RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 15 idiomas
Novos idiomas disponíveis:  CS - HU - PL - RO

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


Sétimo Programa-Quadro: Euratom

Desenvolver, de forma sustentável, a energia de fusão e responder às necessidades no domínio da cisão nuclear em termos de segurança, gestão dos resíduos, eficácia e competitividade, tais são os principais objectivos do programa específico de investigação e formação em matéria nuclear. O presente documento define os actuais desafios colocados pela energia nuclear na Europa e apresenta as características e objectivos gerais do programa. A cada um dos três domínios temáticos de investigação, que são a energia de fusão nuclear, a energia de cisão nuclear e a protecção contra radiações, correspondem objectivos específicos dos quais decorrem toda uma série de actividades a implementar nos próximos quatro anos.

ACTO

Decisão 2006/970/CE do Conselho, de 18 de Dezembro de 2006, relativa ao Sétimo Programa-Quadro da Comunidade Europeia da Energia Atómica (Euratom) de actividades de investigação e formação em matéria nuclear (2007- 2011) [Jornal Oficial L 400 de 30.12.2006] e

Decisão 2006/977/Euratom do Conselho, de 19 de Dezembro de 2006, relativa ao programa específico a executar através de acções directas pelo Centro Comum de Investigação no âmbito do Sétimo Programa-Quadro da Comunidade Europeia da Energia Atómica (Euratom) de actividades de investigação e formação em matéria nuclear (2007 a 2011) [Jornal Oficial L 400 de 30.12.2006].

SÍNTESE

As centrais nucleares produzem, por si só, um terço dos actuais recursos em electricidade da União Europeia (UE). Constituem portanto, quanto a este aspecto, uma fonte de energia privilegiada. Na sua qualidade de energia limpa, a energia nuclear desempenha, além disso, um papel-chave na protecção do ambiente (redução das emissões de gases com efeito de estufa), contribuindo simultaneamente para uma maior independência, segurança e diversidade do aprovisionamento energético da União.

A prazo, a fusão nuclear * deverá permitir um aprovisionamento quase ilimitado de energia limpa. Neste sentido, o projecto ITER * apresenta um valor acrescentado inegável. Por essa razão, a sua realização e exploração são o ponto fulcral da actual estratégia da UE. No entanto, essa ambição deve acompanhar-se de um programa europeu de investigação e desenvolvimento sólido e com objectivos específicos.

Apesar de tudo, a cisão nuclear * continua a ser uma solução explorável. Neste contexto, parece necessário concentrar as actividades de investigação e formação na segurança nuclear (protecção contra radiações *), na gestão sustentável dos resíduos, na eficiência e na competitividade global do sector.

Por conseguinte, a salvação da Europa, em termos de energia, passa não só pela preservação das fontes, infra-estruturas, competências e "know-how" existentes, mas também pela exploração de novas possibilidades científicas e tecnológicas. Nesta perspectiva, este Programa Específico deveria permitir simultaneamente manter um nível de investimento suficiente na investigação e optimizar a cooperação entre a UE e os seus Estados-Membros.

CARACTERÍSTICAS E OBJECTIVOS GERAIS

O programa Euratom, que decorre até 2011, está subdividido em dois programas específicos. O primeiro cobre a investigação em matéria de fusão nuclear, a energia de cisão nuclear e a protecção contra radiações. O segundo diz respeito às acções do Centro Comum de Investigação (Joint Research Centre - JRC) no domínio da energia nuclear.

O montante global máximo para a execução do sétimo programa-quadro no período de 2007-2011 será de 2 751 milhões de euros. Uma parte significativa deste orçamento servirá para financiar o projecto internacional de fusão nuclear ITER.

Programa Específico Euratom

O presente Programa Específico incide nos seguintes domínios:

  • Energia de fusão nuclear.
  • Energia de cisão nuclear.
  • Protecção contra radiações.

Nestes diferentes domínios, o programa visa principalmente:

  • Aumentar o nível de excelência e de inovação.
  • Assegurar um elevado nível de cooperação e eficácia mediante um apoio às actividades de investigação e de formação.

O principal contributo do Programa Específico consistirá num reforço, a nível comunitário, da investigação nos domínios supracitados. A tónica será igualmente colocada nas sinergias e na complementaridade com as outras políticas e programas comunitários.

No domínio da energia de fusão, a investigação incidirá em:

  • Desenvolvimento de uma base de conhecimentos para o projecto ITER.
  • Conclusão da fase de construção do ITER que deverá resultar na criação de reactores-protótipo, antes do lançamento da sua fase de exploração.

