RSS
Índice remissivo
Esta página está disponível em 15 idiomas
Novos idiomas disponíveis:  CS - HU - PL - RO

We are migrating the content of this website during the first semester of 2014 into the new EUR-Lex web-portal. We apologise if some content is out of date before the migration. We will publish all updates and corrections in the new version of the portal.

Do you have any questions? Contact us.


A política de coesão e as cidades

A comunicação propõe acções de apoio ao crescimento económico sustentável urbano, bem como medidas destinadas a reduzir a pobreza, a exclusão e os problemas ambientais nas cidades. Coloca a tónica sobretudo em determinados aspectos específicos da dimensão urbana que são relevantes no contexto das orientações estratégicas comunitárias para 2007-2013 no domínio da coesão.

ACTO

Comunicação da Comissão ao Conselho e ao Parlamento Europeu, de 13 de Julho de 2006, «A política de coesão e as cidades: contribuição das cidades e das aglomerações para o crescimento e o emprego nas regiões» [COM(2006) 385 - Não publicada no Jornal Oficial].

SÍNTESE

As orientações estratégicas comunitárias para 2007-2013 no domínio da coesão têm por objectivo contribuir para o crescimento e o emprego. Estas orientações definem os domínios de intervenção a privilegiar nos programas operacionais 2007-2013, prestando especial atenção às necessidades específicas de certos territórios, tais como as zonas urbanas, bem como aos objectivos sociais e ambientais.

O crescimento económico sustentável nas cidades deveria ser acompanhado de medidas destinadas a reduzir a pobreza, a exclusão e os problemas ambientais. A presente comunicação tem, assim, como objectivo apresentar determinados aspectos específicos da dimensão urbana que são relevantes no contexto das orientações estratégicas.

A comunicação apresenta e propõe acções num grande número de domínios e reflecte as possibilidades de intervenção dos fundos estruturais. As medidas abordadas estão repartidas em seis rubricas:

  • Reforço da atractividade das cidades.
  • Apoio à inovação, ao espírito empresarial e à economia do conhecimento.
  • Criação de mais e melhores empregos.
  • Gestão das disparidades intra-urbanas.
  • Governação.
  • Financiamento da renovação urbana.

Cidades atractivas

Para vencerem os diferentes desafios e reforçarem a sua atractividade, as cidades devem captar mais investimentos e criar empregos. A fim de atingir este objectivo, podem ser considerados quatro pontos principais:

  • A mobilidade e a acessibilidade dos transportes; as cidades e regiões deveriam assegurar uma utilização optimizada de todas as infra-estruturas de transportes.
  • O acesso a serviços modernos, eficazes e a preços razoáveis, bem como aos equipamentos.
  • O ambiente natural e físico.
  • Um sector cultural apoiado numa oferta de equipamentos.

Apoio à inovação, ao espírito empresarial e à economia do conhecimento

As cidades podem tomar medidas para apoiar a inovação, o espírito empresarial e a economia do conhecimento. Trata-se, designadamente, de acções em favor das pequenas e médias empresas (PME), bem como de acções que visem pôr a inovação e a economia do conhecimento ao serviço do crescimento. Alguns exemplos:

  • Melhoria das infra-estruturas económicas e adopção de sistemas de gestão ambiental.
  • Fornecimento de serviços de apoio às empresas.
  • Cooperação entre parceiros locais e acesso às fontes de financiamento.
  • Preparação de uma estratégia de inovação para toda a região.
  • Participação das cidades em projectos de investigação e desenvolvimento (I&D) (7.º programa-quadro), bem como na sociedade da informação (a iniciativa i2010).

Mais e melhores empregos

Visto que as pessoas altamente qualificadas e as pessoas com níveis de qualificação muito baixos estão sobrerrepresentadas nas cidades, estas concentram simultaneamente necessidades e possibilidades. No âmbito do objectivo de Convergência, os fundos estruturais podem apoiar:

  • As acções empreendidas para reforçar a capacidade institucional e a eficácia dos serviços públicos aos níveis local e regional.
  • Iniciativas para a criação de empregos, a luta contra o desemprego e a criação de parcerias para o emprego e a inovação.
  • A melhoria da empregabilidade através do aumento do nível de instrução e de formação.

Disparidades intra-urbanas

Nos bairros desfavorecidos das cidades, onde o desemprego elevado coexiste com outras condições desfavoráveis, a presente comunicação propõe acções a fim de:

  • Promover a inclusão social e a igualdade de oportunidades.
  • Reforçar a segurança dos cidadãos; neste contexto, preconiza-se, por exemplo, a definição de políticas de luta contra a delinquência local e a criação de empregos ligados à segurança.

Governação

A fim de melhorar a governação e gerir o desenvolvimento urbano, a presente comunicação propõe acções que visem:

  • Estabelecer uma boa cooperação entre os vários níveis de entidades públicas, por exemplo ao desenvolver parcerias entre cidades, regiões e Estado ou mediante a melhoria da coordenação entre as entidades públicas urbanas, por um lado, e as entidades públicas rurais e regionais, por outro.
  • Desenvolver uma abordagem integrada do desenvolvimento sustentável; importa, por exemplo, estabelecer um plano a longo prazo para os vários factores de crescimento sustentável e de emprego.
  • Aumentar a participação e o empenhamento dos cidadãos.
  • Criar redes de intercâmbio de experiências.

Financiamento da renovação urbana

Os projectos de desenvolvimento urbano podem ser financiados no âmbito do FEDER, do FSE e do Fundo de Coesão. A comunicação sugere igualmente o apoio por parte dos novos instrumentos financeiros JASPERS, JEREMIE e JESSICA, bem como por parcerias entre os sectores público e privado.

ACTOS RELACIONADOS

Decisão 2006/702/CE do Conselho, de 6 de Outubro de 2006, relativa às orientações estratégicas comunitárias em matéria de coesão [Jornal Oficial L 291 de 21.10.2006].

Comunicação da Comissão, de 5 de Julho de 2005, «Uma política de coesão para apoiar o crescimento e o emprego: orientações estratégicas comunitárias, 2007-2013» [COM(2005) 299 - Não publicada no Jornal Oficial].

Última modificação: 11.01.2007
Advertência jurídica | Sobre este sítio | Pesquisa | Contacto | Topo da página