga, florestas aluviais, prados de forragem e pauis, que abrigam espécies inscritas nas listas da UE, nomeadamente mais de 300 casais de codornizões. Como não se trata ainda de uma zona protegida, as primeiras tarefas serão efectuar um inventário e elaborar um plano de gestão.

O segundo projecto visa um vasto complexo de zonas húmidas no coração da Letónia. Originalmente artificial, a zona inclui a mais vasta variedade de habitats de zonas húmidas no país, mas tem sofrido devido a uma gestão altamente dispersa. O projecto resolverá este problema criando uma vasta parceria de interessados no sentido de acordarem um novo regime hídrico e outras acções de conservação na zona.

O terceiro projecto diz respeito ao Lago Pape na fronteira com a Lituânia, uma antiga zona de fronteira proibida situada na rota migratória de aves do Paleárctico. As acções incluem a reintrodução de pastagens e a gestão do nível das águas do lago e pauis circundantes.

Luxemburgo

Não foram apresentados projectos este ano.

Países Baixos

Não tem projectos financiados este ano.

Portugal

Número de projectos financiados - 3.

Os novos projectos visam três sítios Natura 2000. Dois deles incidem na conservação de espécies de aves e seus habitats. Um incide na população global (aproximadamente 100 casais) de priôlos nas ilha de São Miguel, nos Açores. O segundo visa uma vasta gama de aves que se alimentam, refugiam ou nidificam nas salinas do estuário do Tejo.

O terceiro projecto visa a recuperação de habitats degradados e a conservação de habitats existentes através da implementação de práticas de gestão adequadas, situando-se todos eles numa vasta zona do Alentejo (sul de Portugal).

Roménia

Número de projectos financiados - 3.

Os três projectos seleccionados melhorarão o estado de conservação de zonas protegidas, promovendo simultaneamente o turismo sustentável.

Um projecto recuperará habitats florestais de pinheiros mansos, pinus mugo e abetos da Noruega nas Montanhas de Rodna, através da plantação de plântulas retiradas de zonas vizinhas. O segundo projecto visará a elaboração e implementação de um plano de gestão das Montanhas Macin no sudeste do país. Estas abrigam uma flora e fauna muito diversificada e rica.

No terceiro projecto, o Programa LIFE-Natureza co-financiará medidas de conservaçao em cinco sítios estratégicos num parque nacional nos Cárpatos, incluindo a protecçao de colónias de morcegos em cavernas e a regulaçao de percursos de marcha e escalada, a fim de reduzir a degradaçao de habitats naturais importantes. As acçoes serao integradas no plano de gestao do parque e constituirao um modelo para outros sítios potenciais na Roménia.

Eslováquia

Número de projectos financiados - 3

O primeiro projecto melhorará as condições da águia imperial na Eslováquia, uma espécie ameaçada a nível mundial, em estreita cooperação com um projecto similar na Hungria. As medidas incluem vigilância dos ninhos, deslocação de linhas de transporte de electricidade e maior disponibilidade de presas. Serão efectuados levantamentos que aumentarão os conhecimentos sobre as espécies e contribuirão para identificar zonas de protecção.

O segundo projecto visa as últimas florestas naturais de planícies de inundação remanescentes ao longo do rio Danúbio na Eslováquia, onde será aplicado um plano de gestão sustentável das florestas. Serão envidados esforços consideráveis para a demonstração de técnicas de gestão adequadas.

O terceiro projecto diz respeito ao Sur Fen, um dos maiores bosques pantanosos de amieiros na Europa Central, nos arredores de Bratislava. Estes sofrem da drenagem contínua verificada desde a década de 1940. Este projecto restaurará as condições anteriores, a fim de impedir uma maior dessecação das florestas. O projecto goza de um forte apoio de um parceiro municipal local.

Eslovénia

Número de projectos financiados - 2.

Existe uma população significativa de codornizões uma espécie ameaçada a nível mundial e classificada como vulnerável em 3 sítios na Eslovénia. Todavia, nenhum desses sítios está protegido. O projecto prevê a elaboração de um plano de acção nacional relativo aos codornizões e planos de gestão para cada um dos três sítios. As orientações elaboradas serão testadas numa série de acções concretas.