No domínio da cisão nuclear e da protecção contra radiações, o presente Programa destina-se a estabelecer as bases científicas e técnicas necessárias para uma melhor gestão (simultaneamente mais segura, mais económica em recursos, mais concorrencial e mais ecológica) da energia e dos resíduos, bem como dos respectivos efeitos.

Serão, além disso, desenvolvidos indicadores de desempenho a três níveis:

  • Indicadores quantitativos e qualitativos que permitam determinar as pistas ou tendências do progresso científico e técnico (novas normas e ferramentas, técnicas científicas, pedidos de patentes e acordos de licenciamento de novos produtos, processos e serviços, etc.).
  • Indicadores de gestão (avaliação dos desempenhos internamente, do processo decisório, da execução do orçamento, do prazo de assinatura dos contratos e de pagamento, etc.).
  • Indicadores de resultados e de incidência (eficácia global da investigação em função dos objectivos fixados, incidência do Programa-Quadro nomeadamente nos objectivos de Lisboa, de Gotemburgo e de Barcelona, bem como ao nível dos programas específicos).

Em termos orçamentais, o montante considerado necessário para a execução do programa específico é de 2 234 milhões de euros para o período de 1 de Janeiro de 2007 a 31 de Dezembro de 2011. A repartição entre os domínios de actividade será a seguinte:

  • 1 947 milhões de euros para a investigação sobre a energia de fusão.
  • 287 milhões de euros para a cisão nuclear e a protecção contra radiações.

Actividades do JRC

As actividades do JRC no domínio nuclear contribuirão para apoiar o conjunto das acções de investigação desenvolvidas em cooperação transnacional nos domínios temáticos seguintes:

  • Gestão dos resíduos nucleares, incidências no ambiente.
  • Segurança nuclear.
  • Salvaguardas nucleares.

Os objectivos e as grandes linhas destas actividades são expostos no anexo da Decisão 2006/977/Euratom.

O montante considerado necessário para a execução deste programa específico é de 517 milhões de euros.

É de assinalar que a execução do 7º Programa-Quadro, incluindo os diferentes programas específicos e todas as actividades de investigação deles decorrentes, será guiada não só pelo respeito dos princípios éticos fundamentais, mas também dos aspectos sociais, jurídicos, socioeconómicos, culturais e relativos à igualdade de géneros.

DOMÍNIOS TEMÁTICOS DE INVESTIGAÇÃO

A cada um dos domínios temáticos (energia de fusão, cisão nuclear e protecção contra radiações) corresponde um objectivo geral relativamente ao qual é fixada toda uma série de actividades. No que diz respeito à cisão nuclear e à protecção contra radiações, foram igualmente definidos objectivos específicos.

Energia de fusão

O objectivo geral consistirá, neste caso, em mobilizar todos os intervenientes (investigadores, indústria, empresas, decisores políticos, etc.) e conhecimentos do mundo científico em torno do programa europeu de investigação sobre a energia de fusão. Mais concretamente, os esforços concentrar-se-ão na realização e exploração do ITER e do seu sucessor DEMO *, mas igualmente em projectos mais vastos que estejam relacionados com o desenvolvimento da energia de fusão.

As actividades consideradas incidirão nos seguintes sete aspectos:

  • Realização do ITER.
  • Investigação e desenvolvimento preparatórios para o funcionamento do ITER.
  • Actividades tecnológicas preparatórias para o projecto DEMO.
  • Actividades de investigação e desenvolvimento tecnológico numa perspectiva a mais longo prazo.
  • Recursos humanos, ensino e formação.
  • Infra-estruturas.
  • Gestão de necessidades emergentes e de necessidades políticas imprevistas.

A participação da UE no projecto ITER traduzir-se-á nomeadamente nos seguintes elementos:

  • Preparação do local de implantação.
  • Criação da Organização ITER.
  • Gestão e dotação em pessoal.
  • Apoio técnico e administrativo geral.
  • Construção dos equipamentos e instalações necessários para a exploração do local de implantação.
  • Estabelecimento de um programa orientado nos domínios da física e das tecnologias que inclua uma avaliação das principais tecnologias específicas necessárias ao funcionamento do ITER, bem como uma exploração dos cenários desse funcionamento através de experiências orientadas e de outras actividades de modelização.

Ao nível do Projecto DEMO, balão de ensaio tecnológico que deverá servir de modelo a futuros reactores de fusão industriais, as fases de ensaio e de validação dos materiais e tecnologias, bem como a de concepção do reactor, prosseguirão.

