Assuntos institucionais


A União Europeia é uma entidade política com características únicas, cujos membros são Estados soberanos que decidiram partilhar a soberania em algumas áreas fundamentais com vista a atingir objetivos comuns. Os nacionais dos Estados-Membros são, simultaneamente, cidadãos europeus, o que lhes confere o direito a participar na vida democrática da UE.

Tal como os Estados, a UE dispõe de um poder legislativo (Parlamento + Conselho), de um poder executivo (Comissão) e de um poder judicial independente (Tribunal de Justiça).

Os poderes das instituições europeias decorrem de tratados fundadores, que foram negociados e ratificados pelos Estados-Membros. Nas áreas políticas não abrangidas pelos tratados, os países da UE são livres de exercer a sua soberania.

Os dois tratados mais importantes são:

  • o Tratado de Roma (1958), que instituiu a organização que ficou conhecida como Comunidade Económica Europeia (CEE)
  • o Tratado de Maastricht (1993), conhecido também como Tratado da União Europeia
Intérprete da UE a trabalhar © UE

Os intérpretes das instituições e organismos da UE trabalham nas 24 línguas oficiais.

Entre os restantes tratados, são de referir o Ato Único Europeu (1987), que lançou o mercado único europeu, e os Tratados de Amesterdão (1999) e de Nice (2003). O mais recente é o Tratado de Lisboa (2009), que alterou alguns dos tratados anteriores.

Triângulo institucional

Existem três instituições responsáveis pela definição das políticas e pela tomada de decisões na UE:

  • Parlamento Europeu
  • Conselho da União Europeia
  • Comissão Europeia

Uma quarta instituição, o Conselho Europeu, define as orientações e prioridades políticas, mas não tem uma função legislativa.

Sede do Parlamento Europeu em Estrasburgo © Van Parys Media

A sede do Parlamento Europeu em Estrasburgo.

Parlamento Europeu

O Parlamento Europeu foi criado para representar diretamente os cidadãos europeus. Os seus poderes foram alargados através de sucessivas alterações dos tratados de base da UE. Em 1979, os deputados europeus passaram a ser diretamente eleitos pelos cidadãos da UE. O atual Parlamento, eleito por cinco anos em junho de 2009, tem 766 deputados dos 28 países da UE.

A principal função do Parlamento é adotar, juntamente com o Conselho, os projetos de legislação apresentados pela Comissão. Cabe-lhe também controlar e aprovar o orçamento da UE. Além disso, o Parlamento exerce um controlo democrático sobre a Comissão, podendo demiti-la através de uma moção de censura.

Conselho Europeu

Os Chefes de Estado e de Governo dos países da UE reúnem-se, pelo menos, quatro vezes por ano no âmbito do Conselho Europeu. Se necessário, o Presidente do Conselho Europeu pode convocar reuniões extraordinárias. O objetivo destas reuniões é definir as prioridades políticas da UE e dar o impulso necessário à sua concretização. As decisões são geralmente tomadas por consenso.

Com o Tratado de Lisboa, o Conselho Europeu adquiriu o estatuto de instituição da UE e passou a ter um presidente eleito.

Conselho da União Europeia

O Conselho da UE, no âmbito do qual ministros de todos os países da UE se reúnem várias vezes por mês, exprime a visão dos governos nacionais. Desempenha funções legislativas, que partilha com o Parlamento, e executivas, que partilha com a Comissão. Os ministros competentes reúnem-se para debater e adotar decisões políticas específicas em matéria de relações externas, assuntos económicos e financeiros, transportes, energia, agricultura, etc. É conhecido habitualmente por «Conselho de Ministros» ou apenas por «Conselho».

A maior parte das decisões é tomada por maioria qualificada, embora haja um grande número de questões em áreas como a política fiscal, a política de asilo e de imigração ou a política externa e de segurança, que requerem a unanimidade.

Comissão Europeia

A Comissão é independente dos governos nacionais, representando os interesses da UE no seu todo. Desempenha quatro funções essenciais:

  • propor políticas e legislação da UE
  • assegurar o respeito pelos tratados e pela legislação da UE (é a «guardiã dos Tratados»)
  • gerir e executar as políticas e o orçamento da UE
  • representar a UE em todo o mundo

De cinco em cinco anos, após as eleições para o Parlamento Europeu, é nomeada uma nova Comissão. O Presidente da Comissão é eleito pelo Parlamento com base numa proposta do Conselho Europeu. Os Comissários – atualmente, um por país, incluindo o Presidente e os vice-presidentes – devem ser confirmados pelo Parlamento Europeu antes de assumirem funções.

Garante do direito

O Tribunal de Justiça da União Europeia garante que a legislação da UE é interpretada e aplicada de forma idêntica em todos os Estados-Membros.

O Tribunal pode também decidir sobre litígios que envolvam países da UE, instituições da UE, empresas ou particulares. Com sede no Luxemburgo, o Tribunal é composto por juízes de todos os Estados-Membros.

Outras instituições e organismos

A UE conta com outros oito organismos importantes, cada um com tarefas específicas:

A aplicação prática da legislação europeia nos diferentes domínios é assegurada por 40 agências de natureza e dimensão diversas, repartidas pelos vários países da UE

Topo

Topo



CONTACTO

Pedidos de informação

Telefone gratuitamente para o
00 800 6 7 8 9 10 11 Funcionamento do serviço telefónico

Envie as suas perguntas por correio electrónico

Contactos e informações sobre as visitas às instituições, contactos com a imprensa

Ajude-nos a melhorar

Encontrou a informação que procurava?

SimNão

O que procurava?

Tem alguma sugestão?