O outro projecto garantirá a conservação de habitats e espécies em especial de aves inscritas nas listas da UE nas salinas de Secovlje no estuário do Dragonja, no extremo sul da costa eslovena. As principais acções serão a restauração de diques e aterros e a criação de zonas adicionais de reprodução para as andorinhas-do-mar.

Espanha

Número de projectos financiados - 12.

Na globalidade, são visados 50 sítios Natura 2000.

Três projectos em conjunto visam cinco espécies de aves prioritárias da UE. Um diz respeito à gaivota de Audouin em Múrcia (Sul de Espanha), outro visa a abetarda-moura, uma espécie nativa das Ilhas Canárias. Um terceiro visa a águia imperial, o abutre-preto e a cegonha-preta na Espanha central e ocidental.

A conservação dos invertebrados é o objectivo de dois projectos do corrente ano em Espanha. Um projecto melhorará as condições de sete espécies de insectos na Estremadura e outro as de unionídeos em Castilha e Leão. Um projecto nas Ilhas Canárias visará animais marinhos de maiores dimensões, o golfinho roaz-corvineiro e a tartaruga-careta.

Vários projectos, especialmente os que visam habitats, aplicarão uma abordagem integradas à gestão de sítios Natura 2000 a nível regional. Como exemplos é de referir a gestão de habitats florestais prioritários em 5 sítios montanhosos em Valência e a gestão de 10 sítios no âmbito de um regime de desenvolvimento sustentável de um distrito de Múrcia. A elaboração de estratégias conjuntas para a gestão de zonas húmidas e habitats costeiros será apoiada por dois projectos separados na Andaluzia. Um outro projecto na Estremadura recuperará zonas húmidas sazonais e atenuará o impacto das actividades humanas nesses locais.

Um tema importante dos projectos é uma maior integração das actividades socioeconómicas na conservação da natureza. Um projecto na Catalunha recuperará o segundo maior lago de Espanha e, simultaneamente, promoverá o desenvolvimento sustentável nessa região fortemente frequentada. O projecto supramencionado sobre três espécies de aves prioritárias aborda a gestão da reprodução e das fontes alimentares em propriedades privadas com participação directa dos proprietários, uma grande preocupação no que diz respeito à realização dos objectivos de conservação da Directiva “Habitats”.

Suécia

Número de projectos financiados - 2

Desde o abandono das práticas agrícolas tradicionais que se verificou um declínio dramático da zona de prados de forragem biologicamente ricos no Norte da Suécia, pelo que actualmente restam apenas algumas dezenas de sítios dispersos. Trabalhando em estreita colaboração com a comunidade agrícola local, o primeiro projecto recuperará 31 sítios de modo a torná-los elegíveis para regimes de apoio agro-ambiental e garantirá a gestão da sua conservação a longo prazo.

O segundo projecto incide em toda a população de raposa-árctica da UE, que se encontra gravemente ameaçada, aproveitando a experiência de projectos LIFE anteriores. O projecto deverá dar um grande impulso ao programa de recuperação da espécie, com vista a, pelo menos, deter o declínio da sua população em termos numéricos.

Reino Unido

Número de projectos financiados - 2.

Um projecto visa toda a população da cada vez mais rara borboleta do sapal (Euphydryas aurinia) no sudoeste da Inglaterra, onde esta se encontra dispersa em pequenos sítios Natura 2000. O projecto tem como objectivo melhorar tanto os sítios adequados para a espécie como os corredores entre estes. O projecto inclui uma parceria com a autoridade rodoviária nacional que recentemente alterou o percurso de uma estrada importante que passava perto destes sítios.

O segundo projecto incide em 2 florestas importantes em ravinas uma no vale Wye, na fronteira entre a Inglaterra e o País de Gales, e a segunda no parque nacional de Peak District no norte de Inglaterra. O projecto visa reconstituir, recuperar e proteger as florestas através da aplicação de uma gestão integrada viável.

(1)Directiva 92/43/CE do Conselho relativa à preservação dos habitats naturais e da fauna e da flora selvagens.

(2)Directiva 79/409/CEE do Conselho relativa à conservação das aves selvagens.

(3)Os Programas LIFE-Natureza e LIFE-Ambiente dispõem, cada um deles, de quarenta e sete por cento do financiamento, sendo os restantes 6% destinados ao Programa LIFE-Países Terceiros.


Side Bar

My account

Manage your searches and email notifications


Help us improve our website