Para além das actividades especialmente centradas no ITER e no DEMO, a tónica será igualmente colocada na aquisição de competências e no alargamento da base de conhecimentos nos domínios-chave relativos ao desenvolvimento das futuras centrais de fusão. O objectivo é duplo: estes trabalhos de investigação devem, a prazo, permitir aumentar a viabilidade técnica da fusão nuclear, assegurando simultaneamente a sua rentabilidade económica. Os trabalhos de investigação previstos para esse efeito incidirão essencialmente em:

  • Sistemas de confinamento magnético *.
  • Plasmas de fusão *.
  • Aspectos sociológicos e económicos da produção de energia pela fusão.
  • Fusão por confinamento inercial *.

A fim de responder às necessidades do ITER e, mais globalmente, da investigação sobre a energia de fusão em matéria de recursos humanos, de educação e de formação, este Programa prevê:

  • Medidas de apoio à mobilidade dos investigadores entre as organizações participantes no Programa, a fim de promover uma maior colaboração e integração e de incentivar a cooperação internacional.
  • Actividades de formação de alto nível para engenheiros e investigadores a nível de pós-graduação e pós-doutoramento, consistindo nomeadamente na utilização de instalações do Programa como plataformas de formação, bem como seminários e "workshops" especializados.
  • Acções de promoção da inovação e do intercâmbio de "know-how" com universidades, institutos de investigação e indústrias afins.

Em termos de infra-estruturas, a realização do ITER na Europa constituirá o ponto de mira do novo programa europeu para a investigação.

Finalmente, a fim de responder a eventuais necessidades emergentes ou necessidades políticas imprevistas em matéria de aprovisionamento energético, alterações climáticas e desenvolvimento sustentável, poderia ser estabelecido um programa acelerado de desenvolvimento da fusão, o que implicaria uma antecipação na comercialização da energia de fusão. O objectivo principal desse programa acelerado, que seria igualmente a sua conclusão, consistiria na realização do reactor DEMO mais cedo do que o inicialmente previsto.

Cisão nuclear

Neste domínio, o objectivo global a atingir é múltiplo:

  • Responder às necessidades de formação.
  • Aumentar o apoio a infra-estruturas.
  • Reforçar o Espaço Europeu da Investigação.
  • Desenvolver uma visão comum dos principais problemas e abordagens a nível europeu.
  • Estabelecer relações entre os programas nacionais.
  • Desenvolver redes com organizações internacionais e países terceiros (Estados Unidos, Novos Estados Independentes, Canadá, Japão, etc.).
  • Reforçar o papel da Euratom em termos da coordenação a nível internacional das actividades de investigação e de desenvolvimento tecnológico.
  • Assegurar a coordenação com o Centro Comum de Investigação (JRC).
  • Estabelecer relações com as actividades de investigação do 7º Programa-Quadro.
  • Promover a colaboração internacional.

Mais especificamente, a cisão nuclear coloca ainda numerosas questões em termos de gestão dos resíduos radioactivos. A este nível, as actividades de investigação e desenvolvimento tecnológico serão centradas nos seguintes aspectos:

  • Gestão e segurança do armazenamento geológico dos resíduos altamente radioactivos e de longa vida (HAVL).
  • Dimensão europeia da sua gestão e armazenamento.
  • Desenvolvimento de processos que permitam a redução da sua quantidade e volume (ex: separação, transmutação *, etc.).

No que diz respeito às instalações nucleares, serão igualmente desenvolvidas acções no âmbito do presente Programa com vista a torná-las mais seguras, mais económicas em recursos, mais ecológicas e mais competitivas.

O presente Programa prevê igualmente o apoio à concepção, renovação, construção e exploração de infra-estruturas de investigação no domínio da cisão nuclear. A facilitação do acesso transnacional dos investigadores a estas infra-estruturas faz igualmente parte das prioridades.

A fim de promover a difusão das competências e do "know-how" científicos em todo o sector de actividade, serão aplicadas diferentes medidas aos recursos humanos e à formação na Europa e não só. Estas medidas visam principalmente dotar adequadamente o sector de investigadores e técnicos qualificados, nomeadamente através de:

  • Melhoria da coordenação entre os estabelecimentos de ensino da UE (equivalência dos diplomas em todos os Estados-Membros).
  • Apoio a estágios e redes de formação, bem como à mobilidade dos estudantes e dos cientistas através de subvenções e de bolsas.

Protecção contra radiações

Centrada na questão dos riscos ligados às exposições prolongadas a doses baixas de radiações, as actividades de investigação consagradas à protecção contra radiações consistirão em:

  • Quantificação desses riscos (estudos epidemiológicos, investigação sobre biologia celular e molecular, etc.).
  • Aumento da segurança e eficácia das aplicações médicas das radiações.
  • Reforço da coerência e integração da gestão de situações de emergência, incluindo a reabilitação dos territórios afectados.
  • Definição de medidas práticas fiáveis que permitam gerir os impactos (tanto na saúde humana como no ambiente) das utilizações dolosas de radiações ou de materiais radioactivos.
  • Integração mais eficaz das actividades nacionais de investigação noutros domínios (radioecologia *, dosimetria *, etc.).

Contexto

Desde 1984 que a UE desenvolve uma política de investigação e desenvolvimento tecnológico baseada em programas-quadro plurianuais. O 7º Programa-Quadro é o segundo desde o lançamento da Estratégia de Lisboa de 2000 e deve desempenhar um papel primordial no crescimento e no emprego na Europa nos próximos anos. A Comissão deseja desenvolver o "triângulo do conhecimento" formado pelas políticas de investigação, educação e inovação, a fim de colocar o conhecimento ao serviço do dinamismo económico e do progresso social e ambiental.

Palavras-chave do acto
  • Confinamento inercial: a fusão por confinamento inercial consiste em fazer convergir feixes laser muito potentes (ou feixes de partículas aceleradas) numa minúscula pastilha de vidro contendo uma mistura de deutério e de trítio (isótopos do hidrogénio).
  • Confinamento magnético: a fusão por confinamento magnético consiste em aquecer o combustível numa câmara de vácuo e em impedir a sua dilatação graças a potentes campos electromagnéticos. O combustível deve previamente ser convertido em plasma, deixando-se este em seguida influenciar pelos campos magnéticos.
  • DEMO: reactor de demonstração (protótipo industrial electrogéneo).
  • Dosimetria: medição das doses de radioactividade.
  • Cisão nuclear: a cisão nuclear é o fenómeno de divisão de um núcleo atómico pesado (como o do urânio ou do plutónio) em dois (ou vários) núcleos leves, com libertação de uma quantidade de energia considerável.
  • Fusão nuclear: a fusão nuclear é um dos dois tipos de reacção termonuclear. É um processo em que dois núcleos atómicos se agregam para formar um núcleo mais pesado. A fusão de núcleos leves liberta enormes quantidades de energia provenientes da diferença de massa (energia de ligação nuclear). Essa reacção ocorre no Sol e em todas as estrelas do nosso universo.
  • ITER: reactor termonuclear experimental internacional, ferramenta de investigação cuja missão é demonstrar a viabilidade científica e técnica da fusão termonuclear.
  • Plasmas de fusão: estado da matéria em que é susceptível de se produzir a fusão. Trata-se de um estado particular da matéria no qual os átomos ou moléculas, tendo perdido um ou vários electrões, formam um gás ionizado.
  • Radioecologia (ou ecologia das radiações): parte da Ecologia que trata das relações entre as espécies vivas e a radioactividade do seu ambiente.
  • Protecção contra radiações: conjunto de medidas destinadas a assegurar a protecção do homem e do seu ambiente contra os efeitos nefastos das radiações ionizantes (efeitos da radioactividade), permitindo simultaneamente a sua utilização.
  • Transmutação: em Física, designa a propriedade de determinados átomos radioactivos de se transformarem num outro átomo. No domínio nuclear, isso torna possível a transformação de isótopos radioactivos de vida longa em isótopos de vida curta ou em isótopos estáveis.

REFERÊNCIAS

Acto Entrada em vigor - Data do termo de vigência Prazo de transposição nos Estados-Membros Jornal Oficial
Decisão 2006/970/CE 1.1.2007 - 31.12.2013 - JO L 400 de 30.12.2006
Decisão 2006/977/Euratom 1.1.2007 - 31.12.2011 - JO L 400 de 30.12.2006

ACTOS RELACIONADOS

Regulamento (Euratom) n.º 1908/2006 do Conselho, de 19 de Dezembro de 2006, que estabelece as regras de participação de empresas, centros de investigação e universidades em acções no âmbito do Sétimo Programa-Quadro da Comunidade Europeia da Energia Atómica e as regras de difusão dos resultados da investigação (2007-2011) [Jornal Oficial L 400 de 30.12.2006].
Este regulamento diz respeito às regras de participação de empresas, centros de investigação e universidades na execução do programa-quadro da Comunidade Europeia da Energia Atómica (Euratom) (2007-2011). O documento está dividido em quatro capítulos: as disposições introdutórias (objecto, definição e confidencialidade), a participação nas acções indirectas (condições de participação, aspectos processuais, etc.), as regras de difusão e de valorização (propriedade, protecção, publicação, difusão e utilização dos conhecimentos novos e preexistentes, bem como os direitos de acesso a esses conhecimentos) e as regras específicas de participação em actividades no domínio temático "investigação sobre energia de fusão".

Última modificação: 10.07.2007
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página